Como funciona a manutenção de um sistema solar de energia?

Como funciona a manutenção de um sistema solar de energia?

Tempo de leitura: 

5 minutos

Um equipamento de geração de energia solar apresenta uma interessante vantagem: a longa durabilidade. Mas esse fator não dispensa a manutenção preventiva, que permite garantir essa durabilidade e até aumentá-la, já que atua de forma proativa, gerenciando os riscos e evitando que muitos problemas venham a acontecer, atrapalhando seu correto funcionamento.

Veja a seguir como funciona a manutenção de um sistema solar de energia e confirme que está fazendo tudo direitinho!

A importância da manutenção do sistema solar de energia

Como outros equipamentos, o sistema fotovoltaico também requer manutenção preventiva para garantir um bom funcionamento das placas solares, resultando em maior eficiência.

A manutenção preventiva possibilita maior economia ao usuário do sistema, visto que evita a troca frequente das placas solares. Além ser melhor para seu bolso, você também ajudará na preservação do meio ambiente, pois diminuirá a produção de resíduos sólidos.

Saiba que quanto mais sujeira o sistema acumular, menor será sua eficiência. Folhas, poeira, fezes de pássaros — tudo concorre para reduzir a absorção de radiação pelas placas solares.

A limpeza das placas

Geralmente, a manutenção das placas solares é simples e fácil de fazer. É importante lavar a superfície das placas com sabão e água, no mínimo, anualmente. Há pessoas que deixam o trabalho de limpeza das placas a cargo das chuvas, considerando que elas ficam, na maioria das vezes, expostas. Contudo, é preciso ter em mente que uma limpeza programada sempre é melhor, pois vai tirar as sujeiras e impurezas mais persistentes.

Você mesmo pode realizar essa lavagem, desde que siga os procedimentos de segurança adequados. Como o sistema solar de energia costuma ficar instalado no telhado, é preciso tomar cuidados em relação à altura.

Nem todas as pessoas se sentem bem em locais altos e, nesse caso, o melhor é não arriscar e contratar os serviços de um profissional. Afinal de contas, sairá bem menos caro pagar um profissional do que se arriscar à toa, ameaçando sua integridade física e, quem sabe, sua própria vida.

A limpeza anual das placas servirá para tornar mais prática a manutenção preventiva feita por profissionais especializados da área. Um sistema bem instalado também ajuda a manter o equipamento em melhor estado de conservação e mais receptivo às manutenções.

As empresas especializadas em energia solar afirmam que podem ocorrer perdas de até 30% para os usuários que não têm o hábito de limpar o sistema solar de energia. Mas é preciso considerar também que, nesse caso, a região apresenta poucas chuvas.

Os materiais adequados para limpeza

Além do trivial, ou seja, água e sabão, convém usar uma escova macia ou mesmo um rodo com lâmina plástica em um lado. No caso do rodo, deve-se usar um pano amarrado também e uma extensão que prolongue o alcance do equipamento. Assim, você não precisará subir no telhado para efetuar a limpeza.

É importante ainda usar uma mangueira com bico apropriado, possibilitando que o jato de água alcance as placas. É preciso tomar cuidado para não fazer pressão nem bater o equipamento contra os painéis.

Evite utilizar materiais metálicos e produtos que provocam abrasão para fazer a limpeza, pois eles podem riscar e danificar o vidro das placas solares. Consulte o manual do fabricante ou a empresa fornecedora sobre os produtos ideais.

A manutenção preventiva e preditiva

A manutenção preventiva (antecipação de eventuais problemas) e a manutenção preditiva (monitoramento do desempenho e das condições do sistema) são recomendadas para o usuário que deseja alcançar um funcionamento eficaz, custos reduzidos e o aproveitamento máximo da radiação do sol.

Lembre que tudo começa na instalação. Um sistema bem instalado no telhado pode favorecer, por exemplo, o escoamento da água.

É preciso inspecionar periodicamente os componentes a fim de evitar a calcinação e a corrosão deles. A calcinação consiste na acumulação de minerais de cálcio nos sistemas, reduzindo sua performance. Quando o sistema solar de energia é hidráulico (a água é o fluido usado para transferir calor), o fenômeno de calcinação pode acontecer na tubulação ou no coletor.

Para não ter problemas com calcinação, pode-se usar vinagre ou outras soluções amaciadoras de água a cada 3 ou 5 anos. Uma lixa também ajuda a remover as partes calcinadas.

Já a corrosão é resultado da ação do ar sobre os metais usados no sistema ou mesmo pelo processo em que um metal danifica o outro (corrosão galvânica). Por isso, recomenda-se a utilização, sempre que for possível, de materiais de plástico, borracha, vidro ou de metais como aço inoxidável, cobre, bronze ou latão.

Os tipos de inspeção

Em um sistema solar de energia, convém realizar as seguintes inspeções:

  • sujidade do painel — como já mencionamos, é necessário limpar e lavar o equipamento;
  • sombreamento do painel — um painel sombreado perde o desempenho, sendo necessário ficar de olho na vegetação circundante;
  • vidro do painel — é importante observar se não existe nenhuma rachadura ou fissura, o que exige substituição da cobertura de vidro;
  • tubulações e ligações elétricas — verifique se existe fuga de líquidos pelos tubos, se as condutas se encontram bem seladas, se as ligações elétricas estão bem-acondicionadas, se está acontecendo degradação dos fios de eletricidade e dos tubos em função da exposição prolongada ao sol;
  • telhado e fixações — confira se o telhado se acha em boas condições para manter a estrutura do sistema e se a fixação do sistema está boa, com porcas bem apertadas e encaixes bem-feitos;
  • válvula de pressão — ela deve permanecer presa ou fechada;
  • sistema de ventilação — para painéis que utilizam o ar como condutor, o sistema de ventilação deve se abrir e fechar normalmente;
  • bombas e ventiladores — confira se as bombas e os ventiladores estão operando normalmente;
  • líquidos que transferem calor — é preciso substituir as soluções anticongelantes do sistema de tempos em tempos; se a tubulação contiver água dura, é preciso usar uma solução descalcificadora para retirar toda a mineralização acumulada;
  • armazenagem — confira se há rachaduras, fugas, fissuras ou indícios de corrosão nos tanques.

A proteção contra congelamento envolve o uso de soluções anticongelantes e a drenagem do sistema, que pode ser realizada de forma manual ou por meio de um controlador provido de sensores que drenam automaticamente o sistema (drainback).

Já está efetuando a manutenção adequada no seu sistema solar de energia? Aproveite para compartilhar este post nas redes sociais, ajudando outros usuários de sistemas fotovoltaicos de energia elétrica!