Conheça o diferencial de painéis solares integrados à construção

Conheça o diferencial de painéis solares integrados à construção

Tempo de leitura: 

4 minutos

A energia solar consiste na conversão dos raios de sol em eletricidade. Isso acontece nos módulos fotovoltaicos: o processo é otimizado pelo uso de painéis solares integrados à construção, melhorando o aspecto geral da obra e tornando a produção de energia mais eficiente.

Quer entender como ocorre a integração, além dos benefícios proporcionados por ela para os consumidores e a construção? Continue lendo este artigo!

Quais são os equipamentos para a integração da energia solar à construção?

A popularização da energia solar começou a crescer no Brasil com a resolução normativa número 482 (de 2012) da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica). Ela regulamentou a microgeração e a minigeração distribuídas, possibilitando a instalação de sistemas fotovoltaicos nas casas.

Nesse cenário, existem equipamentos necessários para a captação da luz do sol, como os painéis solares, vidros e telhas fotovoltaicos. Entenda o funcionamento de cada um deles a seguir.

Painel solar

O painel solar é formado por inúmeras células fotovoltaicas fabricadas a partir de um material semicondutor — geralmente, o silício. Quando essas células são expostas à radiação do sol, parte de seus elétrons absorvem os fótons, que são as partículas de energia da luz solar.

Então, os elétrons livres são transportados até serem atraídos por um campo elétrico formado devido à diferença de potencial do material semicondutor. Esses componentes são empurrados para fora das células e ficam prontos para se converterem em eletricidade.

Os painéis solares são constituídos por camadas sobrepostas de material. As células fotovoltaicas consistem em uma lâmina de silício ultrapuro, com espessura de aproximadamente 2 mm. Elas são envoltas em um material selante: um filme encapsulante de acetato-vinilo de etileno.

A estrutura é responsável pela proteção da parte semicondutora contra o desgaste e o envelhecimento das células ultravioleta, as altas temperaturas e a ação da umidade da chuva. Esse filme é transparente e, portanto, permite que a luz visível atinja as células.

Superfície

Na superfície do painel, entre o encapsulante e a moldura de alumínio, fica o vidro que é desenvolvido especialmente com a finalidade de evitar a reflexão e deixar que o máximo de luz passe através dele. Para tanto, a peça é fabricada com baixo teor de ferro e tem grande resistência mecânica, não sofrendo danos quando atingida por galhos, folhas e até chuva de granizo.

Parte posterior

Já na parte posterior do equipamento, é colocado o backsheet para a proteção e o isolamento elétrico dos componentes. Por ser formado por três camadas, ele tem a aparência de um plástico branco.

Por fim, a caixa de junção é fixada atrás do módulo solar. Essa peça é de extrema importância, pois permite a conexão de strings, ou seja, a ligação em série entre várias placas. Cada estrutura tem uma potência fixa, portanto a produção de eletricidade apresenta um valor máximo.

Assim, a quantidade de energia gerada depende do espaço disponível para a fixação dos painéis. Em geral, isso é feito na cobertura ou no telhado das construções, o que funciona bem em casas cuja área livre seja suficiente para a alimentação das funcionalidades elétricas. No entanto, devido ao número de habitações, isso pode ser mais complicado nos prédios.

Telhas e vidros fotovoltaicos

Pensando em eficiência energética (principalmente para edifícios), foram desenvolvidos painéis solares integrados à construção no formato de telhas e vidros. Trata-se de uma solução que serve também para melhorar a captação solar em regiões de baixa insolação.

Os vidros são adaptados para diversas utilizações — entre elas, a fachada. Nesse caso, a estrutura produz energia enquanto isola térmica e acusticamente o prédio. O material pode, ainda, substituir os vidros tradicionais adotados na construção de muros cortina.

Outras aplicações interessantes do equipamento fotovoltaico são: no desenvolvimento da cobertura de marquises e na pavimentação de rodovias. Esses vidros apresentam diversas cores e padronagens, tendo grandes chances de combinarem facilmente com o estilo arquitetônico escolhido.

As telhas solares são estruturas fotovoltaicas em tamanho reduzido, com o formato e a aparência das convencionais. Elas geram eletricidade enquanto compõem a estrutura física do telhado, o que torna a integração dessa tecnologia menos pesada na aparência das casas.

Por que essa integração é vantajosa?

É fato que a energia fotovoltaica já promove inúmeros benefícios por si só. Com ela, a economia na conta de luz é garantida. Os descontos variam entre 50% a 95% da medida mensal, dependendo de fatores como quantidade de painéis solares e tamanho da construção.

Outra vantagem econômica é a troca com a concessionária de energia, ou seja, quando há excesso de eletricidade gerada, o que sobra vai para a rede e é computado como créditos. Posteriormente, eles podem ser transformados em descontos.

Há também os benefícios ambientais, pois, como uma fonte limpa e renovável, a energia solar promove a sustentabilidade. Seu uso diminui o rastro de carbono e promove um consumo mais consciente.

Com a integração às construções, tudo isso é otimizado. A economia é ainda maior porque mais eletricidade é produzida. Além disso, no caso de vidros fotovoltaicos aplicados na fachada, os gastos com climatização, como aquecedores e condicionadores de ar, são reduzidos.

Como a energia solar impacta a construção civil?

A construção civil tem se adaptado a essa tendência aos poucos. Empresas do setor vêm investindo na tecnologia — é o caso da MRV Engenharia, que fez um investimento de 800 milhões em energia solar no começo de 2018. O objetivo é que todos os empreendimentos da corporação sejam adaptados a essa produção de eletricidade de forma gradativa.

Trata-se de uma inovação que, além de tornar casas, edifícios ou condomínios mais sustentáveis e independentes das tarifas abusivas de energia, agrega valor comercial às construções. Dessa forma, sistemas de energia solar são investimentos com retorno garantido.

Pronto! Agora você já sabe como funcionam os painéis solares integrados à construção e por que eles são vantajosos em diversos aspectos. Mas tenha em mente que o sucesso dessa integração depende da qualidade da prestação do serviço.

Portanto, é imprescindível buscar por empresas sérias e conceituadas, que tenham experiência no setor e sejam capazes de fazer seu projeto da melhor maneira possível.

Achou nosso conteúdo interessante? Então, compartilhe-o nas redes sociais para que seus contatos saibam mais sobre os painéis solares integrados à construção!