Como começar um negócio do zero? Entenda!

Como começar um negócio do zero? Entenda!

Tempo de leitura: 

13 minutos

Começar um negócio do zero é, sem sombra de dúvidas, uma atitude de quem tem muita ousadia e coragem. Porém, para que o empreendimento seja bem-sucedido, é preciso conhecimento profundo do território em que se está pisando. Para isso, um bom planejamento estratégico, que inclua o que, como e onde fazer, é fundamental.

Quer aprender mais sobre como abrir uma empresa? Então, continue com a gente! Vamos explicar por que abrir um negócio do zero pode ser uma boa opção, ressaltar a importância do planejamento estratégico nessa empreitada e enumerar os passos para conhecer melhor o seu público e mercado.

Também vamos listar as dicas para empreender, mostrar os diferenciais de um negócio de energia solar e muito mais! Não perca!

Saiba por que abrir um negócio do zero pode ser uma boa opção

Não é qualquer pessoa que tem o dom de abrir um negócio e prosperar. Afinal, nem todos têm o perfil empreendedor. Mas, afinal, você sabe o que é isso? Uma pessoa empreendedora é organizada, criativa, não tem medo de arriscar, tem senso de oportunidade e sabe gerar novas ideias como ninguém.

Porém, mesmo aqueles que têm essas características podem ter problemas ao começar um negócio do zero. Isso porque iniciar um empreendimento vai muito além do dom natural e da força de vontade. É preciso ter controle sobre os recursos financeiros, montar um bom planejamento estratégico, ter conhecimento do mercado em que está entrando, saber estabelecer um público-alvo, entre outros diversos aspectos.

Além disso, é muito importante que o empreendedor iniciante tenha um bom preparo psicológico. Diferentemente de um funcionário contratado, terá que lidar com todas as áreas que abrange uma empresa, e não uma só. Para ser dono de empresa, é preciso ter paixão pelo que faz, perseverança, ideias inovadoras e paciência, pois os resultados não vêm de um dia para o outro.

Ainda que você encontre dificuldades em sua jornada, ter o seu próprio negócio traz muitas vantagens. Além da independência financeira e do trabalho flexível, como empreendedor, é possível optar por trabalhar sozinho ou com as pessoas que escolher, buscar uma área de atuação que realmente interesse a você, ser dono do próprio tempo e ganhar mais dinheiro do que como contratado em uma empresa.

O grande diferencial entre um empreendedor de sucesso para o mal sucedido é o pensar em pessoas. Ao lançar um produto ou serviço, é preciso imaginar o que está por trás dele e avaliar como isso fará diferença na vida dos seus clientes.

Por exemplo, ao abrir um negócio que envolva alimentação, o empreendedor saciará a fome do seu cliente, que é uma necessidade fisiológica, e também, de cunho extremamente emocional. Por isso, acima de tudo, o amor e o carinho com os quais essa comida será feita deverão ser muito mais importantes do que os lucros obtidos.

Entenda a importância do planejamento para iniciar um negócio do zero

O maior erro de um empreendedor é iniciar um negócio sem o mínimo de planejamento. Começar uma empresa sem preparação, adotar meios com pouca qualidade para economizar e esperar resultados instantâneos é um erro, um verdadeiro tiro no pé.

Apesar do nome planejamento estratégico parecer algo complicado e cheio de requintes, na verdade, é algo que fazemos todos os dias, em todos os setores da vida: profissional, pessoal, espiritual etc. Portanto, um bom planejamento pode ser feito de forma tradicional, com papel e caneta, ou mesmo por meio de ferramentas digitais. Não importa: algum plano deve ser feito.

Mas como iniciar esse processo? Coloque no papel tudo o que envolva a criação do negócio. Os recursos financeiros, o investimento inicial, a contratação de pessoal, o espaço, as ferramentas, os suprimentos, o tempo, o produto a ser trabalhado etc.

Após esse brainstorming, estabeleça posições para cada questão e comece a trabalhar com metas. Ou seja, o que você deseja alcançar daqui a uma semana, um mês, um ano, 10 anos, e assim por diante. O importante é estabelecer metas plausíveis, possíveis de ser alcançadas. Devagar, mas sem perder tempo!

Veja os 4 passos para conhecer melhor o seu público e o seu mercado

Além do planejamento, outro ponto de extrema importância ao iniciar um negócio do zero é conhecer bem o público e o mercado de atuação. Para que isso seja feito com maestria, siga o passo a passo que indicamos abaixo.

1. Pesquise o mercado

Busque o conhecimento do mercado em que você está entrando. Uma boa alternativa para esse estudo é a Análise SWOT. Por meio dessa ferramenta, é possível identificar as forças (strenghts), fraquezas (weaknesses), oportunidades (opportunities) e ameaças (threaths).

Com isso, serão identificadas todas as possibilidades que o mercado apresenta e será possível encontrar problemas que poderão ocorrer. A Análise SWOT é uma excelente ferramenta de estudo de mercado, pois oferece uma espécie de diagnóstico da empresa. Caberá ao empreendedor, então, decidir se vale a pena ou não entrar no negócio, quais arestas deverão ser aparadas, entre outras questões.

2. Converse com pessoas interessadas

Para encontrar potenciais clientes e pessoas que já fazem parte do ramo, uma boa maneira é frequentar feiras e congressos sobre o mercado escolhido. Assim, será possível conversar com esse público, descobrir opiniões e, quem sabe, até mesmo formar parcerias. Marketing boca a boca e pesquisas de mercado também são formas tradicionais de se estudar o mercado.

3. Crie um público-alvo

O seu público é, simplesmente, a alma do seu negócio. Você deve conhecê-lo muito bem antes de oferecer o seu produto e/ou serviço. Para isso, é importante estabelecer um público-alvo, ou seja, um grupo de clientes que tem uma maior tendência a se interessar pelo que será oferecido pela sua empresa. Após isso, é importante estudar com afinco esse grupo.

4. Conheça a persona

A forma mais efetiva de estudar o público-alvo é por meio da criação de personas. Trata-se do estabelecimento de um personagem fictício criado para atender o estilo de um possível cliente para o negócio. Defina sexo, faixa etária, classe social, estilo de vida, hábitos, comportamento, desejos e necessidades. Assim, ficará mais fácil saber o que seu cliente precisará e, dessa forma, buscar maneiras de cativá-lo e engajá-lo.

Veja as 7 principais dicas para iniciar um negócio do zero

Se mesmo após ler sobre as vantagens de ter um negócio próprio, aprender a identificar o público-alvo e estudar o mercado escolhido, você ainda não está certo de como começar um negócio do zero, não desanime! Veja, agora mesmo, dicas de ouro de como abrir a sua tão sonhada empresa!

1. Tenha um plano de negócios bem definido

Um plano de negócios nada mais é do que um fruto do planejamento estratégico, que você viu no lá no começo. Nele, deverão estar contidos o produto e/ou serviço que será trabalhado, o público-alvo definido, o estudo completo do mercado escolhido, o capital inicial necessário, os principais concorrentes, o valor da proposta de preço do produto, o quanto você espera lucrar, as principais ferramentas de marketing, entre outros.

2. Invista em marketing

Um marketing forte é essencial para conquistar muitos clientes e fazer com que o negócio seja muito bem-sucedido. Existem, atualmente, infinitas formas de se desenvolver uma boa estratégia, principalmente, nas mídias sociais. Entre as dicas mais tradicionais, temos:

  • ficar sempre atento às novas tendências;
  • criar um banco de dados com clientes fiéis;
  • investir em publicidade externa, como busdoor, outdoor, taxidoor etc.

O importante é sempre contar com o principal elemento do marketing: a criatividade na divulgação. Vale lembrar, também, da importância de ter uma marca forte, ou seja, aquela que entra no subconsciente das pessoas.

Alguns casos famosos de empresas fortes em branding são a Coca-Cola, comumente associada ao vermelho, cor de sua marca, e às atividades natalinas. Outra bem-sucedida é o Leite Moça. A força da marca é tanta que algumas pessoas não sabem que o nome verdadeiro do produto é leite condensado.

3. Entenda sobre a estrutura necessária

Para que o negócio dê certo, é preciso entender em que ambiente ele funcionará e de quais ferramentas ele necessitará. Procure encaixar nos recursos financeiros verba o suficiente para alugar um bom ponto, comprar as matérias-primas, ferramentas e suprimentos, contratar uma boa equipe, um bom contador, terceirizar atividades não essenciais etc.

Caso o dinheiro não seja suficiente, você pode optar por tentar encontrar um sócio para dividir as contas ou mesmo partir para o financiamento. Existem diversas formas de obter crédito empresarial, por meio de instituições, tais como os bancos comerciais, como o Banco do Brasil (BB), as cooperativas, como o Sistema de Cooperativas de Crédito do Brasil (Sicoob) e as linhas de crédito especiais, como as fornecidas de Caixa Econômica Federal (CEF).

Há também outras formas menos tradicionais, como por meio de investidores-anjo, parentes, amigos e aplicativos de fintechs. Enfim, falta de recursos não é desculpa para não iniciar o seu negócio. Mas não se esqueça de usar o dinheiro do outro com cautela!

Outra opção para economizar nos custos está na possibilidade de trabalhar home office. Dependendo do produto e/ou serviço oferecido, é perfeitamente possível dividir as contas da empresa com as de casa, aproveitando os custos do aluguel, água, luz, internet etc. Mas, é claro, tudo depende do tipo de negócio escolhido.

4. Cuide dos aspectos burocráticos

A burocracia envolvida na abertura de um negócio é realmente desanimadora. Mas, nada de desistir! Veja, agora mesmo, quais são os documentos necessários para se abrir uma empresa:

  • nome fantasia;
  • atividades que a empresa realizará;
  • cópia dos comprovantes de residência e do endereço comercial (caso não estejam no mesmo lugar);
  • cópia simples do CPF;
  • cópia autenticada do RG;
  • última declaração do Imposto de Renda.

Após reunir todos esses documentos, é hora de apresentá-los na prefeitura da sua cidade. Com a empresa já registrada, você receberá os seguintes documentos:

  • Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ): a prefeitura entregará um carimbo de pedido de CNPJ, chamado NIRE, e você acessá-lo no site da Receita Federal;
  • Contrato Social: uma espécie de “certidão de nascimento” da empresa;
  • alvará de funcionamento: fundamental para que a empresa exerça legalmente as atividades registradas;
  • registro na Junta Comercial: uma espécie de “certidão de nascimento” do CNPJ;
  • Cadastro na Previdência Social: que será efetivado em até 30 dias após o início das atividades do negócio.

Com esses documentos em mãos, basta pedir a autorização de funcionamento para a prefeitura da sua cidade de forma online. Pronto! Os aspectos burocráticos estão resolvidos.

É importante lembrar que, para micros e pequenos empreendedores, uma boa opção para resolver esses problemas burocráticos está na abertura de um Microempreendedor Individual (MEI). Trata-se de um CNPJ feito para empresários que faturam até, no máximo, R$81 mil por ano.

Tendo o MEI, o empresário não precisa se preocupar em declarar impostos, pois o pagamento mensal do Documento de Arrecadação do Simples Nacional (DAS) reúne e simplifica os tributos a serem quitados. Além disso, há também a garantia de aposentadoria por idade, auxílio-doença e aposentadoria por invalidez, licença-maternidade, pensão por morte, entre outras vantagens.

5. Tenha o devido controle dos processos

Nada de se perder diante da papelada! O bom empreendedor conhece cada passo da abertura do negócio. Além disso, também sabe controlá-lo, estabelecendo medidas corretivas sempre que for necessário.

Para evitar que o monitoramento dos processos seja perdido, algumas atitudes devem ser tomadas. Opte sempre pelo caminho mais seguro, pois as chances de errar serão menores. Trace metas realistas, tenha disciplina para cumpri-las. Por fim, não se esqueça de que mudar de tática, se for preciso, é uma atitude inteligente.

6. Espelhe-se em algo ou em alguém

Casos de sucesso são muito bem-vindos. Isso tem um nome, inclusive: benchmarking. O termo, que do inglês significa “avaliação comparativa”, é designado para a ação de procurar no mercado casos que tenham dado certo e adaptá-los à realidade da empresa.

Na verdade, nem precisamos levar em consideração apenas as práticas de mercado. Ter como espelho apenas uma característica de alguém conhecido, que talvez nem seja do ramo escolhido, como a dedicação, a perseverança ou um método infalível de alcance de resultados, já é uma boa dica para começar um negócio do zero.

7. Esteja pronto para o fracasso

Se tem uma coisa que todos nós aprendemos desde a infância é que fracassos acontecem. No ambiente empreendedor, não é diferente. Esteja preparado para o caso de seu negócio não prosperar o suficiente ou, até mesmo, vir a falir. Tenha reservas financeiras e um plano B. Mas lembre-se: só fracassa mesmo quem desiste.

Fique por dentro dos diferenciais do mercado de energia solar

Apesar de bastante específico, o mercado livre de energia também é uma excelente opção para aqueles que querem começar um negócio do zero. Isso porque o segmento está em crescente expansão, graças ao incentivo à adoção de recursos energéticos renováveis e à regularização das regras para produção e geração das fontes de energia pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) em 2012.

A energia solar é uma das fontes renováveis mais cotadas para substituir a tradicional, principalmente no Brasil, onde o clima é predominantemente tropical. Diferentemente da que o país utiliza hoje, que conta com o auxílio das usinas hidrelétricas para a sua geração, a energia solar demanda apenas de painéis especializados que convertem os raios de sol em energia.

Tais equipamentos são custosos financeiramente, porém, têm uma durabilidade muito alta (de 10 a 15 anos) e uma manutenção bastante simples e barata, bastando apenas a sua limpeza, de forma simples, a cada seis meses. Com isso, torna-se muito mais vantajoso a adoção desse tipo de energia.

Estima-se que a economia nas contas de luz de quem adota a energia solar é de até 95%! Essa grande economia se deve não apenas à diminuição dos custos dispendidos para a manutenção do sistema energia solar, mas também, ao fator carga tributária.

A energia elétrica é bastante cara no Brasil, e isso se deve aos altíssimos impostos embutidos na conta de luz, chegando, em alguns casos, a até 60% do valor. Com a energia solar, o único dispêndio tributário são as taxas da concessionária de energia local que, apesar de variáveis, são infinitamente mais baixas do que os impostos cobrados na conta de luz de um sistema de energia elétrica.

Além disso, a adoção da fonte de energia solar conta com uma série de outras vantagens, como:

  • economia em outros recursos financeiros;
  • alto retorno sobre investimento;
  • melhoria da imagem da organização;
  • valorização imobiliária;
  • baixo impacto ambiental;
  • pequena necessidade de manutenção;
  • desenvolvimento de uma cultura de sustentabilidade.

O processo para uso da energia solar

A adoção de um sistema de energia solar não é complicada. Basta a definição de um projeto com todas as características do imóvel, a lista dos equipamentos que serão utilizados e o clima predominante do local em que o imóvel está instalado. Após a definição do projeto, as condições de pagamento são analisadas. Se for necessário, conte com uma linha de crédito para o financiamento.

A contratação de uma empresa especializada em instalação de energia solar é importante para aprovar o projeto e as condições financeiras para o negócio estipulado. Com isso, basta esperar o aval da concessionária energética local, se houver, e instalar, enfim, o novo sistema de energia.

A abertura de uma franquia no segmento

Caso o mercado livre de energia esteja interessando a você, saiba que a abertura tradicional de uma empresa nesse ramo não é única opção existente. Outra excelente possibilidade para os empreendedores interessados em investir é adoção do modelo de franquias (franchising) de energia solar.

O investimento médio em uma franquia de energia solar é de R$280 mil, levando em consideração todos os custos de instalação, o capital de giro e as taxas da franquia. A melhor parte é que o faturamento da franquia é bem mais alto do que o valor de investimento, ou seja, o retorno de investimento do negócio é extremamente lucrativo.

Estima-se que o faturamento médio de uma franchising de energia solar seja de R$1,5 milhão, isso já no primeiro ano de negócio. Se você tiver interesse em adotar um modelo de franquia, o primeiro passo é: escolha a modalidade que melhor se adéqua ao negócio que você pretende montar.

Isso porque existem diversas modalidades de franquia de energia solar. São elas: franquias unitárias, microfranquia, shop in shop, combinada etc. Após essa escolha, é hora de trabalhar com as finanças: verifique as taxas envolvidas e entenda os custos de investimento do negócio.

Com a modalidade de franquia escolhida e os recursos financeiros calculados, avalie o mercado. Aplique uma análise SWOT, como foi ensinado no início deste post e, se for necessário, busque um especialista que possa ajudar você nesse momento. Um profissional qualificado no assunto poderá ajudar a compreender quais são as tendências do mercado e a analisar precisamente os dados do negócio.

Após toda essa avaliação procure por boas parcerias para o empreendimento. Tome cuidado, pois empresas saturadas no mercado podem não ser uma boa alternativa. Tenha certeza, também, de que são empresas seguras para se montar uma boa parceria. Mais uma vez, um profissional especializado poderá ajudar você.

Não se preocupe muito com o fato de não entender muito sobre a atuação em franquias, pois esse modelo de negócio costuma contar com programas de treinamento e cursos específicos para isso. Porém, se tiver tempo e condições, leia sobre os mercados de franquia e de livre energia. Isso dará uma noção mais ampla do que será trabalhado futuramente.

Com as diversas catástrofes ambientais que vêm acontecendo mundialmente, a tendência a uma criação de cultura de sustentabilidade pelas empresas e pela sociedade e as crises financeiras que assolam o país, certamente, o mercado de franquia em energia solar é uma grande tendência. Está esperando o quê para começar o investimento? Escolha a modalidade de franquia que melhor se adapta a sua ideia de negócio, estabeleça uma parceria com uma franchising segura e mãos à obra!

Gostou de aprender mais sobre como começar um negócio do zero? Então, não deixe de ler outros artigos do nosso blog para entender muito mais sobre o assunto! Precisando dos nossos serviços, basta entrar em contato conosco, e faremos o melhor serviço para você e sua empresa!