Quais são os principais gastos de uma empresa?

Quais são os principais gastos de uma empresa?

Tempo de leitura: 

5 minutos

Você sabe quais são os principais gastos de uma empresa? E os custos e despesas? Sim, são três termos distintos e, por mais que não pareça, cada um deles tem seu próprio significado. Entender as diferenças é fundamental!

Toda empresa, independentemente do seu tamanho, tem atividades financeiras de saída que podem ser para a confecção de produtos, pagamento de serviços de estrutura ou até mesmo investimentos não previstos.

O post a seguir explica detalhadamente qual a diferença entre gastos, custos e despesas, indicando que tipo de movimentação financeira se encaixa em cada uma dessas classificações. Continue a leitura e confira!

Quais são os principais gastos de uma empresa?

Precisamos entender primeiramente qual o conceito de gasto. Podemos usar esse termo para classificar qualquer saída que não esteja planejada, ou seja, durante a definição do orçamento, esse valor não havia sido incluído.

As empresas consideram todo tipo de movimentação de dinheiro para fazer suas previsões de lucro e definir preços para seus produtos e serviços. Os gastos são os valores que não puderam ser planejados e não foram considerados na hora de precificar.

O que pode ser considerado um gasto

Geralmente são os imprevistos aos quais todo negócio está sujeito, como despesas com manutenção emergencial de equipamentos, carros ou outro aparelho mecânico, elétrico ou eletrônico que venha a ter algum problema.

É importante classificar qualquer gasto como um tipo de prejuízo, já que ele será deduzido do lucro líquido da empresa por não ter sido possível colocar esse valor no preço final dos produtos ou serviços.

Como podemos classificar os custos?

Os custos podem ser classificados como todo e qualquer valor investido para que a empresa consiga realizar a produção ou a execução de seus serviços. Esse valor é fundamental para as atividades da organização e deve ser muito bem definido para a hora de precificar.

Até mesmo o nível de produção ou de trabalho da empresa está relacionado a essa saída. Quanto mais um estabelecimento produzir ou oferecer serviços, maior será o custo para que as demandas possam ser atendidas.

Custos diretos x custos indiretos

Os custos ainda possuem duas subdivisões: diretos e indiretos. O primeiro pode ser definido como os valores investidos na confecção do produto ou na realização dos serviços da empresa. São englobadas as saídas com matéria-prima e mão de obra, principalmente.

Os custos indiretos são aqueles indiretamente relacionados à produção ou prestação de serviços. Estão nessa categoria as contas de luz, limpeza, água, logística, almoxarifado e combustível.

A conta de energia elétrica entra aqui somente contando o que é gasto no custo de produção com maquinário e equipamentos, já que acaba sendo um valor diretamente relacionado ao setor.

De início, esses valores são considerados gastos, tornando-se custos apenas quando empregados na produção ou prestação dos serviços. Essa possibilidade de previsão antecipada nas saídas financeiras permite que o custo seja deduzido no preço final do que a empresa comercializa.

Com base nisso, é possível concluir que o lucro é a diferença entre o preço de custo e o valor final de mercado definido pela empresa.

O que as despesas englobam?

É possível considerar como despesa todo e qualquer valor investido com a finalidade de manter o negócio funcionando, ou seja, é a saída de dinheiro para manter os setores e a atividade operacional.

Os valores das despesas não têm relação com o produto ou serviço final, mas sim com toda a estrutura necessária para o funcionamento da empresa. Por isso, podemos considerar essas saídas como investimentos indiretos.

As despesas serão sempre registradas no orçamento, já que são fundamentais para a manutenção ou até mesmo a ampliação da estrutura operacional do negócio.

Entre as despesas, é importante destacar a conta de luz do setor administrativo. Nesse setor, podemos considerá-la uma despesa, pois é fundamental para a continuidade das atividades básicas da empresa.

Despesas fixas x despesas variáveis

Há ainda duas subdivisões da categoria de despesas. As fixas são aquelas invariáveis, que não sofrem nenhum tipo de alteração de acordo com a quantidade que a empresa produz ou com a frequência com que presta seus serviços. Por exemplo: espaço físico, materiais de escritório e móveis.

As despesas variáveis são o oposto, configurando-se como as que variam proporcionalmente com o aumento da produção ou prestação de serviços. Exemplos: aumento da frota de veículos e comissões de vendas para funcionários.

Qual a importância de entender essas diferenças?

Ciente de que cada saída de dinheiro se encaixa em uma diferente classificação, é necessário analisar os investimentos de sua empresa para fazer essa divisão de forma eficiente e controlar todos os números.

As planilhas de fluxo de caixa são ferramentas essenciais às empresas, especialmente as de pequeno e médio portes. Cada centavo fora do controle pode fazer grande diferença nos lucros da organização.

Além de ter o controle, saber classificar essas saídas entre gastos, despesas e custos é fundamental para definir os preços cobrados sem ter nenhuma surpresa quanto ao lucro esperado.

Como reduzir gastos, custos e despesas?

Essa talvez seja a dúvida mais comum entre os empresários de todas as áreas, especialmente para quem está à frente de empresas de menor porte. Com a definição clara de cada um dos tipos de saída monetária, fica mais fácil buscar soluções de economia.

Reduzindo gastos

Os gastos são os imprevistos, então fica muito difícil controlar e reduzir essas saídas. Uma atitude que pode ajudar é fazer constantemente a manutenção de máquinas, aparelhos e carros, para evitar problemas inesperados e gastos emergenciais.

Reduzindo custos

Diminuir o investimento na produção ou execução de serviços não é uma tarefa das mais fáceis e requer muito trabalho do setor de compras. A maneira mais eficiente é buscar fornecedores mais baratos de materiais, peças e matérias-primas.

Para quem trabalha com entregas ou serviços que dependam de veículos, é interessante buscar rotas mais curtas e que economizem combustível.

Reduzindo despesas

Podem ser reduzidas com mudanças na estrutura da sede da empresa. Busque um aluguel mais barato e com menos gastos com energia elétrica. A energia solar é uma interessante opção de economia.

Também tente reduzir o consumo de materiais de escritório, como papéis, canetas e copos plásticos.

O empresário ciente de quais são os principais gastos de uma empresa, assim como custos e despesas, é capaz de fazer um melhor controle do fluxo de caixa.

Gostou do post? Tem alguma dica para reduzir as saídas e aumentar os lucros das empresas? Deixe aqui seu comentário!