6 fatores que causam aumento na conta de luz!

6 fatores que causam aumento na conta de luz!

Tempo de leitura: 

5 minutos

Nos últimos anos, os brasileiros vêm enfrentando um constante aumento na conta de luz, sendo necessário atentar cada vez mais para o consumo, tanto residencial quanto das empresas.

São muitos os fatores que influenciam no valor final da sua conta (considerando que o local onde você reside altera a forma como as tarifas são cobradas), e nem sempre é possível promover economia de energia. Contudo, é essencial conhecer esses fatores e tentar reduzir o que se paga na conta de luz no final do mês.

1. Recentes aumentos

Não são só fatores climáticos que impactam o que pagamos na conta de energia elétrica. Em 2017, o governo repassou uma dívida de R$ 62,2 bilhões aos consumidores, que será paga ao longo de oito anos.

Essa dívida é referente às indenizações que foram pagas às concessionárias de transmissão de energia e representa um impacto de 7,17% na tarifa (o que não significa exatamente que a conta de luz ficou mais cara nesse mesmo percentual, já que ainda existem outros fatores).

Além disso, também há o recente sistema de bandeiras, usado quando as termoelétricas são acionadas — explicaremos em detalhes adiante.

2. Reajustes anuais

Todo ano, a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) reajusta o preço cobrado pelas distribuidoras levando em conta quatro componentes:

  • o custo da energia em quilowatts-hora (kWh);
  • o transporte da energia do local de geração ao de distribuição;
  • a distribuição em si, que leva energia até as casas;
  • os impostos e encargos.

O reajuste tem como objetivo garantir que as prestadoras de serviço tenham receita suficiente para dar continuidade aos serviços e realizar os investimentos necessários. Por isso, os custos repassados podem ser diferentes daqueles praticados pelas empresas.

3. Valores repassados aos consumidores

Além da dívida com as concessionárias citada no primeiro item, outros custos também são repassados aos contribuintes, o que contribui com o aumento na conta de luz.

A Aneel estimou que, em 2018, pagaremos R$ 16,431 bilhões nas contas de luz para cobrir os subsídios garantidos pelo governo no setor.

Quando o combustível encarece, o custo também é transferido. Em 2017, o litro do diesel aumentou e encareceu a geração de energia em usinas termoelétricas.

4. Bandeiras de luz

O sistema de bandeiras serve para indicar que o custo de energia está elevado e também é um sinal para economizar.

As bandeiras verde, vermelha e amarela representam o quanto a geração de energia está custando para as geradoras. Enquanto, na verde, não há nenhum acréscimo na conta, na amarela há um adicional de R$ 1,50 para cada 100 kWh consumidos e, na vermelha, R$ 3,00, para a mesma proporção de consumo.

Quando a bandeira está vermelha, é uma boa decisão fiscalizar o consumo de energia elétrica e tentar reduzi-lo. Para isso, algumas ações causam impacto positivo no valor final, como:

  • trocar as lâmpadas incandescentes por fluorescentes;
  • não deixar aparelhos conectados na tomada se não estiverem sendo utilizados;
  • utilizar tintas claras para valorizar a iluminação do ambiente interno e reduzir a necessidade de luz elétrica.

5. Mau uso dos aparelhos domésticos dentro de casa

Os eletrodomésticos são um dos maiores consumidores de energia e responsáveis pelo aumento na conta de luz. Mesmo que seja impossível deixar de utilizá-los, é importante verificar se há como reduzir esse consumo.

Para isso, confira algumas dicas:

Geladeira

Observe se a vedação da geladeira está perfeita e se ela está funcionando normalmente. Evite deixá-la aberta ou abri-la várias vezes por dia.

Uma boa estratégia é degelar o eletrodoméstico com frequência para otimizar sua capacidade de refrigeração sem que seja necessário gastar muita energia.

Máquina de lavar

Também é possível utilizar melhor a máquina de lavar. Quando for lavar roupa, espere que muitas peças sejam acumuladas e lave tudo de uma vez. Assim, a máquina funciona com toda a sua capacidade em grandes intervalos, reduzindo o consumo de energia.

Televisão

Evite deixar a TV ligada enquanto dorme. Utilize a função timer, se disponível, e programe para que desligue sozinha. Evitar deixar em stand by também é uma boa solução.

Ar-condicionado

Utilize o ar-condicionado apenas quando estiver no cômodo e, mesmo assim, opte pelo ventilador de teto quando disponível, pois ele consome 90% menos energia. Uma boa combinação é ligar o ventilador e deixar o ar-condicionado no mínimo.

Ainda sobre o ar-condicionado, mantenha portas e janelas fechadas enquanto o aparelho estiver ligado, limpe os filtros periodicamente, não tampe a saída de ar e proteja a sua parte externa contra a incidência do sol, caso contrário, isso pode resultado em um aumento na conta de luz.

Ferro de passar

Assim como na utilização da máquina de lavar, com o ferro de passar deve-se seguir o mesmo hábito. Acumule o máximo de peças e passe-as todas de uma vez.

6. Desperdício de energia com aparelhos de alto consumo

Alguns aparelhos consomem extremamente mais energia que outros. Deve-se redobrar a atenção quanto à utilização deles.

A primeira dica é comprar aparelhos que tenham o selo Procel (Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica).

A seguir, confira quais são esses aparelhos e como reduzir esse desperdício.

Chuveiro

O chuveiro elétrico é responsável, em média, por 25% do consumo de uma residência. Uma dica importante contra o aumento na conta de luz ao utilizar esse aparelho é verificar a opção em que ele se encontra, uma vez que a opção “verão” consome 30% menos que a “inverno”.

Ademais, é recomendado evitar utilizá-lo entre as 18h e as 21h, quando o consumo é maior.

Se possível, instale um aquecedor de água por energia solar.

Computador

Alguns acessórios são indispensáveis ao computador no dia a dia, como a impressora, as caixas de som e o estabilizador. Contudo, deixá-los ligados durante suas pausas na utilização é um desperdício de energia.

O monitor também é responsável por boa parte do consumo da sua máquina (70%). Configure-o para desligar sozinho após alguns minutos sem ser utilizado e, nas pausas mais prolongadas (mais de duas horas sem uso), desligue completamente o aparelho.

Carregadores

Quando o celular ou o notebook estiver com 100% da carga, evite deixá-los conectados ao carregador.

Mesmo o carregador na tomada sem o aparelho consome energia (você pode perceber que ele fica quente quando conectado à tomada).

Aparelhos em stand by

Assim como a TV, outros aparelhos que ficam em stand by (micro system, videogames, micro-ondas etc.) também configuram desperdício de energia, já que, mesmo nesse estado, representam 12% do valor que você paga na conta.

Algumas dicas podem parecer simples, mas são essenciais para a redução no que se paga em energia elétrica. Todas as recomendações também podem ser utilizadas nos ambientes da sua empresa, principalmente quanto a ar-condicionado, televisão e computador. Portanto, não deixe de ter atenção no que for possível para reduzir a sua conta.

Por falar em aumento na conta de luz, confira o nosso artigo sobre a implementação de energia solar no Nordeste e suas vantagens.

E se quiser maneiras de driblar os altos custos com energia elétrica, clique na imagem abaixo e faça o download do nosso e-book! Lá, você encontra 10 dicas que podem te ajudar a reduzir a conta de luz.