Sustentabilidade nos negócios: saiba o que é e como aplicar na sua empresa

Sustentabilidade nos negócios: saiba o que é e como aplicar na sua empresa

Tempo de leitura: 

14 minutos

Devido às mudanças climáticas e à escassez de recursos naturais, a sustentabilidade é um dos termos que mais tem aparecido como tema de pauta em diversos setores da sociedade. Esse conceito está bastante ligado à preservação ambiental, mas não se resume a ela, tanto que a sustentabilidade nos negócios já é uma realidade.

Neste texto, trazemos informações completas acerca desse assunto para mostrar, entre outros aspectos, como a sustentabilidade pode ser aplicada nos negócios, quais são os pilares em que ela se apoia e quais são os principais benefícios de implantar práticas sustentáveis nas empresas. Ficou interessado? Então, continue lendo para saber mais. Vamos lá!

Entenda o que é sustentabilidade nos negócios

A sustentabilidade é derivada da expressão “desenvolvimento sustentável” e apareceu formalmente, pela primeira vez, na Suécia, em 1972, durante a Primeira Conferência Mundial sobre o Homem.

Essa conferência foi realizada pela ONU e caracterizou-se por ser uma resposta aos questionamentos levantados durante a efervescência cultural das décadas de 1960 e 1970, quando um princípio de consciência ecológica começou a surgir. Nessa época, refletia-se sobre os impactos resultantes da industrialização sem limites e do uso indiscriminado de agrotóxicos.

Após isso, começaram os debates sobre como reduzir os impactos ambientais. A conferência internacional realizada no Rio de Janeiro, em 1992, a ECO-92, foi um divisor de águas em relação à aplicação da sustentabilidade. Nela, foi lançado o maior programa já elaborado até então para promover o desenvolvimento sustentável — a Agenda 21.

Em linhas gerais, trata-se de um documento de 40 capítulos contendo orientações para governantes, empresas e cidadãos comuns contribuírem para a conservação do planeta. O programa era um plano de ação em escala global e local, que ajudava governantes a tomarem decisões mais adequadas.

Além da preocupação com o meio ambiente, a Agenda 21 tinha diversos objetivos, como o combate à pobreza, a mudança dos hábitos de consumo, a proteção à saúde humana, à mulher e à criança, entre outros. Essa convenção alcançou resultados expressivos, como a diminuição do uso dos gases CFCs, causadores da destruição da Camada de Ozônio, e posterior substituição deles por produtos não agressivos.

Esse é um grande exemplo do desenvolvimento de sustentabilidade nos negócios e, graças a ele, hoje em dia, as empresas buscam ser associadas a ações preservacionistas. Uma grande preocupação é ter uma produção eficiente em termos ecológicos e contribuir para o desenvolvimento social.

Assim, corporações que aplicam a sustentabilidade em seus modelos de negócios procuram implantar medidas internas para adotar práticas que respeitem o meio ambiente e que, de maneira ética, garantam o desenvolvimento econômico da sociedade.

Saiba quais são os pilares da sustentabilidade nos negócios

O conceito de desenvolvimento sustentável é relativamente jovem e está em processo de construção. No ano de 2010, a ONU realizou uma Cúpula Mundial sobre o Desenvolvimento Sustentável em Joanesburgo (África do Sul).

Durante essa reunião, foram consolidados os pilares da sustentabilidade que já estavam presentes na ECO-92: econômico, social e ambiental. Na sequência, entenda como eles se relacionam com o cenário empresarial.

Econômico

Como parte importante da economia de um país, as empresas precisam ter lucratividade. Mas, o lucro por lucro não contribui para o desenvolvimento sustentável. Dentro dessa perspectiva, as corporações devem ter capacidade de produzir e distribuir seus produtos de maneira que os preços dos serviços sejam acessíveis e ofereçam uma competição justa entre os concorrentes do mesmo segmento ao mesmo tempo.

Além disso, as vantagens econômicas não podem ser pautadas em práticas desleais, como produtos de baixa qualidade que obriguem o consumidor a comprar novos itens constantemente ou que sejam prejudiciais à saúde; condições de trabalho degradantes que coloquem em risco a vida dos trabalhadores; salários baixos para os colaboradores e degradação do meio ambiente, colocando em risco os ecossistemas do local.

Social

O aspecto social do desenvolvimento econômico se preocupa com o capital humano, que engloba os funcionários da empresa, os consumidores, os fornecedores, os prestadores de serviço, a comunidade em que o negócio está inserido e a sociedade como um todo.

Assim, a corporação deve ser socialmente responsável, contribuindo para o desenvolvimento humano. O básico disso é respeitar os direitos trabalhistas dos colaboradores e promover um ambiente de trabalho saudável. Outras ações incluem promover serviços sociais na comunidade, abrir vagas de emprego e trabalhar para que seus produtos e serviços sejam acessíveis para a maior parte da população.

Um bom exemplo desse tipo de preocupação social foi dado pela multinacional francesa de energia Schneider Electric. Quando atuavam em uma área remota da Índia, seus funcionários constataram que as comunidades no entorno não tinham eletricidade.

Devido a isso, a Schneider percebeu que não era justo vender um tipo de serviço que não era acessível para as pessoas daquele lugar. Assim, foi criado o Programa de Acesso à Energia para beneficiar os moradores daquela região. Com o sucesso, ele foi expandido a nível global, atingindo mais de 2 milhões de pessoas.

No Brasil, também temos ações semelhantes. O Instituto Cyrela é uma grande empresa do setor imobiliário que, todos os anos, realiza o Dia da Ação Voluntária, quando são reunidos voluntários para um mutirão de reparos e manutenção em instituições. Serviços como pintura, conserto de estruturas, varredura, entre outros, são feitos para melhorar esses lugares. Dependendo do tipo de atendimento, também são feitas doações de materiais escolares e esportivos.

O banco Santander, por sua vez, há 20 anos desenvolve o Programa Escola Brasil (PEB), que reúne voluntários para disseminar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) nas escolas públicas de cidades onde a corporação está presente. Além de contribuir para o desenvolvimento das comunidades, a iniciativa ainda beneficia os funcionários que desejam atuar como voluntários, já que o banco concede até quatro horas mensais da jornada de trabalho para dedicação ao programa.

Ambiental

O pilar ambiental trabalha as condutas ecologicamente corretas nos negócios. O objetivo principal é diminuir os impactos negativos, sejam eles poluição atmosférica, desmatamento, despejo de poluentes nos rios ou exploração excessiva dos recursos naturais. Caso essa diminuição não seja possível ou não seja suficiente, aí são pensadas ações mitigadoras dos impactos gerados.

Isso pode ser exemplificado com o caso da Amanco, fabricante de tubos e conexões, que passou a buscar matérias-primas menos poluentes para tornar seus produtos mais ambientalmente amigáveis. Uma das medidas foi substituir o tolueno por outro produto, uma vez que esse solvente é poluente e pode causar dependência nas pessoas que trabalham com ele.

Já a Bunge, grande empresa de alimentos e fertilizantes, desenvolveu uma embalagem feita de material orgânico e biodegradável para sua margarina Cyclus. Isso contribui para a redução de embalagens plásticas comuns que vão para o lixo e duram séculos na natureza. Outra iniciativa importante da empresa é a diminuição de resíduos como garrafas PET para embalar óleo vegetal.

Descubra exemplos de práticas sustentáveis nas empresas

No cenário atual, é imperativo aplicar a sustentabilidade nos negócios. Nesse sentido, a seguir, descubra quais práticas podem ser implementadas em quase todos os tipos de empresa.

Rever contrato de fornecedores e prestadores de serviço

É preciso ter cuidado com as entidades com as quais sua empresa se associa, porque os valores que elas representam podem se estender à imagem da sua marca. Por isso, avalie quem são seus fornecedores atuais, seja de matéria-prima, de equipamentos de trabalho ou suprimentos de escritório. É importante que eles estejam em dia com as obrigações fiscais e que não infrinjam leis ambientais.

Se sua corporação depende da atuação de prestadores de serviço para o funcionamento, fique atento à reputação dessas empresas também. Principalmente em se tratando de serviços de limpeza e manutenção: verifique se eles cumprem todas as obrigações trabalhistas e não exploram os funcionários. Uma coisa muito prejudicial para um negócio que quer se tornar sustentável é não valorizar o capital humano.

Reduzir o uso de material descartável

A maioria dos materiais descartáveis podem ser substituídos por outros mais duráveis ou ter seu consumo reduzido. Não há necessidade, por exemplo, de que os funcionários usem copos descartáveis para água ou café. Invista em garrafinhas personalizadas para incentivar os membros da sua equipe a consumir água sem precisar gerar lixo.

Outra boa ideia é sugerir que cada colaborador tenha sua própria caneca no local de trabalho. É só deixar combinado como será a lavagem — se cada um fará isso imediatamente após o consumo do café ou se ela será feita pela equipe de limpeza. De qualquer maneira, o gasto de água para a higienização de utensílios de cozinha é muito menor do que para produzir os copos de plástico.

Mesmo que a utilização do papel não possa ser totalmente cortada, é possível reduzi-la significativamente. O uso de material em papel só deve ser feito quando for inevitável, e a tecnologia pode ser uma grande aliada nisso. Memorandos e avisos podem ser enviados por e-mail, poupando a impressão.

Apostilas de treinamento e outros tipos de material para preparo de pessoas podem ser elaborados em formato digital, o que ainda torna o conteúdo mais portátil. Sempre que possível, a impressora deve ser configurada para imprimir frente e verso, reduzindo pela metade o gasto com papel.

Otimizar o uso da eletricidade

Existem diversas ações que podem melhorar o uso da eletricidade em uma empresa ou em um comércio. Primeiro, é preciso cuidar da questão da iluminação. Se possível, ajuste a estrutura do local para aproveitar a iluminação natural da melhor maneira e pelo maior tempo.

Pela manhã, as cortinas devem ficar abertas para evitar que seja preciso acender luzes artificiais. Se o calor do sol for um problema, existem vidros de janela que permitem que apenas a iluminação entre.

Outra medida relevante é instalar sensores de movimento em locais como banheiros, escadas e corredores. Com isso, as lâmpadas só serão acionadas caso alguém esteja usando esses espaços, diminuindo o desperdício de energia.

A troca de equipamentos antigos por versões atualizadas também é importante, porque aparelhos ultrapassados consomem mais energia. Preferencialmente, devem ser usados equipamentos que contem com o selo de economia de energia da Procel, o que garante maior eficiência energética.

O modo de uso desses aparelhos também deve ser revisto. Adote a política de desligar efetivamente tudo ao fim do expediente — mesmo que não seja muita, ainda assim a função stand by gasta eletricidade.

Se sua empresa ainda não utiliza lâmpadas de LED, já passou da hora de fazer isso! Elas iluminam mais gastando uma quantidade menor de quilowatts se comparadas a versões mais antigas, como lâmpadas fluorescentes ou incandescentes. A vida útil dessas lâmpadas também é maior, diminuindo o gasto com a troca.

Os condicionadores de ar representam uma boa fatia da conta de luz, especialmente em escritórios. Assim, é necessário mitigar esse gasto. Em um local de boa ventilação, as janelas podem ser mantidas abertas pela manhã, a fim de não ser necessário ligar o ar-condicionado. Durante seu funcionamento, todas as passagens de ar devem ser fechadas para que o equipamento não precise trabalhar além do necessário para resfriar o ambiente.

Buscar formas de diminuir o consumo de água

Se a empresa tem um jardim, os irrigadores devem ser ligados em horários mais frescos, como o início da manhã ou o fim da tarde, a fim de evitar que a água evapore mais rápido e que a aguagem do gramado seja mais demorada ou tenha que ser repetida.

Nos banheiros, a instalação de torneiras de pressão reduz o gasto desse recurso tão escasso no planeta, já que elas passam menos tempo abertas, evitando o desperdício. Já nas descargas dos sanitários, os de duplo acionamento são modelos que variam o volume de água de acordo com o tipo de dejeto.

O reuso da água é uma alternativa interessante para usos não potáveis. Isso é feito pela captação de águas cinzas (de pias e chuveiros) e posterior utilização delas na lavagem de pátios e garagem e, até mesmo, na descarga do banheiro. Além disso, essa água pode ser empregada na lavagem dos carros da empresa, já que é armazenada em tanques e tratada para retirada de impurezas.

A chuva também pode ser aproveitada por meio da captação de suas águas e de armazenamento em cisternas. Nelas, o líquido passa por um tratamento para se tornar mais límpido, podendo ser utilizado em limpeza, para aguar plantas e nas pias.

Incentivar um transporte menos poluente

A forma com a qual os colaboradores se deslocam no percurso entre o trabalho e suas residências é um tipo de impacto indireto gerado pela empresa. Assim, é preciso buscar alternativas para reduzir a poluição. Uma medida eficaz é a utilização de transporte público que tenha capacidade de carregar muito mais pessoas do que um veículo de passeio, diminuindo a emissão de gases poluentes.

No entanto, por questões práticas de horário, tempo de deslocamento e disponibilidade de ônibus e metrôs, muitos optam pela utilização do carro. Uma solução interessante é incentivar a manutenção de caronas entre os funcionários.

Com isso, grupos de quatro ou cinco pessoas que moram em regiões próximas podem fazer um rodízio de carros semanal entre si, variando quem será o motorista. Uma boa forma de fazer isso se tornar um hábito é conceder algum tipo de vantagem, como a reserva de vaga de estacionamento para quem aderir ao rodízio de caronas.

Investir em fontes de energia não usuais

O mundo enfrenta o esgotamento das fontes de energia, e a demanda energética cresce diariamente. Assim, buscar alternativas para a geração de energia é uma forma de garantir que seu negócio não sofra com as crises energéticas. As fontes de energias limpas e sustentáveis são as melhores opções.

Vale lembrar que, mesmo que a energia hidrelétrica seja renovável, a construção das usinas devasta áreas florestais, e a inundação gera poluição atmosférica em decorrência dos gases da matéria orgânica de fauna e flora em decomposição.

Assim, o ideal é buscar opções como a energia eólica e a energia solar. A energia eólica é gerada pela força dos ventos que movimentam os aerogeradores nas usinas eólicas. Essa alternativa é renovável e limpa, e é dependente somente da disponibilidade de vento.

Já a energia solar pode ser produzida no próprio local de consumo e é gerada pela captação dos raios de sol e pela transformação deles em eletricidade pelos painéis.

Gerar empregos e beneficiar a comunidade em que a empresa está inserida

Quando uma empresa se instala em um local, geralmente há uma comunidade em seu entorno, ou então existe o desenvolvimento de uma devido à atração de pessoas com a movimentação da economia. De qualquer forma, essa corporação não está isolada e deve contribuir para o desenvolvimento da sociedade daquele país ou daquela cidade.

Assim, torna-se pertinente criar a disponibilidade de vagas de emprego para gerar prosperidade econômica e tornar as vidas daquelas pessoas mais ligadas à empresa. Ações sociais como a realização de palestras sobre meio ambiente em escolas, doação de materiais didáticos para regiões carentes e revitalização de espaços públicos para melhor integração dos cidadãos também são medidas sustentáveis que podem ser adotadas.

Fazer uma gestão de lixo eficiente

O lixo é uma questão de grande preocupação para todos os setores da sociedade, na medida em que, mesmo com a diminuição da geração de resíduos, ainda há descartes a serem feitos. Em vista disso, a melhor maneira de lidar com essa problemática é contribuir para a reciclagem e para a coleta seletiva.

Uma boa dica é entrar em contato com usinas de reciclagem para formar parcerias com catadores de materiais como papel e plástico. Isso contribui para o trabalho dessas pessoas e ainda diminui o lixo que é jogado diretamente na natureza.

Separar os resíduos por tipo também é uma medida importante, uma vez que facilita o sistema de coleta de lixo urbano e evita a contaminação dos materiais. Com isso, o lixo orgânico deve ser separado para posterior compostagem.

Isso é uma vantagem para locais como bares e restaurantes, nos quais ocorre a geração de muitos restos de comida pelos clientes. O adubo produzido pode ser destinado a pequenos agricultores, contribuindo para a economia local.

Garantir a proteção do trabalhador

Respeitar os direitos dos trabalhadores é o mínimo que pode se esperar de uma empresa sustentável. Assim, o pagamento deve ser aquele que é devido pela função desempenhada por cada funcionário e as atividades exercidas devem ser as que estão na descrição da função. Além disso, é relevante conceder alguns benefícios, como vale-alimentação ou vale-refeição.

Outro aspecto importante é garantir que o espaço laboral seja o mais saudável possível, e, mesmo para serviços que apresentam riscos, toda proteção individual e coletiva deve ser fornecida pela empresa. Dessa forma, acidentes e encargos trabalhistas são evitados.

Melhorar o processo de produção para evitar desperdício de recursos

Para alguns tipos de negócios, a exploração de recursos é inevitável. Esse é o caso, por exemplo, da construção civil. Então, torna-se necessário adotar medidas que diminuam o desperdício de matéria-prima. Nesse caso, o simples uso de contenções e coberturas evita a perda de material em caso de chuva.

A armazenagem de produtos em locais adequados diminui o estrago causado pela ação do sol ou de intempéries. No mesmo sentido, um controle eficiente de estoque evita que sejam comprados mais produtos do que o necessário ou que eles passem da validade.

Entenda os benefícios das práticas empresariais sustentáveis

Aplicar a sustentabilidade nos negócios gera diversos benefícios, entre eles, a valorização da empresa, que passa a ter sua imagem associada à preocupação com a preservação ambiental. O próprio meio ambiente é protegido, e a manutenção dele garante a permanência da empresa no futuro, além do funcionamento sustentável também proporcionar isso.

Uma vantagem muito importante é a redução de custos. As ações citadas promovem a economia não só de recursos naturais, mas também de capital. Isso é ainda mais evidente na adoção de energias renováveis, como a energia solar que, pelos seus resultados financeiros, acaba por se tornar um investimento.

Saiba como implementar a sustentabilidade no seu negócio

Para tornar seu negócio sustentável é preciso observá-lo como um todo e começar um planejamento para implantação de diversas medidas. Uma que funciona para todos os setores é a adoção de energia renovável, sendo a fotovoltaica solar a mais prática e vantajosa. Os painéis que geram esse tipo de energia podem ser instalados na própria empresa, na parte superior do prédio.

As placas solares também podem ser acopladas na cobertura para estacionamento da empresa, protegendo os veículos dos colaboradores enquanto produzem eletricidade. Tudo isso depende do espaço disponível, para que seja viável atender às necessidades energéticas do local.

Com os sistemas solares conectados à rede, é feita a troca de energia entre a concessionária e o consumidor. Assim, quando o que for produzido pelos painéis for superior ao consumo, esse excesso é injetado na rede e se transforma em créditos de energia solar, que mais tarde se transforma em desconto na fatura ou cobre um dia de consumo superior.

No cenário empresarial, a energia solar tem aplicação industrial e comercial. A energia solar industrial é muito utilizada por diversos setores, como a indústria alimentícia e a moveleira. No comércio, a energia solar para supermercados gera grande economia para os proprietários. Além disso, existem diversos tipos de aparelhos que utilizam energia solar, tornando seu uso versátil e mais útil.

Pronto! Agora, você já sabe o que é a sustentabilidade nos negócios e como ela é vantajosa para os diversos setores. Lembre-se de que os benefícios dela são importantes tanto para as empresas quanto para a sociedade.

Gostou deste conteúdo? Então, assine nossa newsletter e receba nossas publicações diretamente na sua caixa de entrada!