Veja aqui como escolher uma empresa de energia solar com excelência!

Veja aqui como escolher uma empresa de energia solar com excelência!

Tempo de leitura: 

13 minutos

A energia solar é a principal tecnologia quando se fala em economia e preservação ambiental. Mas, para que esse serviço forneça as vantagens prometidas, é preciso saber como escolher uma empresa de energia solar. Isso envolve diversos aspectos, como o preço do serviço, o atendimento, o histórico da empresa e a qualidade dos equipamentos.

Neste texto, trouxemos diversas informações, como: o que é energia solar e como ela funciona, a sua importância e as principais dicas para escolher uma empresa que seja responsável na hora de entregar o serviço prometido. Continue lendo para melhorar o seu conhecimento acerca desse assunto!

O que é energia solar?

A energia solar é, essencialmente, a energia proveniente dos raios solares que se manifesta em forma de luz ou calor. Existem alguns tipos de energia que derivam dessa fonte, e vamos elencá-las a seguir para explicar as diferenças. Veja!

Energia solar térmica

Esse tipo de tecnologia consiste no aproveitamento do calor do sol para o aquecimento de outro meio. Uma aplicação bastante comum é o aquecimento de água para uso doméstico, que é feito por meio da instalação de um sistema específico na casa.

Esse sistema é composto por um reservatório térmico e por placas solares. Também chamadas de coletores, as placas ficam no telhado ou na cobertura para captação do calor. Esse calor é transferido para a água, que fica armazenada dentro do reservatório ou boiler e circula por meio do termossifão.

Dessa maneira, quando é acionada, a água quente é levada até os chuveiros e as pias que são ligados à tubulação. É importante ter em mente que esse tipo de energia não substitui a energia elétrica em outras funcionalidades.

Energia solar heliotérmica

A energia heliotérmica também utiliza o calor do sol, mas de maneira diferente dos sistemas de aquecimento de água para uso doméstico. Antes de aquecer um outro meio, o calor é acumulado para uso posterior.

Dessa forma, mesmo que o sol produza mais calor do que o necessário, essa energia não é perdida. Um líquido chamado fluido térmico é aquecido, e é nele que a energia térmica é armazenada. Esse líquido é usado para o aquecimento da água e para produzir vapor.

Dessa maneira, o funcionamento do sistema heliotérmico é semelhante ao do termoelétrico; a turbina é movimentada pelo vapor e aciona o gerador para produção de energia elétrica. Aqui há transformação da energia térmica em mecânica e, em seguida, em elétrica. Essa produção de eletricidade é voltada para usinas. A produção individual em ambientes domésticos não é possível.

Energia solar fotovoltaica

Vimos que, com o calor do sol, é possível obter diferentes formas de energia. Mas será que é possível aproveitar a sua luz de maneira semelhante? Sim! É assim que é produzida a energia solar fotovoltaica! Essa é também uma forma de eletricidade, mas, ao contrário do que acontece na energia heliotérmica, a sua produção não é indireta.

Um sistema fotovoltaico é composto por um conjunto de módulos fotovoltaicos, que são fixados em locais onde a luz solar chega sem interferência, como telhados ou estacionamentos. Nesses módulos, os raios são diretamente transformados em eletricidade. O sistema conta, ainda, com equipamentos de proteção e de transformação de corrente.

A produção de energia fotovoltaica pode ser feita em casa, onde a quantidade de painéis utilizados depende do consumo dos moradores. Há ainda outras aplicações, como condomínios solares, compartilhamento de energia e autoconsumo remoto. Ela também pode ser utilizada em áreas comerciais, industriais e rurais, alimentando todas as funcionalidades elétricas.

Como a energia solar funciona?

Entenda mais sobre como funciona a energia solar a partir dos equipamentos mais comuns ao sistema fotovoltaico.

Painel fotovoltaico

Como foi dito, a eletricidade gerada é produzida nos painéis fotovoltaicos, também chamados de módulos. Esses painéis apresentam molduras metálicas que servem para proteger o resto da estrutura. Geralmente, a moldura é feita de alumínio anodizado.

Um dos elementos mais sensíveis desse equipamento são as células fotovoltaicas, que convertem a luz solar em energia elétrica por meio do efeito fotovoltaico. Esse efeito ocorre porque as células são formadas por um material semicondutor que, na presença da luz do sol, gera uma tensão elétrica.

As células são unidades menores, conectadas entre si para formar a placa solar e revestidas nos dois lados por um filme encapsulante (que protege o material contra o envelhecimento causado pelos raios ultravioletas). Ainda para a proteção, há o backsheet, que consiste em um filme branco que age como um isolante elétrico.

Para o seu funcionamento pleno, o módulo conta com um vidro fabricado especialmente para geração de energia solar. Esse vidro apresenta menor reflexão e maior absorção, facilitando a passagem da luz para as células. Atrás do painel, é instalada a caixa de junção, na qual ficam os cabos e conectores responsáveis por ligar os módulos entre si e com as outras partes do sistema.

Inversor de frequência

A corrente gerada nas placas é contínua (CC), e deve ser convertida para corrente alternada (CA) para que seja padronizada de maneira adequada. É o inversor solar que realiza essa transformação, de maneira que o sistema fique no mesmo padrão dos aparelhos elétricos e da rede de distribuição de energia. Portanto, trata-se de um equipamento de extrema importância.

Alguns inversores apresentam transformadores em seu interior, e há, ainda, aqueles que realizam monitoramento da energia. O inversor é fixado no local que for mais adequado, dependendo do tipo de instalação.

Em residências, ele pode ser colocado junto ao quadro de distribuição de energia. Para instalações maiores, como indústrias ou usinas, são reservados espaços próprios para isso, devido às dimensões do aparelho.

String Box

Devido à importância do inversor de frequência, é necessário um equipamento especial para fazer a sua proteção, e esse é o caso da String Box. Trata-se de um tipo de quadro elétrico em formato de caixa metálica. Ela recebe esse nome porque é ligada entre o inversor e o conjunto de módulos, que é chamado de string.

A String Box tem o papel de evitar a propagação de eventuais problemas elétricos, como surtos e curtos. Ela apresenta elementos internos, como o Dispositivo de Proteção contra Surtos (DPS), os fusíveis e o disjuntor. Em caso de alguma avaria, esses componentes são sacrificados e não comprometem os demais equipamentos.

Qual a importância da energia solar?

Entenda mais sobre a relevância dessa forma de energia para o meio ambiente, para a economia e para o mercado consumidor!

Meio ambiente

O mundo passa por um processo em que é necessário buscar ações sustentáveis em diversos setores da sociedade. Assim, o uso de fontes de energia renováveis e limpas se torna cada vez mais presente na luta pela preservação ambiental. Isso ocorre enquanto a demanda energética no planeta é ampliada, tornando a necessidade de mudança das fontes ainda impreterível.

Mesmo com a produção de eletricidade considerada, é preciso avaliar o nível dos impactos causados com a geração. No Brasil, por exemplo, boa parte da produção de energia tem origem nas usinas hidrelétricas. Devido à natureza dos recursos utilizados, esse tipo de eletricidade é considerado renovável; entretanto, há um grande impacto relacionado a ela.

Para a construção das usinas, é preciso alterar a rota de um rio, por meio de sua canalização. Com isso, há risco de alagamento acidental de áreas não designadas para isso. Tal fato acaba submergindo algumas porções de terra, provocando o desabrigamento de famílias ribeirinhas e impedindo a utilização de terras férteis.

Além disso, a instalação desses empreendimentos demanda a inundação de áreas de grande extensão, muitas vezes com dimensão de centenas de quilômetros quadrados. Com isso, uma grande quantidade de vegetação e de animais acaba morrendo, o que, além de ser um prejuízo em termos de diversidade no ecossistema, acaba gerando gases poluentes pela decomposição da matéria orgânica morta.

Devido a isso, é preciso pensar em opções mais ambientalmente amigáveis, como a energia solar. A instalação dessa tecnologia tem impacto reduzido, sem produção de gases poluentes, calor ou ruídos, influenciando apenas em nível local. O recurso utilizado para a geração de eletricidade — a luz do sol — é praticamente inesgotável, o que torna essa opção verdadeiramente renovável.

Para a fabricação dos módulos fotovoltaicos, mais especificamente para as células fotovoltaicas, é necessário extrair o mineral quartzo para a obtenção de silício — que é um metal semicondutor. Devido à grande abundância desse mineral no planeta e no território nacional, e à alta durabilidade dos componentes fotovoltaicos, a exploração do recurso é viável para o uso de energia solar.

Sendo uma nação que participa de diversos acordos mundiais, o Brasil precisa cumprir com certos compromissos estabelecidos. Um exemplo disso é o Acordo de Paris, que foi assinado por 195 nações em 2015 durante o evento COP21, ou Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas, que ocorreu em Paris.

A conferência teve como objetivo firmar o compromisso de reduzir as emissões dos gases causadores do efeito estufa. O Acordo entrará em vigor em 2020 e tem como grande meta que, até o ano de 2100, a temperatura média do planeta aumente em menos 2°C para estabilizar os desastres naturais que já estão em curso e evitar o surgimento de outros.

O Brasil possui um documento chamado Contribuição Nacionalmente Determinada (da sigla em inglês NDC). Nele, constam as principais contribuições do país para o acordo climático, como o comprometimento em reduzir as emissões de gases de efeito estufa em 37% abaixo das emissões de 2005 até 2025. É esperada, ainda, uma redução de 43% abaixo das emissões de 2005 até 2030.

Para alcançar tais indicadores, será preciso reflorestar 12 milhões de hectares de vegetação, acabar com o desmatamento e assegurar 45% de fontes renováveis de energia. Assim, saber como escolher uma empresa de energia solar contribui para o meio ambiente de maneira geral, para diminuição da dependência de combustíveis de origem fóssil e para o cumprimento de metas de importância internacional.

Economia

A contribuição econômica da energia solar começa com o consumidor comum. Os brasileiros lidam anualmente com tarifas energéticas abusivas, que sofrem flutuações de acordo com a demanda nacional e acabam encarecendo o consumo de eletricidade.

Dessa maneira, adquirir um sistema fotovoltaico é uma maneira de se ver livre dessas taxas. De acordo com o tipo de sistema instalado, a diminuição do valor da conta de luz varia entre 50% e 95%.

No ambiente doméstico, podemos contar com variações do consumo de eletricidade no decorrer do ano devido a diversos fatores. No inverno, por exemplo, a demanda de energia pode aumentar devido ao uso de chuveiros com potência maior, além de aquecedores.

Já em época de férias escolares e festas de fim de ano, o consumo tende a diminuir para aquelas famílias que viajam para outras cidades. Considerando isso, é possível encontrar uma outra forma de economizar.

Quando o consumo de uma unidade excede a sua produção, a rede concessionária fornece o que falta para cobrir todas as funcionalidades elétricas. Quando o contrário ocorre, ou seja, a eletricidade gerada não é toda usada, aquilo que sobra retorna para a rede.

Esse excedente é registrado como crédito por meio de um medidor instalado no sistema. Esses créditos servem para gerar descontos na conta de eletricidade ou para suprir a demanda quando há necessidade.

Outra vantagem importante é a valorização dos imóveis a partir da instalação de um sistema fotovoltaico. Isso quer dizer que quem faz investimento em energia solar para sua residência pode vendê-la por um preço mais alto futuramente. O motivo disso ocorrer é a autonomia promovida pelos equipamentos e o fato de cada vez mais pessoas buscarem por produtos e serviços associados ao marketing verde.

Escolher uma empresa de energia solar adequada contribui, inclusive, para a diversificação da matriz energética nacional. Como consequência disso, a eletricidade fornecida de maneira convencional, como pelas hidrelétricas, tem seu uso diminuído.

Por fim, a venda, a instalação e a manutenção dos sistemas são geradoras de empregos, à medida que são necessários diversos tipos de profissionais para que essa tecnologia funcione de maneira adequada e seja vantajosa para todos. Vendedores, engenheiros, eletricistas e empresários são alguns dos tipos de trabalho que energia solar gera.

Novas formas de consumo

Algumas regulamentações da Aneel permitiram também que surgissem novas modalidades de consumo de energia fotovoltaica e, a partir daí, novos tipos de negócios foram criados. Isso contribuiu para o marco da geração distribuída, que chegou a 1GW em junho de 2019.

A geração compartilhada, por exemplo, possibilitou que mais pessoas pudessem ter acesso a essa tecnologia. Ela consiste na união de, pelo menos, duas pessoas (físicas ou jurídicas) para a formação de um consórcio ou cooperativa. Esse grupo faz a instalação dos equipamentos em um local diferente de onde a energia consumida.

Nesse caso, todos os membros do consórcio dividem as despesas e compartilham dos créditos gerados naquela unidade. Isso é ideal, por exemplo, para um grupo de moradores de uma vizinhança que tem interesse em adquirir esse serviço, mas não tem onde instalar os equipamentos.

Dessa forma, é possível alugar um terreno livre de obstáculos que possam gerar sombras e otimizar a geração de eletricidade. Há também a possibilidade de empreendimentos com múltiplas unidades consumidoras. Esse é o caso dos condomínios, onde vários domicílios recebem energia de um único sistema.

Assim, não há formação de consórcio, porque é a administração do empreendimento que é responsável pelo sistema. Além disso, áreas comuns, como salão de festa, jardim, hall de entrada e elevadores, também podem se beneficiar disso.

A tecnologia fotovoltaica também representa um avanço para o uso de energia elétrica na zona rural. Em regiões mais remotas, onde há dificuldade para que a rede convencional chegue, o armazenamento de energia é uma boa alternativa.

Com o uso de sistemas fotovoltaicos off grid — que não se conectam à rede concessionária — é possível acumular energia em baterias para, assim, utilizá-la posteriormente.

Como escolher uma boa empresa de energia solar?

Saiba como fazer uma escolha adequada!

Verifique o histórico da empresa

O primeiro passo para saber como escolher uma empresa de energia solar que seja confiável é pesquisar o histórico da corporação. Isso pode ser feito conversando com clientes que já fecharam negócio, prestando bastante atenção no feedback fornecido por eles. Há sites especializados em resolver conflitos entre empresas e consumidores, por isso, vale muito a pena fazer uma busca na internet também.

Conheça os equipamentos da empresa

Procure conhecer também os equipamentos do serviço que você está adquirindo. Verifique a confiabilidade da marca dos componentes e procure saber a respeito dos certificados de segurança.

Com uma pesquisa básica, você já consegue descobrir quais são as principais certificações que esse tipo de tecnologia precisa apresentar, além de quais são as normas, internacionais e nacionais, que devem ser cumpridas. Em nenhuma hipótese compre um equipamento de origem desconhecida!

Verifique se existem garantias

É importante verificar a garantia oferecida pela empresa, tanto de funcionamento do sistema quanto de instalação. Mesmo equipamentos de qualidade podem apresentar defeitos relacionados a sua fabricação, por isso, saiba quais são as trocas que a garantia cobre. Uma garantia que seja satisfatória geralmente inclui serviços de manutenção dos painéis e outros equipamentos.

Certifique-se de que o atendimento da empresa é satisfatório

A sua experiência com o atendimento também é um fator a ser levado em conta na hora de escolher a empresa de energia solar. Dessa maneira, observe a boa vontade do vendedor em sanar as dúvidas e, principalmente, a transparência das informações passadas.

Se for entrar em contato por e-mail ou mesmo por um chat, fique atento ao tempo que a empresa demora para retornar o seu contato. Isso pode fazer toda a diferença no fim das contas, porque reflete no serviço como um todo.

Observe a preocupação da empresa com as necessidades do cliente

Um sistema fotovoltaico não pode ser vendido de qualquer maneira, sem que antes seja feita uma análise em relação às necessidades do consumidor. Assim, é feito um cálculo para saber a quantidade de painéis necessários para suprir a demanda energética.

Para isso, a empresa deve levar em conta o consumo da unidade nos últimos doze meses, a quantidade de aparelhos elétricos que o local possui e a rotina do cliente e sua família.

Verifique a capacidade da equipe

É imprescindível conhecer a capacidade dos profissionais que fornecerão esse tipo de energia. Procure saber qual a formação dos principais trabalhadores envolvidos nos projetos fotovoltaicos.

É importante que eles tenham experiência em instalar energia solar, sendo eletricistas treinados nessa área. Também é necessário que quem está a frente do projeto seja um engenheiro com formação comprovada.

Analise se há um bom pós-venda

Em se tratando de tecnologia fotovoltaica, o pós-venda é muito importante. A empresa deve acompanhar o cliente de perto, sempre procurando entrar em contato para saber o nível de satisfação com o serviço e como está a economia com a conta de luz. Dessa maneira, você terá mais confiança em, futuramente, expandir o sistema adquirido, aproveitando ainda mais a energia solar.

Quais os cuidados e a importância de escolher uma boa empresa de energia solar?

Antes de fechar negócio com uma empresa de energia solar, procure compará-la com as principais concorrentes do segmento. Além de levar em conta fatores como qualidade do serviço e dos equipamentos, observe também o valor e as condições de pagamento.

Como uma regra comum a praticamente todos os tipos de negócio, desconfie se o preço for muito abaixo da média do mercado. Verifique também se a empresa aceita financiamento de bancos privados ou estatais ou se há outras formas de incentivo para a aquisição do serviço.

Escolher uma empresa de energia solar adequada garante que o sistema que você adquirir funcionará por muito tempo e que será seguro para a sua casa e para os seus familiares. Dessa maneira, os gastos relacionados à tecnologia fotovoltaica serão transformados em um investimento que terá resultado desde o primeiro mês de uso.

Pronto! Agora ficou mais fácil saber como escolher uma empresa de energia solar que seja séria e compromissada, além de adequada às suas necessidades enquanto consumidor. Tenha em mente que adquirir um sistema fotovoltaico é investir em um futuro mais sustentável e saudável!

Gostou do texto? Então, para continuar tendo acesso aos nossos conteúdos e a novas informações sobre o assunto, siga a nossa página do Facebook agora mesmo!