As 9 perguntas mais comuns sobre como empreender no mercado de energia solar

As 9 perguntas mais comuns sobre como empreender no mercado de energia solar

Tempo de leitura: 

6 minutos

Na crise econômica, montar um negócio pode ser uma forma de fugir do desemprego ou, ainda, uma oportunidade de ganhar mais do que como funcionário. No entanto, o período de incertezas aumenta o medo de o empreendimento ir por água abaixo. Sendo assim, como saber qual ideia de negócio dá certo em uma época em que todas as moedas são contadas?

Atualmente, inúmeras pesquisas e dados demonstram que empreender no mercado de energia solar é uma ótima opção, pois o segmento vem despontando no Brasil como o mais promissor para novos empreendedores.

No entanto, a decisão de empreender é muito delicada, principalmente diante do atual cenário. Por isso, destacamos as 9 dúvidas mais frequentes de como empreender neste mercado e ajudamos você a saná-las. Confira!

1. Quais são os primeiros passos que devo tomar para me tornar um empreendedor solar?

O primeiro passo é a qualificação. Por se tratar de uma área bem técnica, você precisa de conhecimentos específicos sobre equipamentos e sobre seu funcionamento. Seu negócio dependerá deles na tomada de decisão e nos desfechos operacionais.

Outra prática importante é sempre prezar pela qualidade dos serviços prestados. Esse item está intimamente ligado à qualificação, da qual você não deve abrir mão nunca. É sua qualidade que vai diferenciá-lo no mercado e vai evitar futuras dores de cabeça, durante e após a instalação do sistema solar.

2. Como devo me posicionar no mercado de energia solar?

Inicialmente, o empreendedor deve ter em mente qual o nicho de atuação que pretende trabalhar e qual o tamanho do investimento que pode fazer. Ou seja, quanto dinheiro e estudo pretende aplicar.

Atualmente, o mercado de geração centralizada é o menos atrativo para pequenas empresas com baixo poder de investimento. As soluções off-grid também apresentam baixo grau de atratividade, já que têm pouca demanda e aplicações muito específicas.

Sem dúvida, hoje o sistema solar on-grid, em especial a microgeração distribuída, é o grande mercado a se explorar dentro do setor solar.

3. Dentro do mercado solar on-grid, no que tenho que me especializar? Ou devo encarar toda a operação?

Essa pergunta também está relacionada com o seu poder de investimento e o quão grande será sua estrutura de suporte. Para pequenas empresas existentes ou profissionais que estão buscando empreender, o recomendado é que se atue somente em uma fatia da operação.

A operação é basicamente realizada por três agentes, o intermediador, o projetista e o integrador. Cada um deles pode se posicionar no mercado de maneira distinta. O intermediador é o que apresenta menor risco porque o mesmo será o responsável pela negociação do sistema e tem todo o mercado para explorar.

O projetista necessita de conhecimento especializado e formação técnica para desempenhar os projetos, no entanto, depende muito do intermediador. O instalador focará suas ações na instalação e operacionalização do sistema, despenderá de um custo inicial de capacitação e investimento em equipamentos e veículo.

Já o integrador é aquele que realiza todas as operações do sistema, desde a negociação até a instalação. Embora ele consiga ter um ganho maior, terá todo um envolvimento em compras, escolha de fornecedores, assistência técnica, acompanhamento e gestão dos projetos nas concessionárias, também porque precisa ter um poder de investimento muito maior para poder realizar a compra dos materiais.

4. Como faço para conseguir identificar uma oportunidade de negócio?

Como qualquer negócio, é muito importante que o empreendedor de energia solar tenha um conhecimento do mercado e de potenciais compradores do sistema. A partir dessa visão, deverá buscar conhecimento para identificar o nicho que tem uma maior probabilidade de investir em energia solar. Definindo essas métricas, é possível criar uma estratégia de prospecções, negócios e previsões de receita.

5. Qual é o perfil do cliente que vou encontrar?

O cliente que compra energia solar, normalmente, estudou bem sobre o assunto e tem ótimo conhecimento do funcionamento e da análise financeira. Então, é muito importante que você tenha muito conhecimento para poder dialogar como uma autoridade no assunto, passando confiança ao cliente e esclarecendo quaisquer dúvidas que o mesmo ainda tenha.

6. Como é assistência pós-instalação?

Se você estiver bem qualificado, o projeto e a instalação serão bem realizados e isso vai eliminar boa parte dos possíveis problemas que podem ocorrer. O sistema tem grande durabilidade e dificilmente vai trazer transtornos pós-obra. Você, como integrador, terá que se envolver com questionamentos dos clientes, com faturas de energia e outras dúvidas.

7. A energia solar é um bom investimento no momento?

Independentemente da situação econômica atual, as perspectivas em relação à energia solar são promissoras em nosso país. Em 2018, o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) financiou pessoas físicas com interesse no programa de microgeração de energia a partir de sistemas fotovoltaicos.

A Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) revelou que, desde 2013, a quantidade de conexões relacionadas à microgeração subiu de 23 para 30.900, sendo 99% desse total de energia solar. Os preços dos equipamentos também tendem a cair, o que reduz o capital inicial de investimento.

Além disso, os custos com energia elétrica no Brasil estão muito altos, estimulando os consumidores a buscarem soluções alternativas para reduzir despesas mensais. Outro fator que explica por que empreender no mercado de energia solar vale a pena é que o clima tropical do país favorece altos índices de insolação em diferentes cidades e estados, mesmo em regiões frias, como a Região Sul e parte da Região Sudeste.

8. Qual a relevância da energia solar para reduzir o impacto no meio ambiente?

As chamadas “tecnologias limpas” podem diminuir bastante o impacto ambiental, seja em residências, seja em empresas e, principalmente, quando usadas por indústrias. A possibilidade de produzir sem ter que entrar em atrito com o meio ambiente, as ONGs ambientalistas e o governo é atrativa para os pequenos, médios e grandes empreendedores e para o consumidor pessoa física que busca soluções mais sustentáveis.

Ingressar no mercado de energia solar permite a aplicação do “marketing verde”, ou seja, o empreendedor estará vendendo produtos e oferecendo serviços que são benéficos ao meio ambiente. Dessa forma, a sua empresa estará vinculada a uma imagem ecologicamente correta.

A energia solar é permanente e renova-se a cada dia, não poluindo nem causando danos ao ecossistema. O sol irradia diariamente um potencial de energia muito alto, superior aos outros sistemas que geram eletricidade. Esse astro é, na verdade, a fonte básica para todas as outras fontes de energia.

Em relação ao meio ambiente, a energia solar exibe muitas vantagens:

  • não é poluente;
  • não agrava o efeito estufa;
  • não requer turbinas nem geradores;
  • cada metro quadrado de painel fotovoltaico instalado representa 56 metros quadrados a menos de áreas férteis inundadas para a instalação de usinas hidrelétricas.

Considere, ainda, que uma parte do milionésimo de energia do sol que o Brasil recebe durante o ano pode fornecer um suprimento de eletricidade que equivale a:

  • duas vezes a energia fornecida pelo carvão mineral;
  • quatro vezes a energia oferecida por uma hidrelétrica;
  • 54% do petróleo nacional.

9. Quais as vantagens de empreender no mercado de energia solar?

Além de contribuir para uma sociedade e uma economia mais sustentáveis, empreender no mercado de energia solar oferece um payback (retorno do investimento) relativamente baixo (3 a 5 anos). Como já realçamos, trata-se de um setor em expansão que é bastante promissor, uma tendência que se consolidará ao longo dos anos, considerando os fatores favoráveis, como alternativa menos cara que a energia elétrica tradicional e clima propício para a captação de energia solar.

Trabalhando com sistemas fotovoltaicos, o empreendedor poderá conquistar relevantes certificados de produtos e serviços que relacionam os processos de seu negócio às práticas sustentáveis. Certamente, é um diferencial competitivo investir em um setor cuja importância aumenta cada vez mais, não apenas no Brasil, mas em todo o mundo.

Enfim, podemos afirmar que empreender no mercado de energia solar é uma boa opção para qualquer empreendedor, mesmo os que já atuam em outro segmento!

Gostou do artigo? Deseja receber conteúdo interessante diretamente em seu e-mail? Então, assine a nossa newsletter agora mesmo!