INTERSOLAR 2018: o que eu vi na maior feira de tecnologia solar da América do Sul

INTERSOLAR 2018: o que eu vi na maior feira de tecnologia solar da América do Sul

Tempo de leitura: 

3 minutos

Nos últimos dia 28 e 29 de agosto participei da INTERSOLAR South America, realizada em São Paulo. O sentimento que tive quando cheguei à feira e vi todo aquele movimento foi de alegria. A feira praticamente dobrou em um ano, então a motivação tomou conta de mim e parti para uma intensa imersão nesse universo contagiante.

Como comentei, a feira acompanhou o crescimento do mercado e dobrou em relação ao ano anterior. Lá havia muitas empresas novas mostrando suas soluções e um congresso recheado de especialistas, debatendo assuntos importantes para o setor fotovoltaico. Tudo isso possibilitava um networking muito rico, mais experiente e mais propositivo do que crítico. Assim podemos resumir a INTERSOLAR de 2018.

Principais novidades apresentadas na Intersolar 2018

A indústria de módulos fotovoltaicos veio forte para a feira. Novos fabricantes buscando a penetração no mercado nacional e a consolidação das empresas que já atuam aqui. As soluções tecnológicas passam essencialmente pelo aumento da potência dos módulos e a melhor eficiência. Todas essas maravilhas chegarão aos poucos ao mercado doméstico, já que a principal barreira ainda é o valor que tende a ser superior em até 10% aos módulos policristalinos usuais.

Os inversores também chamaram atenção na INTERSOLAR. Muitas máquinas novas e uma quantidade grande de expositores estavam na feira. Destaco a relevância que as empresas estão dando ao monitoramento e gestão energética da instalação.

A FRONIUS com o Smart Meter promove uma gestão energética da instalação, além disso, demonstra que seus inversores estão adaptados às novas tendências de Storage e Internet of things. Outro destaque positivo são os otimizadores de potência da SolarEdge distribuídos em toda a instalação e prometendo uma maior eficiência da instalação em função de MPPTs distribuídos em um equipamento inversor centralizado.

O que poderia ser melhor

Um ponto que me chamou a atenção negativamente foram as opções de Storage. No meu entendimento poucas e ainda modestas opções, em comparação ao que estamos vendo em outras partes do mundo. Percebi isso quando levei uma solução de um projeto que estamos montando aqui na HCC Engenharia e nenhum dos expositores conseguiu contribuir com especificações ou valores, fato esse que mostra que ainda estamos engatinhando nesse assunto.

A energia solar fotovoltaica combina perfeitamente com veículos elétricos e storage e percebi que assunto não foi bem explorado pela maioria dos expositores. Faltaram proposições de modelos de soluções, negócios que explorassem esse tipo de alternativa.

O setor de O&M de plantas fotovoltaicas também não apareceu com força na feira. Poucos expositores apresentavam alternativas de gestão de operação e manutenção das plantas e as poucas que apresentaram demonstram ainda não estar acompanhando as tendências tecnológicas da área.

Congresso, palestras e workshop

Infelizmente com a agenda cheia não consegui acompanhar algumas palestras e eventos do congresso. Nos que participei pude perceber que a mudança da legislação, que está por vir, está deixando todos alarmados.

Há uma preocupação muito grande que isso afete diretamente nosso mercado, o diminuindo. Percebo que muitas empresas do segmento estão trabalhando forte na defesa do setor dos ataques recorrentes das distribuidoras, mas uma outra grande parte parece que está preocupada somente em surfar a crista da onda e pouco interessada na continuidade da Geração Distribuída.

Tomara que com o congresso consigamos mais aliados para fortalecer nossas associações e poder lutar de maneira estratégica para a manutenção e evolução da energia solar fotovoltaica.

Por fim, posso dizer que a INTERSOLAR me revelou que nosso mercado é um dos mais promissores do mundo. Temos uma boa tecnologia e muita gente boa se especializando para fazer da solução de GD uma grande experiência ao cliente. Mas ainda precisamos atrair mais tecnologia, melhorar nossas soluções, estudar mais. É importante sermos mais propositivo do que apenas criticar. Temos tudo em nossas mãos, é só correr e fazer a diferença.

Quer acompanhar outras novidades da HCC e do mercado de energia solar? Siga as nossas redes sociais. Estamos no Facebook, no Instagram e no LinkedIn.