Energia solar como fonte de economia da conta de luz

Energia solar como fonte de economia da conta de luz

Tempo de leitura: 

1 minuto

Em nosso primeiro post falamos sobre a geração de energia solar como forma de zerar a conta de energia. Nesse contexto, seguiremos falando das facilidades regulatórias que existem hoje no Brasil e que fomentam cada vez mais o mercado de geração distribuída.

A resolução 482/2012 da ANEEL, regulamentou o acesso de mini e micro geração distribuída junto às redes de distribuição das concessionárias. Essa normativa estabeleceu as regras para a compensação da energia gerada, que viabilizou, e muito, a entrada de geração de energia solar no mercado. A resolução 687/2015 da ANEEL complementou a legislação facilitando a geração sob forma de condomínio e rateio de créditos energéticos. Além disso, foram quebradas as barreiras dos impostos (PIS, COFINS e ICMS) sob a energia gerada, sendo que os mesmos só serão tributados sob o consumo líquido da instalação.

Diante desse cenário, o investimento em energia solar está cada vez mais atrativo sob o ponto de vista econômico. No início do ano o valor médio por KW instalado era superior a R$ 7.500, atualmente estamos viabilizando projetos com valores entre R$ 5.000 e R$ 6.000, o que de certa forma impacta positivamente na análise financeira do investimento.

O payback dos sistemas fotovoltaicos despencaram de 7 anos para 4 anos em média, o que de fato é um grande sinal de viabilidade de investimento, já que o sistema possui longa vida útil e manutenção muito pequena. Todos esses pontos citados fazem da geração de energia elétrica fotovoltaica ser atualmente um dos melhores investimentos no país e com retorno garantido.