Tudo o que você precisa saber sobre empreender no Brasil

Tudo o que você precisa saber sobre empreender no Brasil

Tempo de leitura: 

14 minutos

Tornar-se empreendedor é o sonho de muitas pessoas que desejam a independência de não serem mais subordinadas a alguém, com a intenção de desenvolver uma atividade relevante e conquistar o mercado. Para empreender no Brasil, é preciso conhecer bem a realidade do país e ter noção de como funciona o mercado no setor em que se deseja atuar. Por isso, trouxemos muitas informações sobre esse assunto.

Continue lendo este texto e entenda as principais oportunidades para empreendedores, bem como as vantagens de empreender no Brasil. Vamos lá!

Entenda o panorama do empreendedorismo no Brasil

Até a década de 1990, empreender no Brasil significava investir em empreendimentos gigantescos, principalmente ligados ao setor da construção civil. Assim, os empreendedores ficaram conhecidos pelo seu sucesso em grandes obras de relevância nacional.

As contribuições do Barão de Mauá para o empreendedorismo brasileiro

Um bom exemplo disso é a primeira estrada de ferro do país, que foi inaugurada em 1854 e teve como idealizador Irineu Evangelista de Souza, mais conhecido como Barão ou Visconde de Mauá.

A ferrovia foi um marco importante no desenvolvimento da infraestrutura nacional e foi tombada como patrimônio histórico em 1954. Sua instalação permitiu levar o café produzido em Minas Gerais para os portos do Rio de Janeiro de maneira mais rápida.

Isso representou uma melhora na forma como o trabalho era feito até aquele momento, com o uso de animais de carga. Essa tração demandava um tempo maior, devido à necessidade de descanso e alimentação dos animais. Havia também muita perda de produtos envolvida nesse processo.

O Barão de Mauá também foi responsável por outros serviços que trouxeram modernidade ao país, sendo considerado o primeiro empreendedor brasileiro.

Outras contribuições importantes foram a criação da companhia de gás para iluminação pública no Rio de Janeiro e a construção do trecho inicial da Estrada União e Indústria, que ligava Petrópolis e Juiz de Fora, inaugurada em 1861 como a primeira rodovia pavimentada.

Outros marcos relevantes para a inovação e o empreendedorismo no país

Mais tarde, outros marcos empreendedores trouxeram inovação para o território tupiniquim, como as usinas hidrelétricas, as companhias de eletricidade, de petróleo, entre outros. Em 1987, foi inaugurada a Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos inovadores, a Anprotec, o que significou o fortalecimento dos empreendedores, possibilitando uma rede de divulgação de conhecimento e de articulação de políticas públicas em prol da inovação.

Em 1990, o antigo Cebrae (Centro Brasileiro de Assistência Gerencial à Pequena Empresa) transformou-se em Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), constituindo uma entidade privada forte que ajuda na competitividade do mercado e fortalece o empreendedorismo no Brasil.

Foi a partir dessa década que os pequenos e micro empreendimentos encontraram apoio para se desenvolver e se posicionar no mercado de maneira mais adequada. O resultado disso é que, nos últimos anos, o país tem se destacado no cenário empreendedor internacional, sobretudo no que concerne aos negócios menores.

Segundo o relatório GEM (Global Entrepreneurship Monitor) o Brasil é o país com maior número de empreendedores individuais do mundo, chegando a 53% do total de empresas em 2018. Assim, o cenário tem se tornado cada vez mais propício para aqueles que desejam abrir um negócio.

Saiba quais são as vantagens de empreender no país

Depois de ter uma ideia do panorama, saiba agora quais são as vantagens de empreender no Brasil!

Expectativa de crescimento

Ainda de acordo com o relatório GEM realizado pelo Sebrae, em 2018, 52 milhões de pessoas desempenhavam algum tipo de atividade empreendedora, em níveis micro e pequeno. Isso corresponde a 38% da População Economicamente Ativa. Desde 2002, quando a pesquisa começou a ser feita no Brasil, esse é o segundo melhor resultado.

Isso é efeito do restabelecimento do crescimento econômico do país nos últimos anos. Em uma entrevista concedida à revista “Pequenas Empresas & Grandes Negócios” em fevereiro de 2019, o economista da Unidade de Gestão Estratégica no Sebrae Marco Aurélio Bedê destacou que, também em 2018, houve um crescimento pelo terceiro ano consecutivo no chamado empreendedorismo de oportunidade.

Nesse sentido, é preciso diferenciar os empreendedores por necessidade e por oportunidade.

Empreendedorismo de necessidade

Quando uma pessoa decide empreender por necessidade, significa que ela vê no empreendedorismo uma forma de superar problemas profissionais e financeiros.

Geralmente, isso está associado a uma situação de desemprego do próprio indivíduo, à diminuição da renda familiar em sua totalidade ou à dificuldade de ser absorvido pelo mercado de trabalho. Essa dificuldade, por sua vez, pode acontecer após terminar uma graduação, devido ao próprio desemprego ou até aposentadoria.

Empreendedorismo de oportunidade

Já o empreendedor por oportunidade é aquele que decide começar um negócio ao enxergar a demanda de um produto ou serviço na sociedade. Essa decisão costuma ser mais ponderada, porque o indivíduo consegue observar o andamento da economia de maneira precisa.

Por isso, as chances de conquistar um nicho são maiores, já ele escolhe o momento mais propício para fazer esse tipo de investimento, considerando também fatores demográficos, como localização, idade, classe social e cultura do público-alvo.

Segundo Bedê, em 2012 e 2013, o empreendedorismo por oportunidade chegou a 71% e sofreu uma brusca queda em 2014 e 2015, devido à crise econômica. Já em 2018, a porcentagem subiu para 62%. Mesmo que esse não seja o melhor número, há um crescimento significativo que demonstra que o setor voltou a se fortalecer.

Mercado diverso

O mercado consumidor brasileiro é muito diverso, e isso produz diferentes tendências de produzir e comercializar produtos e serviços, assim como de lidar com os consumidores. Um bom exemplo disso é o modelo de negócio conhecido como e-commerce, que consiste na venda feita de maneira eletrônica nos sites.

Essa é uma oportunidade tanto para empresas que já possuem lojas físicas e desejam ampliar o alcance da marca quanto para aqueles empreendedores que acreditam que a economia proporcionada pela venda virtual é mais vantajosa para o produto que será comercializado.

Se as lojas virtuais mudam a experiência de compra e venda, elas também são responsáveis pela alteração na dinâmica do consumidor com a empresa. Uma das grandes vantagens do atual cenário para quem deseja empreender é a forma de receber o feedback dos clientes.

Informações acerca de reclamações, sugestões e experiências dos usuários com o produto podem ser obtidas por chats direcionados nos sites e nas páginas em redes sociais. Isso facilita a análise do impacto da marca e torna a resposta mais transparente.

Outro serviço que tem se tornando cada vez mais comum é o SaaS. Essa é uma sigla para a expressão inglesa “Software as a Service”, ou, em português, Software como Serviço. Isso significa a utilização de um software pela internet, como um serviço online.

Com a crescente busca pelo armazenamento em nuvem, essa é uma forma de inovar o desempenho da empresa, facilitando o acesso às aplicações:

  • de controle de fluxo de caixa;
  • de armazenamento de documentação;
  • de controle de estoque;
  • de geração de nota fiscal;
  • entre outros.

A principal mudança é a unificação de todos esses serviços e a não necessidade da instalação de softwares. Isso é muito favorável para quem deseja empreender, porque torna o custo da tecnologia mais baixo, já que não há necessidade da compra da licença de programas.

As informações e ferramentas também podem ser acessadas em qualquer local, sem que se precise de um computador específico.

País com amplas oportunidades

A criatividade e a sustentabilidade estão em destaque atualmente, o que cria novas oportunidades para os empreendedores, especialmente quando se considera a atuação dos jovens nesse setor.

O mercado de contêineres

A união desses conceitos é bem representada pelo surgimento dos negócios em contêineres. Essa é uma tendência cada vez mais presente no Brasil. Os contêineres são utilizados para transportar cargas por cerca de 10 ou 20 anos, dependendo do tipo de carga.

Depois disso, a sua reutilização é uma importante medida sustentável, porque implica a ressignificação de um material e evita que mais recursos sejam gastos para uma construção. Para os empreendedores, essa é uma oportunidade de economizar o capital para aplicá-lo na qualidade dos serviços prestados.

Energia fotovoltaica

Ainda pensando em sustentabilidade, a necessidade de novas fontes energéticas é uma oportunidade para empreender. Faz-se necessária a utilização de uma forma de eletricidade que tenha um impacto negativo menor no ambiente.

A energia gerada pela utilização de combustíveis fósseis, como a termoelétrica, gera gases que contribuem para o aumento da poluição atmosférica e de problemas relacionados a essa poluição, como chuvas ácidas, efeito estufa, surgimento e agravamento de doenças respiratórias.

As hidrelétricas, que compõem a maior parte da matriz energética brasileira, apresentam um certo impacto negativo, mesmo que a sua energia seja considerada limpa. Para a instalação das usinas, é necessária a inundação de uma área enorme que, geralmente, é florestal.

Além de isso provocar a diminuição da vegetação em um local, a decomposição da grande quantidade de animais e plantas mortos gera gás carbônico, e a construção também desabriga as famílias ribeirinhas.

Assim, a energia fotovoltaica surge como a melhor alternativa para a realidade brasileira. Não por acaso, a insolação em todo o território é muito favorável e os impactos para a geração são baixos e localizados.

Desde 2012, a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) permite que os consumidores instalem pequenos geradores e que a unidade consumidora troque eletricidade com a concessionária. Com isso, os investimentos nessa área aumentaram, assim como os negócios.

O quadro é favorável para empreender no setor solar, para as empresas que vendem equipamentos fotovoltaicos e fornecem instalação e acompanhamento para os clientes. A economia com a conta de luz é o principal incentivo para os consumidores optarem por essa forma de energia — os descontos variam entre 50% e 95%.

Outras formas de consumo, como o compartilhamento de energia e o autoconsumo remoto, tornam ainda mais vantajoso empreender no mercado de energia solar.

Franquia

Há muitos motivos que demonstram por que investir em uma franquia é muito vantajoso para quem deseja empreender. Esse modelo de negócio é benéfico especialmente para aqueles que são novos na experiência de abrir uma empresa.

Isso porque as franquias são negócios que deram certo e foram testados com o seu público até chegar ao modelo ideal. Desse modo, a marca foi consolidada no mercado, e a sua representação é muito forte, tendo em vista que a franquia carrega o nome de uma empresa que passa confiabilidade para os consumidores.

A franqueadora fornece todo o plano de estruturação do negócio para os franqueados. Dentro disso, estão as estratégias de marketing mais adequadas, o planejamento financeiro e o treinamento do empreendedor e dos funcionários. A franquia também conta com o acompanhamento da empresa para aprender como lidar com os principais conflitos da melhor maneira e como investir o lucro no desenvolvimento próprio.

Retomando o conceito de sustentabilidade e dos negócios de energia solar, a franquia de energia solar é uma oportunidade de unir as vantagens das franquias e da tecnologia fotovoltaica.

Esse é um mercado que se encontra em crescimento no Brasil. É importante ter em mente que, para que a instalação seja segura e para que os equipamentos funcionem de maneira adequada, a empresa precisa contar com profissionais especializados, como engenheiros e técnicos em eletricidade.

A franqueadora já tem os seus profissionais de confiança, fornecendo uma assistência técnica para as unidades da franquia. Além disso, essa é a forma mais fácil de ingressar no mercado de energia solar, graças ao auxílio do know-how da empresa.

Desde o final de 2018, a HCC trabalha com franquias. Contamos com dois modelos: o pocket, cujo investimento parte de R$ 35 mil, e a loja, que requer um investimento mínimo de R$ 50 mil. Se quiser conhecer melhor as duas modalidades de negócio e empreender no mercado de franquias conosco, clique na imagem abaixo.

Possibilidade de auxílio de empresas privadas

O apoio de entidades privadas é um dos principais atrativos que permitem o crescimento do mercado empreendedor.

Entre as principais instituições que realizam esse auxílio, está o Sebrae, que, como citado anteriormente, atua principalmente junto aos micro e pequeno empreendedores. Suas ações incluem cursos online e palestras, bem como outras formas de ajuda, que vão desde a abertura de uma empresa até consultorias para ajudar na gestão.

Nas consultorias, são feitos diagnósticos de problemas ou de algo que precisa ser mudado no negócio. A partir daí, é elaborado um plano para chegar às soluções adequadas. Também é feito um acompanhamento pela entidade para verificar se as soluções estão surtindo efeito.

Saiba como começar a empreender

Veja os principais cuidados para se tornar um empreendedor e saber como abrir uma empresa.

Defina seus objetivos

Ter os objetivos bem definidos é um passo imprescindível antes de decidir abrir uma empresa. Isso é muito importante para que o negócio não perca o propósito inicial e para que você não perca o foco em meio à rotina corrida.

Colocar no papel as metas e ponderar a respeito delas é um bom começo, e faz com que os planos comecem a se tornar mais palpáveis. A partir daí, é possível estabelecer ações para colocar isso em prática, de maneira que faça sentido de acordo com a sua realidade. Se o seu objetivo, por exemplo, é fidelizar uma base de clientes, faz sentido estreitar o relacionamento com os consumidores, e dar um foco maior para o pós-venda.

As metas também devem ser simples e claras para que sejam mais fáceis de serem cumpridas. Não adianta adicionar vários itens no seu objetivo, porque isso dificultará o caminho a ser tomado. Aumentar a receita da empresa é um conceito bastante claro, mesmo que não seja tão simples de ser alcançado, e definir isso como objetivo é uma boa ideia.

É muito importante ser realista para que as metas traçadas estejam de acordo com o momento vivido. Direcionar o foco para tornar a empresa líder em vendas no setor em que atua só faz sentido se a marca já tem uma boa relevância. Para o início das atividades, isso não é muito indicado.

Definir o prazo para o cumprimento das metas também é muito válido para verificar o andamento desses objetivos. Um objetivo que será alcançado em longo prazo pode, por exemplo, ser dividido em objetivos menores de prazo médio ou curto.

Estude o mercado

Ter conhecimento do setor em que se deseja ingressar é crucial para empreender no Brasil. Um bom empreendedor precisa realizar um estudo de mercado para entender as características dos negócios, a recepção do público e a capacidade de consumo dos moradores de um local. Tudo isso para saber a viabilidade de abrir uma empresa de um determinado produto ou serviço.

O objeto de estudo deve ser bem definido. Em geral, escolhe-se um grupo específico de clientes para isso, como consumidores que compram com certa frequência determinado produto ou aqueles que compram poucas vezes. É preciso limitar ainda a localidade, que pode ser uma cidade inteira, a região de um estado ou a zona de uma cidade onde há mais consumo.

Com isso, é possível entender quais são as necessidades dos consumidores, o que falta em relação aos produtos já comercializados e como a marca pode se posicionar melhor. Dessa maneira, fica mais fácil saber que direcionamentos fazer, em que tipo de ação promocional investir, entre outros.

Se você está pensando em ingressar no mercado de energia solar, o vídeo abaixo é para você. Nele, eu comento sobre alguns dos desafios de empreender no setor neste ano de 2019. Assista para saber quais são!

Avalie as tendências

Avaliar as tendências do mercado é uma forma de adquirir conhecimento e tornar o serviço oferecido pela empresa mais alinhado às expectativas dos consumidores contemporâneos. Por isso, para ter um empreendimento de sucesso, é necessário estar sempre de olho no que ocorre nas principais empresas do mesmo segmento que o seu.

Nem sempre é simples descobrir as tendências, e aplicá-las ao seu negócio antes da concorrência é uma verdadeira corrida. Assim, participar de congressos e feiras que dizem respeito à sua área de atuação é um meio de conhecer as novidades. Nesses eventos, as tendências e previsões são apresentadas com grande antecedência e costumam ter influência internacional.

A manutenção de formulários de pesquisa também é relevante para isso. Eles podem ser apresentados para os clientes ao fim de uma compra ou até mesmo após uma tentativa de compra que não se realizou por algum motivo. Isso pode ser feito de forma física ou online, sempre levantando questões a respeito da qualidade dos produtos, do relacionamento com a marca e do que falta, de acordo com a opinião dos consumidores.

Tenha um planejamento financeiro

Cuidar das finanças é importante tanto para empresas que estão começando quanto para aquelas que já estão no mercado há algum tempo. Desse modo, é preciso dar atenção ao planejamento financeiro para que não ocorram desfalques na empresa. O primeiro passo é separar completamente os gastos pessoais daqueles do empreendimento, ou seja, nunca retire dinheiro da empresa para uso pessoal!

Tenha uma noção de quanto será necessário para abrir o seu negócio e do capital que você tem disponível. Lembre-se de levar em conta os gastos que o funcionamento de uma empresa exige (suprimentos, contas mensais, fornecedores, etc.), o capital de giro e os investimentos para o desenvolvimento da empresa. Algumas vezes, é mais seguro abrir um empreendimento um pouco menor do que você pensava, para depois investir na ampliação.

Com o negócio já em funcionamento, a receita deve ser analisada frequentemente para saber o lucro real. Com isso, fica mais fácil tomar algumas decisões, como escolher o momento mais propício para uma ação promocional, oferecer descontos para clientes fidelizados e contratar novos funcionários. Cuide sempre de destinar uma parte dos ganhos para a modernização do seu negócio.

Foque o aprendizado em gestão

A gestão empresarial é indispensável para ser um empreendedor de sucesso e, muitas vezes, vale a pena buscar cursos especializados para aprender como gerenciar. Com isso, o conhecimento sobre as terminologias empresariais é facilitado, assim como os diversos aspectos técnicos.

Faz parte da gestão definir os processos internos da empresa e delegar tarefas para os membros da equipe. Decidir como será feito o marketing, revisar o orçamento e analisar o feedback dos clientes são alguns dos conhecimentos pertinentes para empreender no Brasil.

Um bom gestor também é capaz de usar as tecnologias mais modernas em seu favor, tornando algumas atividades mais rápidas. Outro dever é fazer análise de previsão dos riscos de acordo com o andamento da economia e com as dinâmicas do setor em que o negócio está inserido.

Pronto! Depois deste texto, você já tem muito conhecimento sobre empreender no Brasil e já sabe o que fazer para ser um bom empreendedor. Com o histórico nacional, o crescimento do empreendedorismo, as oportunidades e vantagens de empreender no Brasil, abrir o próprio negócio é um grande investimento!

Gostou deste conteúdo? Então, assine a nossa newsletter e receba mais textos assim na caixa de entrada do seu e-mail!

E se gostar de conteúdos em vídeo, como o que apresentei no meio deste texto, também pode se inscrever no nosso canal do YouTube! É só clicar na imagem abaixo!