Conheça os principais tipos de produção de energia elétrica

 Conheça os principais tipos de produção de energia elétrica

Tempo de leitura: 

5 minutos

A energia elétrica é essencial para a realização de atividades básicas em lares, indústrias, comércios, propriedades rurais e até mesmo em momentos de lazer. Por isso, nos dias de hoje, não é possível sobreviver sem eletricidade. Com o passar do tempo, novas formas de produção de energia elétrica foram desenvolvidas. Algumas utilizam recursos inesgotáveis e são ecologicamente corretas, já outras necessitam de insumos finitos e poluentes.

Desta forma, existem as energias renováveis que são aquelas, constantemente, abastecidas por recursos vindos da natureza, como o vento, as ondas do mar e a luz do sol. E, por outro lado, temos as energias não-renováveis que são produzidas por meio de insumos que não se renovam, como carvão mineral, gás natural e petróleo.

Para usar a eletricidade com mais consciência, é importante conhecer todas as formas possíveis de geração e, pensando nisso, preparamos esse post. Nele, vamos falar sobre os principais tipos de geração de energia elétrica, além de mostrar suas características e particularidades. Confira!

Principais tipos de produção de energia elétrica

As fontes de energia são usadas para gerar eletricidade que poderá ser utilizada para variados fins, como produção de calor, deslocamento de veículos e geração de energia elétrica. Além disso, essas fontes têm relação direta com o meio ambiente e, conforme são usadas, podem ocasionar graves danos à natureza. A seguir, os principais tipos de produção de energia elétrica.

Energia hidrelétrica

As usinas hidrelétricas usam a força das águas para produzir eletricidade. Barragens são construídas nos leitos dos rios com objetivo de represar a água, formando um reservatório. A água captada por esse reservatório é transferida, através de tubulações, até um local onde ficam os geradores e as turbinas da usina, que convertem a pressão dessa água em eletricidade.

Atualmente, as usinas hidrelétricas são responsáveis pela maior parte da geração energética nacional. Uma justificativa é o alto potencial de rios propícios para a implantação das usinas, mas o processo de implantação é burocrático e necessita de investimento significativo.

Uma das desvantagens desse sistema de produção de eletricidade são os impactos ambientais causados na região das barragens. Isso porque, para construir esses reservatórios, é necessário desmatar o local, alterando a estrutura do rio.

Energia eólica

A energia eólica é gerada através da utilização de outro recurso renovável, que são os ventos. Nos parques eólicos são construídos aerogeradores – uma espécie de cata-vento, com turbinas que giram impulsionadas pela força do vento. Geradores ficam acoplados a essas turbinas e o giro desse motor produz campos eletromagnéticos, que se transformam em eletricidade.

Assim como em outros modelos de geração de energia limpa, existem muitos incentivos para investimentos em energia eólica. Uma das principais vantagens desse sistema é o baixo impacto ambiental e, por não emitir gases poluentes na atmosfera, a energia eólica é considerada uma energia totalmente limpa. Por outro lado, a geração de energia eólica depende literalmente das condições dos ventos.

Como nem sempre o vento é suficiente para a produção de energia elétrica, esse modelo é tido como uma fonte de energia complementar. Além disso, a instalação dos aerogeradores eólicos pode provocar modificação na paisagem e prejudicar a rota imigratória de aves. O alto custo dos equipamentos também dificulta a difusão da energia eólica no mundo.

Energia solar

A implantação de sistemas de energia fotovoltaica cresce consideravelmente no Brasil. A alta incidência de radiação solar no país, principalmente na região Nordeste, e o aumento constate das tarifas energéticas impulsionam esse crescimento. Painéis solares são instalados nas coberturas dos imóveis para captar os raios do sol e, por meio de suas células fotovoltaicas, convertem essa radiação em energia.

O inversor recebe a energia produzida pelos módulos solares e a converte em energia elétrica, pronta para ser usada para os mais diversos fins. O investimento em um sistema de energia solar ainda é alto, mas o custo-benefício é promissor. Apesar do retorno financeiro acontecer a longo prazo, em torno de cinco anos, os painéis fotovoltaicos são bastante duráveis.

Outra maneira de aproveitar a energia solar é através do sistema heliotérmico onde a luz do sol é convertida em energia térmica. Esse calor aquece a água que pode ser usada em processos de ativação de geradores de energia elétrica.

Energia nuclear

As usinas nucleares usam elementos radioativos, principalmente urânio, no processo de geração de eletricidade. Quando o núcleo dessa substância é desintegrado, libera grande quantidade de calor, que é usada para aquecer e transformar a água em vapor. Esse vapor é transportado por turbinas até um gerador que produz a eletricidade.

Essa é uma fonte de energia não-renovável e pode causar danos graves ao meio ambiente, já que trabalha com o uso de materiais radioativos. O vazamento de lixo nuclear gera prejuízos graves à atmosfera e ao ser humano, comprometendo a natureza e causando mortes.

Combustíveis fósseis

Em estações termoelétricas, a queima de combustíveis fósseis pode ser usada tanto para deslocar veículos quanto para a geração de energia elétrica. Os principais tipos de combustíveis são o gás natural, carvão mineral e petróleo. Essa é uma fonte de energia elétrica considerada não-renovável e representa boa parte da matriz energética brasileira.

Porém, a queima de combustíveis fósseis gera altos índices de poluição para o meio ambiente. Esse processo é considerado um dos principais responsáveis pelo aumento do efeito estufa e pela intensificação dos danos vinculados ao aquecimento global.

Biomassa

A biomassa trata-se da queima de substâncias orgânicas para a geração de eletricidade. Entre esses insumos estão as lenhas, resíduos agrícolas, bagaço de cana, restos florestais e até excrementos de animais. Essa é considerada uma fonte de energia renovável e, desde que seja controlado, seu uso é sustentável e não causa danos ao meio ambiente.

Benefícios da energia solar

Essa fonte de energia limpa é uma importante aliada na redução da poluição e das taxas de carbono presentes na atmosfera, contribuindo para a diminuição dos impactos ambientais. Outra vantagem dos sistemas fotovoltaicos é o custo-benefício.

Os fabricantes oferecem garantia de 25 anos, mas mantendo a manutenção em dia, as placas chegam a durar 40 anos, funcionando com 80% da sua capacidade de produção. O sistema de energia solar gera economia de até 95% nas contas de luz. Além disso, o custo com a manutenção dos painéis solares é baixo e imóveis que têm esses módulos são mais valorizados no mercado imobiliário.

Portanto, existem várias possibilidades de produção de energia elétrica. Algumas podem prejudicar o meio ambiente, outras são consideradas mais sustentáveis e econômicas. A energia solar é a melhor alternativa para quem deseja começar a produzir a própria eletricidade, preservando a natureza e economizando na conta de luz.

Quer saber mais sobre energia solar? Veja como funciona, em detalhes, o sistema fotovoltaico e suas aplicações!