Confira 6 dicas para economizar energia em Goiânia

Confira 6 dicas para economizar energia em Goiânia

Tempo de leitura: 

6 minutos

No Brasil, atualmente, nós temos diferentes formas de gerar energia elétrica. Algumas causam mais impacto sobre o meio ambiente que outras. Temos a energia hidrelétrica, a mais usada, cujos impactos no meio ambiente são muito conhecidos. Há ainda a energia eólica, a solar, a de biomassa e a de combustíveis fósseis, como petróleo, carvão mineral e gás natural.

A energia nuclear e a energia obtida de fontes não-renováveis também são alternativas para produzir energia elétrica no Brasil. A energia de fontes não-renováveis é gerada a partir de recursos finitos, ou seja, um dia eles acabarão. Já a nuclear, produzida a partir de materiais radioativos, não é tão poluente, mas pode causar acidentes muitos graves, como a história já nos mostrou.

A mais poluente de todas as fontes de energia é a originada a partir de combustíveis fósseis, e as que menos causam impacto sobre o meio ambiente são a eólica e a solar. Ambas estão em expansão no país, com destaque para o estado de Goiás e sua capital, Goiânia.

Reside na região e quer saber como economizar usando energia limpa e sustentável? Então leia nosso texto e confira 6 dicas para economizar energia em Goiânia!

1. Use a energia eólica em Goiânia a partir do sistema expander body

A tecnologia vem abrindo espaço para gerar energia eólica em Goiânia. O Laboratório de Aerodinâmica Aplicada de Furnas realizou, pela primeira vez no Brasil, uma experiência para criar uma torre eólica feita com a tecnologia expander bodies, de uma empresa do exterior. Essa tecnologia permitirá a criação de novos parques em outras partes do estado, incluindo a capital goiana.

Essa tecnologia possibilita a instalação de torres mais baratas, que permitem aproveitar ventos mais fracos, juntamente com a energia hidrelétrica e a energia solar. Além de maior rapidez na operação, os gastos com o sistema expander body são aproximadamente 20% mais baratos.

2. Participe das iniciativas para instalar energia solar em casas populares

Instalar painéis fotovoltaicos em casas e condomínios pode reduzir em até 80% as contas de luz. O sistema fotovoltaico já está sendo muito empregado nos imóveis de Goiânia, inclusive em condomínios populares, como o Parque Gran Cielo, localizado em Aparecida de Goiânia, na região metropolitana.

A Agehab (Agência Goiana de Habitação) também está aplicando dinheiro nessa tecnologia. Conforme o próprio órgão confirmou, painéis fotovoltaicos já foram instalados em Pirenópolis e Alto Paraíso, em um total de 190 casas. O projeto tende a se expandir para outras regiões.

Os moradores dos condomínios populares recebem um cheque no valor de R$ 3 mil para comprar os equipamentos do sistema de energia solar das empresas que foram licitadas e oferecem o melhor custo-benefício. Os usuários recebem um treinamento aprender a fazer a manutenção adequada dos painéis solares, cuja durabilidade alcança até 25 anos.

A proposta é diminuir em até 70% o total das contas de luz dos moradores. Além disso, aprendendo a fazer a manutenção do sistema, essas pessoas podem ser chamadas para prestar serviços em outros locais, contribuindo para a sua geração de renda.

Conforme o engenheiro eletricista Leandro Cazu, da Agehab, em uma casa com quatro ou cinco moradores, o consumo mensal de energia elétrica convencional é de aproximadamente 120 kw/h, e isso considerando o uso das lâmpadas LED, que são mais econômicas. Com a energia solar, os valores descem para 75 kw/h mensais, ou seja, os consumidores podem pagar menos da metade nas contas de luz.

Nas moradias populares, usam-se as placas fotovoltaicas e os microinversores, cujos custos são baixos. Os microinversores convertem a energia de corrente contínua (CC) em energia de corrente alternada (CA), que é a corrente usada nas residências.

3. Aproveite o modelo on-grid para usar energia solar em Goiânia

Para diminuir as contas de energia em Goiânia, outra dica é instalar o sistema fotovoltaico conectado à rede pública de energia local. Esse modelo de instalação é chamado de on-grid, no qual toda a energia excedente gerada pelo sistema é direcionada para a rede elétrica.

A vantagem desse modelo de instalação é que todo o excedente injetado na rede elétrica local transforma-se em bônus para o consumidor, reduzindo ainda mais o valor das contas de luz. Essa opção está disponível não apenas em Goiânia como em todo o país, sendo realmente a alternativa mais comum adotada entre os brasileiros.

O outro modelo de instalação é o off-grid, no qual não há integração entre o sistema fotovoltaico e a rede elétrica do município ou região. A energia elétrica gerada a partir das placas solares, nesses casos, é armazenada em baterias específicas, que funcionam como um tipo de gerador extra que será utilizado sempre que se fizer necessário.

4. Economize energia em Goiânia seguindo as dicas das campanhas de conscientização

O que não faltam no Brasil são campanhas que recomendam o uso equilibrado da energia elétrica, visando evitar contas muito altas e prejuízos ao meio ambiente. Em Goiânia, não é diferente: como exemplo, podemos citar a campanha da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Federal de Goiás (FCT-UFG), iniciada em novembro de 2019 com a finalidade de diminuir os gastos com energia elétrica e desenvolver uma cultura de colaboração dos alunos e servidores com a Universidade e o meio ambiente.

As dicas se aplicam a qualquer instituição de ensino superior e a qualquer outro local, inclusive residências e empresas em geral:

  • desligue o aparelho se o ambiente estiver vazio;
  • mantenha as portas e as janelas fechadas se o ar-condicionado estiver ligado;
  • caso seja o último a sair, não se esqueça de apagar as luzes;
  • abra as janelas e as cortinas para melhor aproveitar a luz do sol;
  • evite acender as lâmpadas durante o dia;
  • ao fazer uma pausa enquanto estiver no computador, desligue o monitor, pois ele consome muita energia;
  • caso a pausa seja prolongada, desligue o computador;
  • ao sair do ambiente, certifique-se de que o computador está desligado.

5. Use menos o ar-condicionado para evitar consumo alto de energia e água

Conforme o Instituto Mauá de Tecnologia, um dos equipamentos que mais consomem energia é o ar-condicionado. Ele pode equivaler a aproximadamente 50% de aumento nas contas de luz. E a Comissão Nacional de Energia afirma que 90% de nossa energia é gerada em usinas hidrelétricas.

Dessa maneira, o aumento no consumo de energia elétrica, ocasionado pelo uso excessivo do ar-condicionado, implica no aumento do consumo de água. O consumo alto de água, por sua vez, pode exigir a construção de mais usinas, que prejudicam a fauna e a flora, e podem causar falta d'água nos períodos de estiagem.

6. Fique atualizado: já existe um composto que ajuda a economizar energia

Manter-se atualizado também ajuda a economizar energia em Goiânia e em qualquer lugar. Um estudo da UFG, por exemplo, descobriu um composto químico que permite economizar energia em televisões e celulares. Ele aumenta de 20% para 75,4% a eficiência das telas!

Esse composto ajuda a reduzir o valor das contas de luz e aumenta a durabilidade das baterias dos smartphones e tablets. É feito à base de moléculas ligadas ao cádmio, um elemento químico. Para colocar essa dica em prática, no entanto, será necessário aguardar esses produtos com telas mais eficientes chegarem ao mercado.

Diante de tudo que dissemos, concluímos que pequenas medidas diárias podem ajudar – e muito! – na redução dos gastos com energia e no cuidado ao meio ambiente.

E para quem pode investir, uma das soluções mais eficiente para reduzir as contas de luz é usar energia solar em Goiânia, pois trata-se de uma fonte limpa e renovável. Além disso, os custos com a compra dos equipamentos e a instalação estão caindo, o que torna o seu custo-benefício um dos melhores do setor, considerando a durabilidade do sistema e o tempo médio de payback (entre 2 a 5 anos).

Gostou do texto? Ele foi útil para você? Então aproveite e entre em contato com a HCC Energia Solar de Goiânia para obter mais detalhes sobre energia solar na capital!