4 benefícios importantes de usar energias limpas na sua empresa

4 benefícios importantes de usar energias limpas na sua empresa

Tempo de leitura: 

10 minutos

As grandes empresas do mundo corporativo estão cada vez mais unidas no propósito de disseminar a importância de ações sustentáveis congregadas aos negócios. Afinal, ser ambientalmente responsável também agrega muito valor a um empreendimento. Por causa dessas iniciativas, a empresa passa a ser ainda mais valorizada pelos clientes e bem-vista em sociedade.

Implantar o uso de fontes de energia limpa na empresa, por exemplo, é uma política popular a fim de fazer parte dessa realidade. E a ideia tem sido adotada por diversas organizações ao redor do mundo.

O investimento pode parecer alto, mas seu retorno vem em forma de pelo menos 4 benefícios muito importantes. Você sabe quais são? Conheça cada um deles neste artigo!

O que é energia limpa?

Na verdade, nenhum tipo de energia é totalmente inofensivo, ou seja, sempre há algum impacto ambiental. Contudo, as energias limpas, ao contrário de outras, causam menos prejuízos para o meio ambiente, já que não emitem muitos poluentes — algumas não emitem nenhum poluente.

Geralmente, o impacto que provocam é no momento da instalação em algum lugar. Vamos analisar os principais tipos de energia limpa mais adiante.

O conceito de “energia limpa” apareceu com a conscientização ecológica e foi oficializada por meio de ações como a Primeira Conferência Mundial do Meio Ambiente, em Estocolmo (Suécia), efetuada em 1974. Nesse período, as pessoas vinham usando o petróleo como a fonte principal de energia, mas não tinham pleno conhecimento de sua elevada capacidade de degradar os recursos naturais.

Conforme fala Ignacy Sachs no artigo “A revolução energética do século XXI”: “A história da humanidade pode ser sintetizada como a história da produção e alocação do excedente econômico, ritmada por revoluções energéticas sucessivas. Todas elas ocorreram graças à identificação de uma nova fonte de energia com qualidades superiores e custos inferiores. Assim aconteceu com a passagem da energia de biomassa ao carvão e deste ao petróleo e gás natural”.

Quais são os principais benefícios da energia limpa na empresa?

Agora vamos analisar quais são os principais benefícios em utilizar energia limpa na empresa. De modo geral, podemos citar as seguintes vantagens:

  • ao contrário dos combustíveis fósseis, a energia limpa é inesgotável;
  • a energia limpa na empresa reduz a produção e emissão de gás carbônico (CO2);
  • o impacto sobre o meio ambiente é bem inferior ao impacto causado por fontes de energia como os combustíveis fósseis;
  • mais autonomia do Brasil em relação à geração de energia;
  • a geração de mais empregos.

Agora, vamos considerar mais detalhadamente alguns benefícios da energia limpa na empresa.

1. A energia limpa na empresa não polui

A energia limpa é aquela que não libera, durante sua produção ou consumo, qualquer tipo de poluente que possa gerar o efeito estufa ou contribuir para o aquecimento global.

Cada vez que um painel solar é instalado, por exemplo, não existe qualquer efeito prejudicial ao meio ambiente. Por se tratar de energia renovável, os sistemas exigem pouquíssima manutenção. Porém, quando elas se fazem necessárias, não agridem a natureza.

Um sistema de geração de energia limpa dura, em média, de 25 a 30 anos. Em alguns deles, a troca de peças ocorre somente 5 ou 10 anos depois de sua instalação, tornando seu descarte mínimo.

Além disso, os sistemas de geração de energia limpa em empresas costumam ser silenciosos e sem odores que possam causar qualquer desconforto no ambiente interno ou externo.

Para completar, a utilização de fontes energéticas sustentáveis não apresenta qualquer risco para a saúde humana. Ou seja, são extremamente adequadas para a estrutura de uma empresa.

2. Ajuda o meio ambiente

A energia mais utilizada atualmente é gerada por meio de petróleo e derivados, xisto e carvão mineral. Todos esses combustíveis são usados em usinas termelétricas, e o processo libera o calor que aquece a água, movimenta um motor e produz a energia elétrica.

No entanto, a utilização de energias dessas fontes traz sérios problemas ambientais. Além da emissão de gases poluentes, há também a reação com a água da chuva, que a torna ácida e prejudica qualquer tipo de vegetação ao longo de quilômetros de extensão. Sua ação pode até arrasar plantações inteiras, que demoraram meses de cultivo. Para agravar ainda mais a situação, este é um tipo de energia não renovável. Ou seja, um dia vai se esgotar.

É inegável que as maiores dependentes desse tipo de energia são indústrias e diversos tipos de corporações. Por isso, é essencial que o cenário mude e que a adaptação da energia limpa em empresas se torne comum.

Mas atenção! O investimento deve acontecer também no que diz respeito às máquinas e aos equipamentos, para que não consumam mais energia do que o realmente necessário. Assim, o impacto gerado no meio ambiente será muito menor. O meio ambiente agradecerá a gentileza.

3. Reduz custos — e não somente com energia

O uso de energia limpa contribui de forma garantida para a redução de custos fixos de uma empresa. Ter esse tipo de energia como fonte diminui os gastos com a manutenção de sistemas de água e as despesas de consumo de energia elétrica.

Os retornos dessa utilização já se manifestam no mês seguinte à implementação. Em muitos casos, a conta de luz chega a ser reduzida de 80% a 90%.

O excedente de energia produzida e não consumida pela empresa pode ser vendido para a companhia distribuidora local, gerando crédito para ser utilizado nos próximos meses. Dessa forma, a quantia economizada poderá ser aplicada em outras questões de necessidade primordial da empresa.

Dependendo de onde for a instalação da energia renovável, o investimento também permitirá a criação de novos postos de emprego.

Os empreendimentos que desejam investir em energia limpa ainda têm programas e linhas específicas de créditos em bancos, já que o desenvolvimento sustentável é do interesse de todos.

4. Há diversos tipos de energia limpa

Existem vários tipos de energia limpa, provenientes de diferentes fontes. Sua empresa deve avaliar bem quais necessidades possui, de modo a entender qual tipo será mais adequado para implementar.

Existem energias limpas primárias e energias limpas secundárias. As primárias e as secundárias podem ser usadas como energia limpa na empresa, em casa, na indústria, em condomínio, em clube e assim por diante.

As energias primárias têm origem natural (sol, vento, água). As energias limpas secundárias são aquelas que já passaram por alguma transformação, como a gasolina e a eletricidade.

4.1. Energia solar

A energia solar é encontrada mais comumente, já que os painéis fotovoltaicos que fazem sua captação são de fácil instalação em casas e empresas. As placas solares que recebem a energia são responsáveis pelo aquecimento da água, de um ambiente fechado e pela geração de energia elétrica, dependendo do sistema que for aproveitado.

No sistema fotovoltaico, as placas são responsáveis pela geração de energia elétrica a partir da radiação solar. No sistema de aquecimento solar, o Sol é usado como fonte de calor para aquecer a água do banho, das pias da cozinha, da piscina, da área de serviços. É uma fonte que serve para promover tanto energia limpa na empresa quanto na casa e sua popularidade vem crescendo cada vez mais.

4.2. Energia eólica

A energia eólica, por sua vez, utiliza como fonte as forças do vento. Este é o tipo mais popular na Europa. Com o auxílio de pás ou hélices, uma grande estrutura aciona um gerador interno que produz a corrente elétrica. Ela depende, é claro, da constância de ventos da região em que se encontra.

4.3. Energia maremotriz

Um modelo interessante para localidades costeiras e litorâneas é a utilização de energia dos mares. Com uma estrutura similar à da energia eólica, turbinas são instaladas no mar, onde a força das águas estimula o gerador responsável pela geração de eletricidade.

4.4. Biocombustível

Para substituir a gasolina, existe o biocombustível. Ele é obtido por meio da extração do etanol, que vem da cana-de-açúcar e de outros produtos agrícolas. O Brasil já é mundialmente conhecido nesse campo. Aqui, podemos inclusive ressaltar que o uso de energias limpas também diminui a dependência do país de importações de fontes de energia.

4.5. Biogás

Ainda podemos citar o biogás, energia limpa que visa substituir o petróleo como matriz energética. Ele surge da transformação do lixo orgânico e de excrementos animais, que passam por um procedimento de fermentação controlada por um biodigestor. Ele é uma forma de aproveitamento da biomassa, fonte de energia da qual falaremos a seguir.

4.6. Biomassa

A biomassa se relaciona aos resíduos de casa orgânicos, resíduos agrícolas, lenhas, madeira, gás dos aterros sanitários e outras coisas.

4.7. Geotérmica

A energia geotérmica se origina do calor do interior do planeta Terra.

4.8. Hídrica

A energia hídrica é produzida nas usinas hidrelétricas. A água gera energia elétrica com o uso de turbinas.

4.9. Nuclear

A energia nuclear requer elevados investimentos e envolve muitos riscos. A energia produzida vem dos vapores das usinas.

Como escolher a melhor energia limpa para empresa?

No Brasil, a energia das hidrelétricas corresponde ao maior percentual de consumo da energia total, mas outras fontes de energia limpa têm crescido nos últimos anos.

Há três anos, a energia solar representava somente 1% das energias limpas adotadas como solução para a geração de eletricidade. Perdia para a biomassa e a energia eólica, respectivamente.

Como escolher a melhor energia limpa para sua empresa? Quais são os critérios que devemos considerar? Vamos dar algumas orientações a seguir.

Investimento financeiro

Considere qual opção representa um melhor investimento financeiro. Toda empresa valoriza os investimentos, ela sempre deseja lucrar com o dinheiro que aplica.

Para isso, você pode levar em conta dois indicadores: ROI (Retorno Sobre o Investimento) e o payback (tempo de retorno do investimento).

Payback

Comecemos pelo payback, que mede o tempo que a empresa recebe de volta o dinheiro que investiu na solução. Vamos nos concentrar na tecnologia fotovoltaica, ou seja, no sistema de geração de energia por meio da radiação solar.

Já vimos que o sistema de energia solar tem uma vida útil média de 25 a 30 anos. Além da durabilidade do sistema, é preciso considerar outros fatores para cálculo do payback, como a insolação na região e as tarifas de energia elétrica cobradas pela concessionária local. Podemos usar a seguinte fórmula:

  • Payback (meses) = Investimento (R$) / Energia gerada (kWh) x valor da tarifa

No Brasil, a estimativa de retorno pode ser inferior a 5 anos ou até superior a 8 anos. Mesmo assim, perceba que o tempo de retorno do investimento é vantajoso.

No primeiro caso, teríamos um período de 20 a 25 anos de energia grátis. No segundo caso, um período de 17 a 22 anos. Mesmo considerando os custos com manutenção (muito baixos), não se pode negar que o sistema fotovoltaico como energia limpa na empresa é um bom investimento.

Considere fazer uma aplicação financeira de R$70 mil em longo prazo: 25 anos. Em 6 anos, o capital investido retorna às suas mãos e você fica recebendo lucros pelos 19 anos seguintes. Uma boa aplicação, não é verdade?

O retorno do sistema fotovoltaico é sentido na economia gerada, ou seja, redução de despesas e, consequentemente, uma possibilidade de maior margem de lucros.

ROI

O ROI calcula a taxa de retorno anual sobre o valor que você investiu na tecnologia. É preciso comparar a economia obtida ao ano por meio do sistema e o investimento efetuado.

Fatores climáticos e ambientais

Esse é outro ponto a considerar. Comparando a energia solar com a energia eólica, podemos encontrar algumas similaridades. O vento e o sol estão presentes em todas as regiões.

Mas, para aproveitar a energia eólica devidamente, seria necessário construir uma mini usina que fornecesse a energia necessária para sua empresa. Isso exigiria um local mais elevado, que aproveitasse ao máximo a movimentação do ar. O sistema fotovoltaico pode ser instalado diretamente em seu telhado.

Na verdade, tanto a energia solar quanto a eólica sofrem com intermitências, mas existem formas de contornar esse problema.

A eólica pode ser utilizada juntamente com a energia hidrelétrica para compensar a queda no nível de ventos em uma região. A fotovoltaica, além de poder ser armazenada em baterias, também pode ser injetada na rede pública e gerar bônus de energia, que reduzem as contas mensais. Essa integração da energia solar com a energia convencional se apresenta mais vantajosa que a energia eólica.

Outros pontos a considerar

Também podemos analisar critérios como:

  • infraestrutura necessária: de todas as energias limpas, a fotovoltaica é a que exige uma menor infraestrutura, já que pode ser integrada à própria estrutura do imóvel, o que não ocorre com a eólica, biomassa (usina termelétrica), hídrica (usina hidrelétrica);
  • benefícios em curto, médio e longo prazo: como mostramos, a energia solar oferece um payback satisfatório e a economia gerada já é sentida de imediato nas contas de luz.

Dentre as energias aqui citadas, a energia solar é a mais vantajosa, já que o Sol está sempre presente em nosso país e os custos para mantê-la são baixos.

Em suma, o investimento em energia limpa na empresa pode ser aplicado em múltiplas situações para suprir as mais diferentes necessidades do seu negócio. É interessante ressaltar que, quanto mais houver noção da necessidade da utilização de energia limpa em empresa, mais chances terão para que seu custo diminua.

Para garantir o sucesso ao adotar energia limpa na empresa, conte com profissionais capacitados e uma organização de confiança, como a HCC Engenharia, que oferece também materiais e equipamentos de qualidade. E lembre-se: os resultados dessa ação sustentável são, sim, favoráveis. E você pode comprová-los quando abraçar esta causa.

Aproveite e saiba mais sobre sistema fotovoltaico. Veja as diferenças entre painel e telha de energia solar!