Saiba agora como escolher o melhor painel solar para cada projeto

Saiba agora como escolher o melhor painel solar para cada projeto

Tempo de leitura: 

4 minutos

O autoconsumo de eletricidade vem ganhando destaque no país graças à popularização da energia solar. Isso se deve à economia resultante da geração própria e à fonte limpa e renovável. Para um sistema solar ser eficaz, é preciso que a captação dos painéis seja otimizada.

Assim, saber como escolher o melhor painel solar é vital para que o investimento valha a pena. Esse equipamento é feito de um material semicondutor, em geral o silício. Entre os que são fabricados desse elemento, há os monocristalinos e os policristalinos, que se diferenciam em sua estrutura pela formação de cristais.

Outros dois tipos de painéis mais conhecidos são os de silício amorfo e de filme fino. São menos comuns, mas, ainda sim, possuem aplicabilidade. Neste texto, explicaremos quais os principais aspectos que influenciam a escolha de um modelo de painel solar. Acompanhe!

Eficiência

O painel fotovoltaico eficiente é aquele que consegue produzir mais energia com a mesma incidência solar. Cada tipo de módulo fotovoltaico possui um potencial diferente. Assim, quanto mais quilowatts-hora por m² o equipamento produz, maior é a sua eficiência.

Existem alguns pontos que devem ser analisados ao determinar o quão eficiente uma placa é. O painel de silício monocristalino, por exemplo, é assim chamado, porque cada célula possui um cristal de silício ultrapuro. Essa pureza faz com que esse modelo tenha uma captação da irradiação muito eficaz e, portanto, mais energia produzida.

Os monocristalinos chegam a ser 21% mais eficientes que os demais tipos. Dessa forma, para projetos que requerem uma demanda muito grande de eletricidade, são os mais indicados, pois, a relação entre a área instalada e eletricidade produzida é maior.

Os painéis de silício policristalino possuem em sua estrutura células fotovoltaicas com múltiplos cristais, que dificultam um pouco a passagem dos raios, devido à impureza, e, por isso, eles têm eficiência um pouco menor — variando entre 13% e 16%.

Tanto o silício monocristalino quanto o policristalino são opções bastante viáveis pela alta conversão de energia e durabilidade. Já o silício amorfo possui um grau de desordem atômica muito alta, o que reduz a geração de energia drasticamente.

Os filmes finos têm se tornado bastante populares nos meios de pesquisa por serem uma forma de utilizar polímeros orgânicos para geração de energia solar. Ainda assim, a eficácia é baixa e, por enquanto, não têm viabilidade comercial.

Garantia e assistência técnica

É convencionado que a durabilidade de um painel solar é de 25 anos com eficiência de 80%, e essa é a sua garantia durante a comercialização. No entanto, quando são feitas as inspeções regulares e uma manutenção adequada, sua vida útil pode ultrapassar os 30 anos. Existem alguns sistemas que estão em funcionamento desde os anos de 1970!

Cada material possui a própria resistência, mas ambos modelos cristalinos são igualmente duráveis. Apenas o silício amorfo apresenta desvantagem nesse aspecto, pois sua deterioração já começa com o primeiro uso.

Mesmo com a garantia de quase três décadas, é preciso verificar se a empresa que proporciona os equipamentos e a instalação oferece também assistência técnica. Isso é importante para que o consumidor não seja prejudicado por eventuais defeitos de fábrica ou de funcionamento.

Em geral, é fornecida uma assistência de cinco anos para troca de equipamentos e manutenção, sem custo adicional.

Camada inferior

Para a formação dos painéis fotovoltaicos, as células são envoltas em camadas de outros materiais. Na parte voltada para a superfície, estão uma moldura de alumínio, um vidro especial — resistente ao impacto de granito e com baixo teor de ferro, evitando a reflexão — , e uma camada de encapsulante — protetor contra envelhecimento das células, causado pelos raios ultravioleta.

Por baixo da célula é colocada mais uma camada de encapsulante e um filme branco chamado de Backsheet. O Backsheet é um revestimento inferior do equipamento, composto por três seções que lhe conferem a aparência de um plástico grosso. Sua função é isolar as células solares eletricamente, impedindo a ocorrência de curtos.

O Backsheet deve ser de qualidade, porque a presença de bolhas na folha, ou a dificuldade de aderir às outras partes, pode prejudicar o funcionamento do equipamento e colocar em risco a segurança da instalação

Cada painel possui ainda uma caixa de junção na sua parte de trás que serve para fazer a conexão elétrica das strings. A string consiste na ligação dos painéis em série por meio de cabos. Cada caixa possui diodos de by-pass que efetuam a segurança dessas conexões e do funcionamento.

Coeficiente de temperatura

O Brasil é beneficiado pela alta insolação em seu território, mas junto a isso, vem a elevada temperatura, que pode atrapalhar a produção da energia solar. De fato, as células fotovoltaicas têm melhor desempenho quando a temperatura do ambiente é menor ou igual a 25 graus Celsius. Se o clima estiver muito quente, esse desempenho cai.

Assim, o coeficiente de temperatura reduz a eficiência do equipamento, quando sob temperaturas maiores que a citada. É preciso verificar com o fabricante qual é esse índice. Uma porcentagem entre 0,4% e 0,5% é razoável para o bom funcionamento, mas, a partir de 0,6%, é melhor desconsiderar o produto em questão.

Valor e custo-benefício

Outro aspecto relacionado a escolha do melhor painel solar é o seu preço. Esse é um investimento relativamente alto, mas as opções de material podem encarecer ou baratear essa cifra.

Os painéis de silício monocristalino são os mais eficazes devido a sua pureza, como foi dito. Mas seu processo de fabricação é mais complicado e envolve perda de material, o que torna essa a alternativa mais custosa.

Os modelos monocristalinos são fabricados de forma mais simples, por isso, o seu valor é bem mais em conta. Como a produção de energia não chega a diminuir significativamente, o seu custo-benefício é mais vantajoso que o modelo anterior.

Agora você já sabe como escolher o melhor painel solar levando em consideração os fatores que foram citados. Lembre-se de que é preciso verificar a qualidade dos serviços oferecidos pela empresa de instalação para que seu projeto tenha sucesso!

Gostou deste conteúdo? Então, continue no nosso blog e saiba também qual é a resistência de uma placa solar.