Os 5 motivos para o setor de energia solar temer o avanço do Coronavírus (COVID-19)

Os 5 motivos para o setor solar temer o avanço do Coronavírus (COVID-19)

Tempo de leitura: 

2 minutos

O empreendedor solar está passando por mais um teste de fogo para seu coração, não bastasse todo terrorismo da ANEEL no final do ano passado agora a pandemia do coronavírus (COVID-19) trouxe um verdadeiro pânico ao mercado e certamente vai acarretar num esfriamento do setor solar em 2020. Nesse texto vou detalhar os 5 principais motivos para temer o impacto do coronavírus (COVID-19) no nosso mercado. Continue a leitura e confira o conteúdo na íntegra!

Aumento dos preços #1

Com a moeda brasileira fragilizada e a incerteza mundial sobre o impacto econômico que o COVID-19 trará para a economia, o valor do dólar começa a subir e impactar toda cadeia de suprimentos de equipamentos fotovoltaicos, obviamente teremos uma solução mais cara chegando ao cliente final e uma mudança no Payback do projeto.

Aumento dos preços #2

A China é a principal supridora de módulos fotovoltaicos do mundo, e foi na China onde o vírus começou o estrago. A parada das fábricas, fechamento de estradas entre outras medidas fizeram que a produção ficasse parada por um longo período, nesse contexto, há uma tendencia de escassez do produto e por consequência, no atual universo de demanda em alta, teremos aumentos nos valores dos equipamentos.

Falta de equipamentos

Pelos mesmos motivos supracitados e unindo uma alta demanda de equipamentos nos últimos meses, endurecimento do INMETRO e falta de planejamento de alguns fornecedores, há uma tendência de que haja escassez de equipamentos no mercado, principalmente no primeiro semestre. Isso pode atrasar as obras e ocasionar perdas de geração para muitos clientes que aderiram ao projeto.

Endividamento das empresas

Numa postagem irônica que anda circulando nos grupos de WhatsApp, uma frase muito emblemática do atual momento “Teremos mais falidos do que mortos após o surto”. Embora inapropriada para o momento essa frase traz uma mensagem real, imagina empresas parando, restaurantes fechados, cursos, turismo parados por 90 dias, por exemplo, o ritmo de endividamento e falências irá aumentar muito e isso vai tirar muito investimento do setor solar, principalmente por que a incerteza dominará o padrão de pensamento do empresário.

Redução no consumo de energia

Outro fato que pode acarretar num esfriamento do setor é a redução do consumo de energia elétrica, empresas, comércios, industrias fechados irão gerar uma redução de demanda energética. Isso pode acarretar em alivio nas bandeiras e quem sabe uma diminuição nas tarifas. A redução do consumo de energia diminui o apetite do mercado em economizar energia e pode também diminuir os negócios de energia sola.

Evidentemente que todos esses parâmetros podem ser atenuados se tivermos uma rápida resposta ao vírus, tanto local como no mundo. Além disso, será determinante a ajuda governamental para socorrer os setores mais atingidos com a parada.

Tenho na maioria das vezes uma posição otimista sobre tudo, nesse caso fica difícil verificarmos pontos positivos que possam vir a ocorrer. Acredito que agora é hora de prevenir a expansão do coronavírus (COVID-19) e cobrar muito o governo por soluções de proteção de nossos negócios, somente assim continuaremos evoluindo e quem sabe manter o que fizemos em 2019!