Afinal, como funciona a energia solar? Entenda aqui!

Afinal, como funciona a energia solar? Entenda aqui!

Tempo de leitura: 

5 minutos

Imagine poder alimentar a sua empresa ou residência com uma energia limpa, eficiente e que ainda garante economia? Desde que a energia solar se tornou viável para diferentes pessoas, essa é uma realidade. Desse modo, com a aquisição de um kit e sua instalação adequada, é possível colher os benefícios a longo prazo.

Porém, antes de optar pela energia solar e tornar sua casa sustentável é importante saber como tudo funciona. Assim, as expectativas ficam assentadas e o resultado é muito melhor.

Sendo assim, veja como funciona a energia solar e saiba mais sobre essa possibilidade!

Afinal, o que é energia solar?

O sol é um produtor de energia contínua e com potencial infinito. Os raios solares que cruzam a atmosfera e garantem a vida na terra carregam uma capacidade eletromagnética. Quando ela é captada pelos equipamentos corretos, pode ser transformada em energia térmica ou elétrica.

Desse modo, a energia solar não é o raio de sol ou a luminosidade em si. Na realidade, é o produto obtido a partir da transformação da irradiação.

Qual a diferença entre a energia solar fotovoltaica e a heliotérmica?

Antes mesmo de descobrir como funciona a energia solar, é fundamental compreender que não existe apenas um tipo possível. Dependendo do uso e dos mecanismos utilizados, ela pode ser do tipo heliotérmica (CSP) ou fotovoltaica.

No caso da heliotérmica, a conversão da radiação solar é feita para a térmica. Ou seja, os raios se transformam em calor, que é utilizado para aquecer a água para o banho ou da piscina, por exemplo.

Já na fotovoltaica há a mudança para a energia elétrica. Com um sistema do tipo, é possível alimentar a rede de eletricidade de um imóvel, como uma casa ou empresa. Graças a essa conversão, os aparelhos eletrônicos, as lâmpadas e demais sistemas funcionam normalmente.

Como funciona a energia solar e a sua geração?

Na energia heliotérmica concentrada (CSP), é comum que sejam usados espelhos para direcionar os raios solares para um ponto com fluido. Assim, a radiação é convertida em calor. Na sequência, ocorre o transporte do calor para o fluido. Com a expansão do líquido ou graças ao seu vapor, há o acionamento de uma turbina ou máquina. O funcionamento, portanto, é de maneira semelhante a uma usina termoelétrica.

A possibilidade heliotérmica também pode ser aplicada em casas. Nesse caso, placas coletam a radiação, fazem a transformação em calor e levam até a água que está em um reservatório. O equipamento funciona como uma garrafa térmica e mantém o líquido aquecido, com perdas mínimas.

Isso oferece banhos quentes até a noite, por exemplo, já que é comum que a temperatura seja mantida por algumas horas. Contudo, o funcionamento do sistema depende diretamente do calor gerado em ambos os casos. Desse modo, nos períodos frios e amenos, a capacidade é comprometida.

Já para entender como funciona a energia solar fotovoltaica é preciso saber que as células dos módulos contém um material semicondutor. Normalmente, há uma disposição em painéis fotovoltaicos e cada módulo tem dezenas de células.

A partir do contato da luz com o semicondutor, há uma movimentação de elétrons. Devido à diferença de potencial dos elementos, cria-se uma corrente elétrica contínua. Ela, então, é direcionada para o inversor, que a transforma em uma corrente alternada — que é a utilizada no cotidiano.

O sistema on-grid é conectado à rede elétrica, enquanto o off-grid é ligado a baterias. Com isso, a energia produzida que não é consumida na hora pode ir para a rede de eletricidade e gerar créditos na conta de luz ou ser armazenada em baterias. Também é possível contar com outros equipamentos, como um sistema de controle para identificar prováveis problemas na rede.

O que acontece em períodos nublados, chuvosos ou noturnos?

Depois de entender como funciona a energia solar, é comum ter dúvidas sobre o que ocorre nos dias nublados ou chuvosos e à noite. A resposta depende do tipo energético abordado.

Na heliotérmica, momentos com chuva ou nuvens podem diminuir a temperatura e a incidência solar. Com isso, o aquecimento pode não ser intenso. Já na fotovoltaica há apenas uma diminuição da capacidade produtiva. Assim que o céu fica aberto novamente, a performance retorna aos níveis normais.

À noite a tecnologia se comporta de forma diferente. Isso porque ambas precisam da luz solar para a geração energética e, com isso, no período noturno não há atividade. Porém, quando há a conversão para a energia térmica, a água quente ainda pode ser usada. Se no dia não houve intensidade suficiente, entretanto, o aquecimento não será como o desejado.

Já para a fotovoltaica é possível armazenar a energia gerada em baterias. Nesse caso, toda a casa ou empreendimento funcionará normalmente mesmo após o sol se pôr. Para sistemas on-grid — ou seja, que não usam baterias —, a solução é utilizar a energia elétrica tradicional. Com os créditos na conta de luz, as despesas serão reduzidas de maneira substancial.

Quais são os maiores benefícios de utilizá-la?

Recorrer à energia solar é uma excelente oportunidade devido as diversas vantagens. A primeira delas é a versatilidade: os projetos são executados tanto em residências como em negócios, ou seja, fábricas, lojas, apartamentos e casas podem se beneficiar dessa geração.

Outra questão é referente à conta de luz. Após realizar o investimento inicial de aquisição e de instalação, já é possível sentir os efeitos nos gastos. Esse é um jeito de reduzir as despesas e de aumentar a lucratividade empresarial, por exemplo. Além disso, é uma forma de não ficar preso às tarifas, aos impostos e às crises hídricas.

Para melhorar, trata-se de uma abordagem sustentável e ambientalmente correta. Diferentemente da geração por hidrelétricas ou termoelétricas, a energia solar não consome recursos naturais e nem emite gases. Ela é limpa, renovável e garante muita consciência quanto ao uso responsável do planeta.

E se você ainda não estiver convencido, saiba que o sistema é capaz de durar décadas. Em média, a durabilidade é de 20 a 30 anos. Com uma instalação correta e manutenção frequente, é possível garantir a economia por um longo período.

Depois de saber como funciona a energia solar é difícil não se encantar por essa possibilidade. Econômica e limpa, é uma opção que será cada vez mais usada no futuro — então, por que não adotá-la desde já?

Esse post foi útil para você? Compartilhe-o nas suas redes sociais e ajude seus contatos a ficarem por dentro do tema!