Por que investir em energia solar no Rio Grande do Sul?

Por que investir em energia solar no Rio Grande do Sul?

Tempo de leitura: 

5 minutos

A energia solar é uma alternativa sustentável à produção de energia elétrica. Por esse motivo, ela vem atraindo a atenção de consumidores e investidores no Brasil. Nosso país tem um amplo campo para explorar nesse sentido. Existem muitas regiões no país que são propícias para esse investimento.

O Rio Grande do Sul é uma delas. Pode parecer contraditória essa afirmação, considerando que se trata de um estado que, aparentemente, apresenta baixa irradiação solar. Mas você vai ver, neste artigo, como investir em energia solar no Rio Grande do Sul realmente vale a pena!

A insolação no Rio Grande do Sul

Apesar de exibir insolação inferior à de outras áreas, o Rio Grande do Sul apresenta, em média, entre 150 a 250 horas de insolação, com picos nos meses de verão. Essa média já é suficiente para garantir uma ampla cobertura solar, permitindo cargas altas para os sistemas fotovoltaicos.

Os dados mostram que a insolação no estado é excelente para a captação de energia solar. Além disso, ela acontece de maneira uniforme durante todo o ano. A região metropolitana do estado, em especial, oferece boa taxa de insolação. Essa região compreende municípios como Porto Alegre (que é a capital), Viamão, Canoas e Esteio.

Outros municípios de destaque são Santa Maria, Santa Cruz do Sul, Novo Hamburgo, São Leopoldo, a Região da Serra (Caxias do Sul, Bento Gonçalves) e a Região das Hortênsias (Gramado, Nova Petrópolis, Canela). O litoral norte, como um todo, também aparece na lista.

Insolação é o nome dado à medida de radiação do sol que incide sobre a superfície terrestre. Essa radiação é que fornece energia para os sistemas de energia solar.

O Rio Grande do Sul é uma potência na geração de energia solar

Curiosamente, o Rio Grande do Sul é um estado que é considerado uma potência na geração de energia solar distribuída no país, apesar de ser uma das regiões mais frias do país. Para compreender a importância do estado na geração distribuída de energia solar, ele é o segundo estado com a maior quantidade de conexões.

Santa Cruz do Sul é um dos municípios do estado que mais apresentam conexões de geração distribuída. Nessa cidade, existem quase 50 conexões fotovoltaicas para cada 10 mil consumidores, o que representa uma considerável densidade. Mais de 300 municípios no Rio Grande do Sul trazem, no mínimo, uma conexão de geração distribuída de energia solar.

A concessionária RGE Sul é a empresa do ramo que mais apresenta conexões e já foi premiada por projeto de eficiência energética. Existe uma grande concentração de sistemas de energia solar nos municípios de Santa Maria e Santa Cruz do Sul, bem como na região metropolitana, que é onde atua a concessionária RGE Sul.

As outras concessionárias localizadas na região metropolitana são a CEEE (Companhia Estadual de Energia Elétrica) na Serra Gaúcha, e a AES Sul no litoral.

As linhas de crédito no estado

A energia solar no Rio Grande do Sul também é impulsionada pelas linhas de crédito vantajosas, especialmente aquelas oferecidas pelo SICREDI (Sistema de Crédito Cooperativo) e pela UNICRED.

As principais características dessas linhas de crédito são o prazo longo e as taxas de juros mais atrativas. Dessa forma, o acesso aos sistemas fotovoltaicos de energia elétrica tornam-se mais acessíveis para a maior parte da população rio-grandense.

As linhas de crédito favorecem o financiamento inteligente, que é fundamental para que as pessoas adotem a solução e instalem sistemas de energia solar em suas casas e empresas.

O payback do investimento

Outra razão para investir em energia solar no Rio Grande do Sul é que o payback, ou seja, o tempo de retorno do investimento no sistema fotovoltaico costuma ser menor do que em outras localidades do Brasil. Isso porque a tarifa de energia elétrica no estado é muito alta, impactando negativamente sobre as finanças dos consumidores.

Considerando o payback, entre outros aspectos, investir em sistemas fotovoltaicos no Rio Grande do Sul pode apresentar maior viabilidade que em alguns estados da Região Nordeste.

Com o aumento da tarifa de energia elétrica no Rio Grande do Sul, existe uma forte tendência de o estado se consolidar como o grande mercado de energia solar do país. A economia com energia elétrica pode alcançar um percentual elevado: até 96% de redução de gastos, dependendo do consumo médio de cada residência!

O decreto nº 52.964

O Decreto nº 52.964/2018 promulgado pelo governo do estado, também se tornou um motivo para aproveitar melhor a energia solar no Rio Grande do Sul. Ele determina a isenção de ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) para a mini e a microgeração de energia solar para consumo pessoal.

Assim, a própria legislação torna as coisas mais fáceis para o consumidor que pretende adquirir e instalar um sistema de energia solar em sua casa. A iniciativa integra o Programa RS Energias Renováveis, cuja finalidade é tornar mais acessíveis as linhas de financiamento para quem pretende investir na geração de energia solar.

Outros motivos para investir em energia solar no Rio Grande do Sul

Já elencamos várias razões para investir em energia solar no estado do Rio Grande do Sul, como insolação suficiente, incentivo do governo e de instituições financiadoras de crédito, tarifa de energia elétrica muito elevada, payback baixo de investimento e destaque de grandes concessionárias no cenário nacional, como a RGE Sul.

Mas ainda podemos citar motivos associados ao próprio sistema de geração de energia solar. Ele exige pouca manutenção (ou quase nenhum), o que também é interessante para os usuários, principalmente do ponto de vista financeiro. É um sistema com vida útil muito longa, durando além de 20 anos, na maioria das vezes.

Simples instalação

Outro ponto a considerar é que, em comparação com outros sistemas, ele é simples de instalar. A geração de energia solar feita por meio das placas (ou painéis) solares costuma ser abundante, o que produz excedentes que podem ser armazenados para uso posterior — especialmente, nos dias em que o céu estiver nublado ou em épocas de chuvas frequentes.

Vale lembrar que a pessoa não precisa, necessariamente, ter uma bateria para armazenar os excedentes, pois o próprio sistema envia o que não for usado para a rede elétrica pública da cidade. Dessa forma, a pessoa recebe um crédito da companhia de energia elétrica para usar no mês seguinte. Isso significa economia em dobro!

A energia solar pode ser aproveitada, também, em grandes áreas, como indústrias, supermercados e agronegócio, otimizando a economia, ao mesmo tempo em que reduz a exploração dos recursos naturais.

Vale a pena investir em energia solar no Rio Grande do Sul. A tendência é que mais pessoas se interessem por esses sistemas no estado, melhorando sua imagem, em todo o território brasileiro, como referencial para produção de energia sustentável.

Está interessado em gerar energia solar? Entre em contato com a HCC Engenharia e se informe um pouco mais a respeito do assunto!