Franquias em Fortaleza: onde investir?

Franquias em Fortaleza: onde investir?

Tempo de leitura: 

5 minutos

O Ceará é muito lembrado por suas belas praias, cidades e paisagens encantadoras, mas também tem grande vocação para os negócios — e isso vem sendo demonstrado na prática, com um mercado bem aquecido. Grande parte das empresas traz o modelo franchising, que é mais acessível e vantajoso por diversos motivos. Mas quais são as melhores franquias em Fortaleza/CE?

Para você aproveitar o momento e investir no próprio negócio com sucesso, separamos algumas das melhores oportunidades na região. Então, descubra a partir de agora como funciona o mercado de franquias e algumas marcas de destaque!

Como funciona o mercado de franquias?

As franquias são representadas por empresas geralmente já consolidadas no mercado, com boa aceitação do público e faturamento anual relevante, que cedem o uso de suas marcas por determinado preço: a taxa de franquia e os royalties. Dessa forma, o empreendedor que tem interesse e dispõe do capital inicial mínimo exigido pode abrir um negócio nos padrões já estabelecidos.

Tal tipo de investimento costuma ser mais seguro e trazer bons retornos, uma vez que o empreendedor recebe uma estrutura pronta (que já deu certo), treinamento técnico, suporte jurídico e apoio de marketing. Ao abrir uma franquia, todas as questões relacionadas a direitos e obrigações, bem como os valores, são especificadas em contrato, abrangendo tanto o franqueado quanto o franqueador.

Quais são as franquias mais promissoras em Fortaleza?

Abaixo, falaremos sobre as franquias que estão buscando por investidores em Fortaleza e oferecem uma boa condição para explorar o mercado na região. Elas estão separadas por segmento. Confira!

Cursos profissionalizantes

O mercado de trabalho está cada vez mais competitivo, o que vem aumentando a procura por cursos profissionalizantes. Esse mercado tem espaço para ser explorado em Fortaleza — e a Dank, escola de idiomas, visa abrir unidades na região para se tornar referência.

O formato da franquia pode ser tanto móvel, visitando o aluno em casa, no escritório ou em ambientes públicos, quanto fixa, em home office com aulas via Skype. Também é possível ter sua própria escola, em um ponto físico, mas isso vai depender do capital inicial disponível (que pode variar de R$ 7.500,00 a R$ 20.500,00).

Fast food (alimentação)

O ramo da alimentação é um dos poucos que não sentiram os efeitos da crise econômica no país e seguem prosperando. Seguindo essa tendência, a rede de fast food Big X Picanha pretende aumentar de 47 para 97 restaurantes, sendo a maioria na região Nordeste. O investimento inicial gira em torno de R$ 200 mil e o retorno médio é de 36 meses.

Já se você tem mais de R$ 1 milhão e quer usar uma marca mais famosa, pode abrir uma franquia do Bob’s. Das mais de mil unidades abertas no país, a maioria se concentra nas regiões Sul e Sudeste. Agora, a empresa quer aumentar a presença no Nordeste, sendo que Fortaleza é uma das cidades mais cobiçadas pela marca. O retorno do investimento pode acontecer entre 36 e 48 meses.

Serviços de segurança

O crescimento populacional desordenado e o fechamento de muitas vagas de trabalho têm elevado o índice de criminalidade no país, causando uma grande sensação de insegurança. Como toda crise gera oportunidades, muitas empresas de segurança estão lucrando com isso, uma vez que seus serviços passaram a ser mais requisitados.

A empresa Olho Vivo, por exemplo, é especializada em segurança eletrônica, tem sede no Rio Grande do Norte e busca expandir suas atividades em todo o Nordeste (inclusive na cidade de Fortaleza) por meio de franquias. Entre os serviços oferecidos, estão:

  • o rastreamento veicular;
  • a instalação e a manutenção de sistemas de câmera ou alarmes;
  • o monitoramento 24 horas.

A taxa da franquia é R$ 20 mil, com capital inicial mínimo de mais R$ 20 mil. O faturamento médio é R$ 35 mil e o prazo de retorno é de no máximo 18 meses.

Agências de viagens

Se antes o Nordeste brasileiro já era uma referência para o turismo nacional e internacional, o interesse pela região ficou ainda maior após a Copa do Mundo de 2014. Isso tem atraído empresas do ramo, o que contribui para melhorar a infraestrutura local.

A rede Clube Turismo, por exemplo, conta com mais de 65 unidades em funcionamento, mas poucas estão no Nordeste. Agora, a empresa tem um plano de expansão em forma de franquias, que inclui Fortaleza. O investimento inicial exigido é de R$ 70 mil e o retorno do capital acontece após 18 meses em operação.

Outra marca que compartilha essa visão é a CVC Turismo. O objetivo é abrir cerca de 30 unidades na região, incluindo a capital cearense. O investimento inicial é de R$ 100 mil, sendo que o retorno acontece entre 24 e 36 meses.

Venda de seguros

Na medida em que as pessoas vão acumulando patrimônio e aumentando a família, a preocupação com a proteção cresce. Isso tem levado muitos brasileiros a contratarem apólices de seguros. Diferentemente dos Estados Unidos, onde tal mercado já é bem fortificado, ainda há um vasto campo a ser explorado por aqui, principalmente no Nordeste.

Como exemplo, temos a Bidon, franquia formada por uma rede de corretoras que vende seguros de vida pessoais, corporativos, residenciais e automotivos. A marca está focando em aumentar a presença no Nordeste e busca por investidores. O negócio pode ser operado via home office ou a partir de um ponto comercial (loja física), por isso o investimento inicial varia entre R$ 12 mil e R$ 22 mil, com retorno médio em 12 meses.

A Protect é outra rede de franquias do ramo que mira o Nordeste. A empresa vai além, oferecendo seguro-saúde, seguro-viagem, planos de previdência privada e crédito consignado. A marca não trabalha com ponto físico e todas as franquias operam no modo home based. O investimento inicial é de R$ 28 mil e o retorno está previsto para 18 meses.

Energia solar

Deixamos o melhor para o final: combinando o aumento da responsabilidade ambiental com os altos custos energéticos no país, muitos brasileiros vêm buscando alternativas mais limpas e econômicas de eletricidade. Hoje, não só a indústria, mas também os prédios comerciais e residenciais estão aderindo à energia solar.

Nesse cenário, o Nordeste é uma região promissora, pois concentra a maior incidência de luz do sol durante o ano. De olho na oportunidade, a HCC Energia Solar, referência no segmento, abre dois modelos de franquia para atender aos empreendedores da área: o modelo Pocket, com atendimento em escritório particular, e o modelo Loja.

As franquias devem vender aparelhos, peças, componentes e serviços de instalação ou manutenção de painéis fotovoltaicos. Não importa se o investidor é leigo no assunto, pois ele receberá todo o treinamento e assistência técnica e jurídica da empresa para operar com sucesso.

Segundo a ABF (Associação Brasileira de Franchising), até 2017, o Nordeste já representava mais de 15% do faturamento nacional no segmento de franquias. O número de unidades em funcionamento segue crescendo na região, sendo a capital cearense uma das cidades que se destacam e reúnem oportunidades. Então, aproveite as franquias em Fortaleza e empreenda no seu próprio negócio.

Na animação abaixo, você conhece as principais vantagens de ingressar no mercado de energia solar por meio de franquias.

E então, gostou das dicas? Veja agora como foi o início das atividades da HCC Energia Solar em Fortaleza e participe desse projeto!