Conheça os riscos de fazer um painel fotovoltaico caseiro

Conheça os riscos de fazer um painel fotovoltaico caseiro

Tempo de leitura: 

8 minutos

O sistema de energia solar tem se popularizado devido aos grandes benefícios que apresenta, com destaque para a incrível economia nas contas de energia elétrica. Porém, os custos para adquirir um ou mais painéis fotovoltaicos ainda podem ser considerados altos por alguns.

Por isso, as pessoas têm procurado formas alternativas de implementar o sistema em suas residências. Um exemplo disso é a montagem de um painel solar caseiro.

Existem diversos vídeos na internet explicando o processo de construção desses painéis, alegando diferentes vantagens da sua utilização. Porém, essa prática pode ser muito perigosa. Apesar de parecer uma ideia econômica e esperta à primeira vista, pode desencadear problemas sérios e muita dor de cabeça no futuro.

Conheça, neste artigo, os riscos de fazer um painel fotovoltaico caseiro!

O que é, exatamente, um painel fotovoltaico?

Os painéis fotovoltaicos são responsáveis por transformar energia solar em outro tipo de energia, normalmente elétrica. Eles são constituídos por células solares, que consistem em lâminas com capacidade para gerar energia elétrica a partir de fontes de luz, como o sol.

Suas dimensões, potências e tensões podem ser diferentes de acordo com o seu uso. Os painéis podem ser instalados tanto em casas particulares como para o fornecimento de energia em imóveis comerciais e grandes empresas, que estão cada vez mais conscientes a respeito da adoção de alternativas sustentáveis para seu funcionamento.

O retorno do investimento em um painel fotovoltaico pode ser recuperado em alguns anos de uso, uma vez que as contas de energia elétrica serão muito reduzidas. Os painéis fotovoltaicos modernizaram-se devido aos avanços da tecnologia, de modo que hoje em dia já é possível armazenar a luz do dia absorvida para consumo posterior.

Os avanços da tecnologia também contribuem para a descoberta de novos materiais utilizados na construção desses painéis, fato que reduz os preços do investimento. Além disso, a maior parte dos grandes bancos brasileiros oferece programas de financiamento para a instalação de equipamentos relacionados às novas energias, visando a popularização das práticas sustentáveis e mais eficientes.

Aderir a um sistema de painéis fotovoltaicos para a geração de energia é bem mais simples do que parece. Clicando na imagem abaixo, você pode baixar um infográfico que apresenta as 4 principais etapas desse processo, desde a negociação até a instalação.

Como o painel funciona?

Já sabemos que o painel solar absorve a luz solar e reage com a produção de energia elétrica (energia fotovoltaica). Isso quer dizer que os painéis devem ser instalados sobre os telhados, onde receberão a maior incidência de raios solares.

Eles podem ser interligados e depois conectados a um dispositivo chamado inversor solar. O inversor é o equipamento desenvolvido para conversão da energia gerada por um painel de corrente contínua (CC) em corrente alternada (CA).

A corrente alternada é a que utilizamos em nossas casas e empresas. A energia proveniente do inversor solar segue para o quadro de luz, de onde se distribui para a residência ou para o estabelecimento comercial ou industrial.

A energia gerada poderá ser utilizada para o funcionamento de TVs e outros aparelhos afins, como lâmpadas, motores elétricos, computadores e tudo mais que precise de energia elétrica e esteja conectado a uma tomada. Um painel fotovoltaico normalmente tem duração de mais de 25 anos.

Os painéis atuam somente recebendo a irradiação solar; por isso, são considerados produtores de energia limpa e renovável, livre de poluentes. É um grande benefício para o meio ambiente, pois a emissão de gases poluentes para a atmosfera é reduzida, e um ótimo passo para a conscientização do consumidor em relação ao desenvolvimento da sustentabilidade.

Quais os riscos de fazer um painel fotovoltaico caseiro?

Cada célula fotovoltaica é cuidadosamente colocada para a construção de um painel. Esse e outros detalhes devem ser realizados por profissionais experientes e com todos os cuidados em relação à segurança. O processo é complexo, e são demandadas quantidades de equipamentos e mão de obra.

Os ensinamentos passados por vídeos online são transmitidos por meio de conhecimento empírico, e nem sempre quem ensina tem informação suficiente sobre o assunto. Deixar de lado as questões de segurança, definitivamente, não é uma boa opção, e pode resultar em acidentes gravíssimos.

Em janeiro de 2019, testemunhamos uma série de incidentes envolvendo sistemas fotovoltaicos de procedência e instalação duvidosas. Eu falei mais sobre o assunto no vídeo abaixo, caso você queira saber mais.

Confira, a seguir, outros riscos de fazer um painel fotovoltaico caseiro.

O painel pode ficar mal posicionado

O posicionamento correto dos painéis fotovoltaicos é uma questão fundamental para garantir o melhor rendimento energético. A posição e a inclinação adequadas da placa podem fazer com que o painel produza mais energia.

Com o apoio do know-how de engenharia e utilizando programas de dimensionamento, uma empresa especializada desenvolverá um projeto fotovoltaico completo, adequado para o local de instalação e contando, ainda, com simulações para obter o melhor custo-benefício na geração de energia elétrica. O “faça você mesmo” poderá pecar bastante no quesito eficiência.

Dificuldade na instalação da parte elétrica

As concessionárias exigem do cliente documentações para que o sistema fotovoltaico seja conectado à rede de distribuição. Entre eles, estão a anotação de responsabilidade técnica, o manual do módulo fotovoltaico, o registro do INMETRO no módulo fotovoltaico e no inversor interativo, bem como a análise do software de dimensionamento.

Não cumprir com as regras e documentações exigidas pode fazer com que o acesso à rede elétrica não seja autorizado — ou seja, um risco para quem opta por fazer por conta própria um painel fotovoltaico caseiro.

Possibilidade de choques elétricos

O corpo humano é extremamente sensível aos tipos de corrente elétricas, sejam correntes contínuas ou alternadas. Os choques podem desencadear queimaduras leves e fibrilações cardíacas.

Além disso, choques elétricos podem até ocasionar acidentes fatais, tanto para quem está instalando os sistemas como para quem os utiliza. O contato direto de um indivíduo com um circuito de energia alternada pode ser muito perigoso.

Os tutoriais caseiros, em sua maioria, são amadores e não contêm informações suficientes em relação à segurança ou às dicas de proteção para os equipamentos utilizados.

Reprovação do acesso à rede

Todo sistema fotovoltaico, para funcionar, deve estar conectado à rede de distribuição. Para tanto, é essencial cumprir algumas regras e procedimentos, todos exigidos e listados pelas concessionárias de energia elétrica.

Alguns dos documentos importantes são a fatura de consumo energético, o diagrama elétrico, o registro no INMETRO, a planta de localização e diversos tipos de formulários de registros. Para completar, existe uma assinatura importante em meio a esses processos, também conhecida como ART: a de um engenheiro eletricista, que se coloca como responsável técnico do projeto e da obra.

Ou seja, não há como você se colocar nessa posição, sem se comprometer e assumir um risco grave acerca da instalação. E, caso você não tenha a documentação completa em mãos, o que é bem comum quando se trata de um painel caseiro, a reprovação do acesso à rede será inevitável.

Produtos e serviços de qualidade duvidosa

O painel solar caseiro costuma ser feito de garrafas pet, tubos de PVC e, em alguns casos, até mesmo de CDs antigos e caixas de leite. Tudo isso com a afirmação de que esse é um bom meio de reaproveitamento desses itens, de cunho sustentável. Porém, isso não se aplica dessa forma. Esses materiais não são adequados para assegurar a qualidade da energia elétrica gerada, já que são de proveniência duvidosa.

Todos os componentes de um sistema fotovoltaico, do inversor até o vidro utilizado na produção do módulo solar, precisam ser de qualidade confirmada, bem dimensionados e montados corretamente para abrigar os circuitos elétricos.

Além disso, o uso desses materiais inapropriados pode interferir na rede de distribuição de energia elétrica. Isso significa que o painel caseiro pode interferir na rede com ruídos e demais distúrbios, que fazem com que a distribuição seja insatisfatória também para outras pessoas.

Ausência de garantias ou certificação de qualidade

Quem instala um painel fotovoltaico caseiro não tem acesso à garantia legal ou do fabricante. Também não poderá contar com a durabilidade desse sistema.

O investimento em um painel fotovoltaico seguro, junto a uma empresa especializada, exigirá mais recursos do que fazer um dispositivo por conta própria, mas oferece garantia, qualidade e apoio técnico para consertos e novos testes e medições.

Vale dizer que inversores e módulos especializados são duráveis e têm muita qualidade. Eles raramente apresentam problemas em seu funcionamento ao longo do tempo ou necessitam de manutenção pouco depois da instalação, especialmente se feita com empresa especializada. Se, depois de alguns meses, o sistema caseiro apresentar problemas e parar de funcionar, será preciso gastar novamente para corrigir os problemas.

A qualidade dos equipamentos e materiais está diretamente ligada à qualidade da energia elétrica produzida pelo sistema fotovoltaico. O processo de conversão da corrente contínua em corrente alternada envolve diversos componentes eletrônicos.

Se não forem de qualidade, bem posicionados e acondicionados nos circuitos elétricos, o resultado também não será de qualidade. Ou seja, o painel fotovoltaico caseiro trata-se de uma economia que não vale a pena.

Como uma boa empresa de energia solar pode ajudar com um painel de qualidade?

É comum que as pessoas invistam em um painel solar caseiro por ter um custo baixo e porque ele parece fácil de fazer. Contudo, é muito perigoso realizar instalações sem qualquer conhecimento técnico. Como pudemos ver, as chances de riscos de mau funcionamento e acidentes são grandes e não vale a pena desperdiçar recursos, inclusive financeiros, em algo sem certeza de retorno.

Ao contratar uma empresa especializada, você conta com uma equipe qualificada para o serviço, materiais com garantia e qualidade assegurada e um projeto estudado exatamente para atender às suas necessidades, com todos os cálculos e análises dimensionados de acordo com as orientações corretas.

Você terá a certeza de que a instalação será feita com o posicionamento adequado, total segurança e que trará um retorno efetivo. Para escolher uma empresa que execute esse trabalho com maestria, faça uma boa pesquisa de mercado, confira a reputação da empresa escolhida e visite o local para conversar pessoalmente sobre o que você espera de seu painel solar.

Como é possível perceber, não se pode confiar em tudo que se encontra em vídeos e tutoriais amadores na internet. Os processos exigem conhecimento especializado, e realizá-los por conta própria pode ser muito arriscado! Um painel fotovoltaico caseiro, além de inseguro, pode não ser a solução mais eficiente e econômica para você.

Agora que você tem conhecimento suficiente sobre este assunto, aproveite a visita em nosso blog para ir mais além e descubra também qual a importância de fazer um curso de energia solar!

Ou, se quiser saber como encontrar a empresa certa para fazer esse serviço, clique no link abaixo e assista a um vídeo com 7 dicas que podem te ajudar.