Futuro da energia solar: confira as principais previsões do mercado

Futuro da energia solar: confira as principais previsões do mercado

Tempo de leitura: 

4 minutos

O debate acerca da adoção de fontes de energias sustentáveis e renováveis já ocorre há algumas décadas. O uso exaustivo de energias poluentes causou impactos irreversíveis ao meio ambiente, e não há outra opção a não ser substituir essas fontes de energia poluentes por outras limpas e renováveis.

O Brasil é um país tropical, de clima temperado. Logo, ao pensar no leque de possibilidades entre as fontes de energia renováveis – eólica, solar, hídrica, maremotriz, geotérmica e biomassa – a energia solar é, obviamente, umas das que se adapta melhor ao cenário energético brasileiro.

Quer aprender mais sobre o futuro da energia solar no Brasil? Então, continue com a gente! Vamos explicar o que é energia solar, as previsões para o seu futuro no Brasil e os benefícios que a ampliação desse modelo de energia traz para todos. Confira!

O que é a energia solar?

Durante a Revolução Industrial todo o desenvolvimento industrial foi feito com base em fontes de energias não renováveis. Inicialmente, o carvão, para o funcionamento das máquinas. Depois, o petróleo, para a criação do plástico. Em seguida, a gasolina, para o abastecimento dos transportes. E, por último, energia nuclear, para mover grandes indústrias.

O resultado foi desastroso: aquecimento global, esgotamento das fontes naturais, chuva ácida, buraco na camada de ozônio, entre outras tragédias ambientais. Na tentativa de reverter esse péssimo cenário, iniciou-se a busca pelas fontes de energia renováveis. Entre elas, uma das mais conhecidas é a energia solar.

Também chamada de energia fotovoltaica, a energia solar nada mais é do que a proveniente da luz e do calor do Sol. É uma fonte de energia limpa e inesgotável. Essa energia luminosa é convertida em energia elétrica por meio de várias tecnologias, como painéis, concentradores e aquecedores solares.

A energia solar é um ramo que está em constante mudança, pois a todo tempo ocorrem novas descobertas tecnológicas. Sua geração é classificada em duas partes: distribuída, quando os consumidores instalam o sistema para uso próprio, e centralizada, realizada pelas grandes usinas solares.

Diferentemente do que se pensa, a energia solar não é favorável somente em regiões de clima tropical. Ela pode ser absorvida em qualquer lugar do mundo. Basta um pouco de incidência solar para converter em energia elétrica. Mas, obviamente, o tipo climático em que ela melhor se manifesta é o desértico, onde há nuvens baixas e latitudes próximas à linha do equador.

Atualmente, a energia solar é utilizada em diversas atividades: no aquecimento e tratamento da água, na evaporação, no cozimento por meio do forno solar, na refrigeração e ventilação solar, e até mesmo na adaptação comercial inicial.

Como é o mercado de energia solar no Brasil?

O cenário do mercado de energia solar do nosso país é bastante otimista. O clima tropical potencializa o avanço da adoção da fonte de energia. Também está em crescente queda de preços, o que é ótimo para novos investimentos. Inclusive, a energia solar já é a segunda fonte de energia renovável mais barata do país, perdendo apenas para a Biomassa, de acordo com a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR).

Apesar do potencial crescimento oriundo do clima tropical, o mercado brasileiro de energia solar já é bastante maduro. Estima-se que mais de 1 milhão de pessoas estejam empregadas no setor energético atualmente. Além disso, três empresas brasileiras de geração de energia limpa estão entre as 200 melhores do ramo no mundo. O Brasil também está entre 30 maiores geradores de energia solar do mundo.

Qual será o futuro da energia solar no Brasil?

O setor é bastante atrativo para os investidores. Estima-se que mais de R$ 20 bilhões serão investidos na geração de energia solar no Brasil até 2023. Além disso, segundo a ABSOLAR, há uma projeção de faturamento de aproximadamente R$ 100 bilhões em 2030.

O Brasil é signatário do acordo de Paris, que tem como principal objetivo a diminuição do aquecimento global. A meta estipulada para o Brasil, responsável por quase 3% da emissão de todo gás carbônico do mundo, é de reduzir em 37% essa emissão em 2025 e em 43% até 2030.

A principal tecnologia de conversão energética a ser investida será de painéis solares, seguida do coletor e do concentrador solar. Segundo informações da ANEEL, até 2024 serão mais de 800 mil sistemas OnGrid (conectados à rede de distribuição, o que traz grande economia para as contas de luz) instalados por todo país.

Até 2050, estima-se que metade de toda energia global seja oriunda das energias solar e eólica. Para se ter noção do quanto a expectativa de crescimento dessas fontes renováveis é alta, atualmente, essas duas fontes de energia correspondem apenas 7% do suprimento de energia do mundo.

Quais os benefícios da adoção dessa fonte de energia?

O principal benefício da adoção é o baixo impacto ao meio ambiente e sua preservação. Há também a melhoria da qualidade de vida dos seres vivos, principalmente na saúde respiratória, tão afetada pelas emissões de gases tóxicos.

Além disso, temos como benefícios a redução de custos e a diminuição da demanda durante o período diurno (com luz natural). O investimento em energia solar também atrai novos investimentos privados e parcerias e, com a construção de novas usinas, há geração de empregos e grande retorno lucrativo para todo o país.

Um outro benefício da adoção da energia solar está na possibilidade de isenção fiscal e tributária. Em 2015, foi aprovada uma liminar que isenta o ICMS na compra de equipamentos que contribuem na produção de energia solar. Isso serve de incentivo para que mais pessoas tenham interesse em realizar a geração de energia distribuída.

Portanto, o investimento em energia solar é uma grande tendência no Brasil e no mundo. Mais do que uma opção lucrativa, a adoção da energia solar é uma excelente opção para preservar o nosso planeta das grandes catástrofes ambientais que vem acontecendo nos últimos tempos.

Gostou de aprender mais sobre o futuro da energia solar? Então, não deixe de nos seguir nas redes sociais! Estamos no Facebook, Instagram, LinkedIn e YouTube.