Descubra o que é a geração compartilhada de energia e suas vantagens!

Descubra o que é a geração compartilhada de energia e suas vantagens!

Tempo de leitura: 

5 minutos

Com o avanço da tecnologia, a utilização da geração distribuída ficou mais acessível aos usuários. A difusão do seu emprego se deu principalmente por causa da geração compartilhada de energia, possibilitando aos consumidores usá-la de forma sustentável, causando uma brusca queda no valor da conta de luz.

A transformação do sol em eletricidade é a mais empregada no uso da geração compartilhada por grupo de pessoas ou empresas. A energia fotovoltaica beneficia especialmente as corporações, pois se apresenta como um investimento, diminuindo os custos e aumentando o faturamento.

Com os incentivos do governo e a tecnologia mais acessível, produzir eletricidade para o autoconsumo está mais fácil e fica ainda mais barata quando a geração é compartilhada. Acompanhe o texto abaixo e saiba como gerar e dividi-la com a menor despesa.

O que é a geração compartilhada?

Os países mais desenvolvidos do mundo, como Estados Unidas da América, Japão e os Europeus, já aplicam a energia sustentável para o autoconsumo na maioria de suas regiões, substituindo a energia elétrica convencional por eletricidade de fontes renováveis. A fonte solar é a líder nessa expansão e promete superar as expectativas do mercado.

O crescimento de energia produzida por recursos naturais se deve aos seus inúmeros benefícios. Dentre eles podemos citar a facilidade de instalação em qualquer local, a diminuição dos impactos ambientais, o investimento a longo prazo e, agora, o compartilhamento por um grupo e com menor custo.

A geração compartilhada por um conjunto de pessoas ou empresas é uma espécie de fonte distribuída. Regulamentada em 2015 pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), permite que dois ou mais consumidores possam se unir para compartilhar a energia gerada por um único sistema. A única restrição encontrada pelo agrupamento é a barreira física, pois esses usuários devem estar próximos, ou seja, na mesma região em que a concessionária de energia atua.

O sistema visa principalmente diminuir os custos com a produção de energia, possibilitando aos consumidores gastos menores com a conta de luz. Vale ressaltar que o governo federal possibilita alguns financiamentos para o consumidor adquirir energia fotovoltaica.

Quais as modalidades de energia compartilhada?

A geração de energia compartilhada pode ser empregada em diferentes modalidades. Confira a seguir as principais.

Autoconsumo remoto

É característica dessa modalidade ter um único proprietário. A eletricidade gerada atenderá apenas um CPF ou CNPJ, ainda que ligada a filiais. Desse modo, caso o dono não consuma toda a energia sustentável produzida pelo seu sistema, o excedente voltará para a rede, podendo ser usado pela concessionária. Assim, ele é convertido em créditos para o consumidor que em outro momento poderá usá-los.

Condomínio solar

Esse sistema é instalado em condomínios residenciais, sejam de casas, sejam de apartamentos. Assim, pode ser horizontal ou vertical. A ANEEL estabelece esse conjunto de condomínio solar como “empreendimento de múltiplas unidades consumidoras”.

Geração compartilhada

Na geração de energia compartilhada, várias pessoas se unem e formam uma associação ou consórcio. Esse vínculo tem o intuito de economizar na conta de luz e diminuir os impactos ambientais. O investimento em placas solares possui retorno a longo prazo e passa a ser um patrimônio.

Quais as vantagens da geração compartilhada?

Segurança

As fontes energéticas da geração distribuída e compartilhada são inesgotáveis e usam tecnologia de ponta em suas instalações, fazendo com que seus equipamentos durem por anos e sejam cada dia mais econômicos. Além do consumidor conseguir prever o valor que será gasto, também se sentirá seguro para empreender em negócios que dependam de eletricidade, tanto no meio urbano quanto no rural, pois saberá que não terá prejuízos devido a quedas na rede.

Diminuição de perdas

Ao contrário de outras fontes, a energia compartilhada possibilita um sistema de créditos e débitos com a concessionária fornecedora. Há uma ajuda mútua entre consumidor e empresa. Os custos com materiais e o trabalho necessário, envolvido na distribuição de energia, são compartilhados, por isso, há menos despesas, para cada pessoa ou empresa, na distribuição de eletricidade.

Redução dos impactos ambientais

Um dos principais benefícios da geração distribuída está na diminuição dos impactos ambientais. Se compararmos a energia fotovoltaica e a eólica com os demais sistemas de produção de eletricidade, fica clara a geração ecologicamente sustentável.

As usinas termoelétricas, por exemplo, são famosas por seus resultados negativos ao meio ambiente. Funcionam por meio da queima de produtos que podem gerar calor, como o carvão.

As usinas hidrelétricas, responsáveis por boa parte do fornecimento no território brasileiro, também trazem grandes impactos ao meio ambiente. Seu funcionamento ocorre por meio da pressão da água que gira as turbinas.

Economia

A geração de energia compartilhada, além de ser altamente sustentável, ainda é muito econômica. Apesar de ser um investimento a longo prazo, o retorno é certo e a parcimônia na conta de luz é imediata. E para quem não gosta de arriscar, é fundamental a certeza de que é um investimento pago com o tempo pelo próprio sistema. Dependendo da quantidade da energia fabricada, esse retorno pode ser ainda mais rápido.

A utilização da energia solar no agronegócio, por exemplo, está cada dia mais comum. Por meio da instalação dos painéis solares, os produtores ganharam a sonhada independência, não ficando mais reféns da rede elétrica e da concessionária de energia. Antes, sofriam com apagões e em muitas terras não chegava luz.

Micro e minigeração

Ao falarmos sobre geração compartilhada, é importante entendermos que um dos seus benefícios está nas possibilidades de utilizar o sistema mais adequado, que pode ser de micro ou minigeração. Desde 2012, com a publicação da resolução normativa da ANEEL, o usuário de eletricidade brasileiro pode produzir e utilizar sua própria energia renovável, em casa ou no trabalho. Sendo que, é possível que o excedente gerado pelas fontes renováveis seja redistribuído em regiões próximas.

Conforme dispõe a Resolução nº 482/2012, a microgeração é uma central que fornece energia com uma potência de no máximo 75 quilowatts (kW). Enquanto a minigeração distribuída pode atingir um valor ainda maior.

O custo da energia está cada dia mais alto e imprevisível. Com o sistema de bandeiras tarifárias, imposto desde 2015 pelo governo aos consumidores, a despesa na conta de luz torna-se imprevisível, causando bruscos gastos e diminuição inesperada do faturamento das organizações.

A geração compartilhada aparece com uma solução altamente benéfica para os indivíduos que a utilizam, assim como para toda a sociedade. Além de ser um investimento seguro, ainda aumenta o faturamento imediatamente da sua empresa. A geração de energia compartilhada está aí para ajudar, não deixe de utilizá-la a seu favor.

Gostou das nossas dicas? Se tiver ficado com alguma dúvida ou quiser saber mais informações sobre energia sustentável, deixe um comentário no post!