Como o Design Thinking pode contribuir para o mercado de franquias?

Como o Design Thinking pode contribuir para o mercado de franquias?

Tempo de leitura: 

5 minutos

O mercado está em constante evolução, enquanto as empresas estão cada dia mais competitivas e em busca de novas tecnologias que visam melhorar os processos produtivos. Com esse avanço contínuo, muitas técnicas e metodologias auxiliam as organizações a otimizarem resultados, tornando-os mais expressivos e consistentes. O Design Thinking é uma dessas recentes metodologias.

Essa abordagem tem feito muito sucesso entre as empresas nos atuais processos de gestão. A tendência já é lecionada em algumas renomadas universidades americanas e diz respeito à maneira de pensar baseada no comportamento e processo criativo dos designers. Assim, as organizações buscam conhecer as necessidades dos clientes para investir em produtos.

Para saber mais sobre o assunto, basta ler este post até o final. Aqui, vamos abordar mais sobre o significado do Design Thinking e mostrar como essa metodologia pode contribuir com as franquias. Confira!

O que é o Design Thinking?

Tim Brown foi o idealizador dessa ferramenta de inovação tão maravilhosa para as empresas. Segundo ele, o Design Thinking usa os métodos e a sensibilidade dos designers para preencher as necessidades e demandas das pessoas com o que a tecnologia nos permite. Isso faz com que as empresas possam usar estratégias de negócio mais viáveis e certeiros, visando converter o produto em valor para o cliente e oportunidade para o mercado.

Assim, o Design Thinking faz referência ao tipo de abordagem criativa e organizada, sempre baseada na experimentação, criação e prototipagem de um negócio ou produto. Desta forma, o empreendedor consegue captar o feedback dos clientes, otimizando seus recursos e usando-os de forma correta e consciente. Essa metodologia vem para unir a lógica do negócio com a criatividade dos designers para melhor atender as demandas da clientela.

Quais são os seus diferenciais?

O Design Thinking envolve funcionários de diversas áreas em busca da solução de questões complexas para alcançar a inovação sempre baseada no entendimento aprofundado das demandas, necessidades e expectativas do cliente, colocando-o assim sempre no centro de todo o processo.

De forma simples, viável e criativa, essa metodologia otimiza as soluções e oferece retorno ao investimento. Por isso, o Design Thinking tem sido cada dia mais utilizado pelas empresas brasileiras para solucionar desafios internos e externos.

Como o Design Thinking pode contribuir para o negócio de franquias?

Com a ferramenta, todo tipo de empreendimento, inclusive as franquias, conseguem organizar e gerar ideias e soluções para problemas enfrentados pela empresa, sempre em busca da satisfação do cliente. Essa é uma forma dos franqueados avaliarem seus investimentos conforme o retorno que se pode conseguir por meio deles.

Essa estratégia se torna um diferencial para que a franquia se coloque à frente das concorrentes, sendo uma das principais razões para se investir nesse tipo de abordagem. Desta forma, as franquias conseguem obter uma fatia maior no mercado e potencializar os lucros.

Quais as etapas do Design Thinking?

Para resolver problemas e encontrar as soluções mais adequadas, todo processo deve começar pelo entendimento básico e completo dos obstáculos a serem superados pelas empresas.

O Design Thinking não é um processo linear, porém existem algumas etapas que devem ser seguidas para o sucesso da metodologia. Seguem algumas etapas de abordagem da estratégia.

Imersão

A imersão envolve um mergulho profundo em tudo que lida com os processos da empresa. Essa é uma fase de aproximação do problema e é o momento de reconhecer o contexto, envolvendo os pontos complexos. Sendo assim, é a hora de mapear os problemas, as oportunidades, as fraquezas e os pontos positivos da empresa, tanto interna quanto externamente.

Nesse momento, é importante coletar feedback dos clientes, analisar o desempenho dos colaboradores e aprofundar na política organizacional do negócio. Lembre-se que, somente com o conhecimento completo dos processos, é possível desenvolver soluções que certamente serão utilizadas.

Ideação

Após concluir a primeira etapa de imersão, os gestores já terão identificado os aspectos que necessitam de otimização e aqueles que podem ser mantidos como estão. A partir daí, a próxima fase é conhecida como ideação. Esse é o momento de gerar ideias importantes e relevantes para colocar em prática o que precisa ser aprimorado.

Na ideação, é hora de motivar a criatividade e a inovação em prol da solução dos problemas encontrados no mapeamento. Nesse momento, é fundamental trazer visões claras obtidas com o uso de Big Data para aumentar as chances de eficácia do processo. Reúna as equipes envolvidas e adote técnicas visando incentivar e valorizar o compartilhamento de muitas ideias.

Prototipação

Esse é o momento de filtrar as ideias relevantes e escolher as que possuem maiores chances de sucesso. Para diminuir os riscos de falhas, é importante criar protótipos antes de efetivamente executá-los.

Para quem está criando novos produtos ou serviços, essa é a etapa de criar um modelo, realizar testes e analisar se o projeto pode ser finalizado ou se ainda necessita de pequenos ajustes.

Desenvolvimento

No desenvolvimento é hora de tirar tudo do papel e colocar o projeto efetivamente para funcionar. Nesse momento, entram em ação os setores de comunicação e publicidade do negócio. Você deve vender a solução para os clientes e garantir que ela seja bem aceita. Após essa etapa, é preciso manter o monitoramento constante para sempre melhorar e avaliar o sucesso da operação.

Quais as vantagens Design Thinking?

O Design Thinking oferece muitas vantagens para as franquias, por isso, é preciso manter um ambiente que permita práticas diárias de livre expressão da criatividade dos colaboradores envolvidos. Veja os benefícios do Desing Thinking.

Bom custo-benefício

Essa metodologia oferece resultados expressivos e não tem custo para a empresa. Na verdade, o método consiste em implantar uma nova mentalidade nos processos do negócio, o que é facilmente aceita por todos. Isso porque qualquer tipo de empresa, seja grande ou de pequenos negócios, pode fazer uso do Design Thinking.

Incentivo à criatividade

O Design Thinking gera soluções para os problemas do negócio e estimula a criatividade no grupo de pessoas envolvido no processo. Por meio desse método, é possível alimentar constantemente a criatividade das pessoas e otimizar os processos produtivos. Além disso, a criatividade é a porta para soluções inusitadas e eficazes.

Oferece respostas ao empreendedor

O Design Thinking estimula pensamentos diferentes, o que ajuda a resolver os problemas pela raiz. Ao utilizar critérios práticos, os gestores conseguem confrontar alternativas e testar todas elas separadamente. Cada pessoa possui uma forma de raciocinar e, nessa metodologia, essas diferenças são trabalhadas para pensarem juntas.

Portanto, o Design Thinking é uma estratégia aplicável aos mais variados tipos de negócios e que ajuda os gestores a obter resultados mais atrativos. Invista nesse método e gere mais lucros para sua empresa.

Gostou deste post? Assine nossa newsletter e receba conteúdos exclusivos diretamente no seu e-mail!