Mobilidade elétrica: saiba como está o avanço no Brasil

Mobilidade elétrica: saiba como está o avanço no Brasil

Tempo de leitura: 

5 minutos

A preocupação com o meio ambiente, aliada à escassez dos recursos minerais, tem elevado a importância de discutir formas de implantar a mobilidade elétrica no Brasil. A boa notícia é que tal avanço tecnológico vem se fazendo cada vez mais presente, reduzindo custos e aproximando o brasileiro dessa realidade.

Transportes movidos à eletricidade, como motocicletas e bicicletas, já são comumente utilizados como um meio de transporte alternativo e mais econômico. A partir daí, a criação de uma infraestrutura específica para isso, suportando carros e outros veículos, parece ser uma consequência natural.

Esse tema interessa você? Então, continue por aqui e saiba um pouco mais sobre o assunto!

Entenda o que é a mobilidade elétrica

Para quem está começando a ter contato com essa realidade agora, basicamente mobilidade elétrica é a expressão usada para definir a implementação de veículos movidos à eletricidade, como motos, carros, bicicletas e até mesmo ônibus, por exemplo, incluindo os híbridos.

Essa é uma tendência global com foco na sustentabilidade, posto que os recursos fósseis são limitados e a emissão de gases contribuem para o agravamento do efeito estufa. Além disso, em um país ensolarado como o Brasil, a energia solar é uma alternativa limpa e barata para esse problema.

Assim, a mobilidade elétrica se apresenta como uma solução para reduzir a emissão de gases e a poluição sonora nos grandes centros a um custo mais baixo do que os combustíveis tradicionais.

Fique por dentro dos avanços dessa tecnologia

Nesse contexto, diante do interesse da indústria e da sociedade em popularizar esse tipo de transporte, cada vez mais o setor tem recebido incentivos que buscam estimular o desenvolvimento desses veículos.

O fato é que a mobilidade elétrica é um movimento progressivo. A cada ano, o número de automóveis comercializados sobe no mundo inteiro. Tanto que países como a China e o Reino Unido já têm projetos visando banir o comércio de veículos movidos a gasolina e a diesel. No Brasil, já existe um projeto de lei que objetiva a proibição da venda de automóveis movidos a combustíveis fósseis até 2030.

Assim, embora o processo seja mais lento em terras brasileiras, já é possível vislumbrar um futuro movido à eletricidade. Conforme pesquisa realizada pela ABVE – Associação Brasileira do Veículo Elétrico, o país registrou um crescimento de 220% de vendas no primeiro semestre de 2020. Dessa forma, atualmente há mais de 30 mil veículos em circulação no país, podendo chegar a até 1 milhão até 2030.

e-book hcc energia solar

Conheça a realidade da mobilidade elétrica no Brasil

A busca pela popularização dos meios de transporte movidos à eletricidade tem sido incessante. Em ações recentes, uma startup de São Paulo disponibilizou um serviço inovador de compartilhamento de veículos elétricos, seguindo a mesma linha das bicicletas que estamos acostumados a ver, com a liberação do automóvel sendo liberada através de aplicativo.

Já a Renault, em conjunto com a Fundação Parque Tecnológico de Itaipu, forneceu mais de 10 unidades do Twizy para servidores públicos do Distrito Federal. Além disso, a promessa é que ônibus elétricos possam reduzir o custo das passagens e integrar a frota nacional em pouco tempo.

Veja como funciona o carregamento desses veículos

O abastecimento dos veículos movidos à eletricidade ainda não pode ser comparado aos modelos tradicionais. Geralmente é um processo bem mais lento, podendo levar no mínimo 40 minutos, dependendo do modelo do automóvel. Além disso, o Brasil ainda é carente de postos de abastecimento, contando com aproximadamente 100 locais de recarga.

Observadas as compatibilidades, o carregamento também pode ser realizado em casa, em tomadas 110V ou 220V, em cerca de 8 horas. Contudo, sem uma fonte de energia barata é possível que isso seja inviável.

Já nos postos públicos como em shoppings e estacionamentos, o carregamento ainda não é cobrado. Contudo, com o aumento da demanda, a tendência é que, em algum tempo, o abastecimento seja cobrado.

Conheça algumas das tecnologias exigidas para a mobilidade elétrica

Apesar dos avanços no sentido de popularizar o uso dos veículos elétricos, ainda há um longo caminho a percorrer para que toda a tecnologia necessária seja implementada, a começar pelas tomadas. Para que seja possível fazer a recarga em casa, é necessário que as instalações elétricas sejam adaptadas de acordo com cada região.

Já nos postos especializados, é importante se atentar ao tipo de plugue. Atualmente existem 4 tipos diferentes. Por isso, antes de sair de casa, é importante que o motorista se atente aos locais compatíveis com o seu veículo.

Assim, além de multiplicar a quantidade de postos disponíveis é importante buscar por formas baratas e sustentáveis de produzir energia. Caso contrário, o sistema hídrico tradicional poderá entrar em colapso. Além disso, as empresas precisam buscar formas de gerar motores com mais autonomia e velocidade menor no carregamento.

Entenda mais sobre o impacto da mobilidade elétrica na sociedade

O crescimento da mobilidade elétrica tende a gerar impactos importantes na sociedade, promovendo uma mudança cultural relevante e na América do Sul. Assim, além de um aumento das vendas de veículos elétricos, a tendência é que as pessoas busquem por formas de captação de energia mais limpas, sustentáveis e baratas.

Nesse contexto, é provável que, em um futuro próximo, a grande maioria dos projetos de arquitetura já englobem a instalação de placas de energia solar. Da mesma forma, os parques de produção de energia fotovoltaica vão ganhar cada vez mais relevância.

No Brasil, é necessário que ocorra uma mudança de comportamento. Além de fornecer veículos elétricos, é necessário oferecer uma estrutura com pessoas capacitadas para manter a frota e absorver a mão de obra excedente.

Para que essa tendência se prolifere de maneira saudável, é importante adotar políticas em todas as esferas. Além disso, se bem implantada, todo o sistema elétrico vai se beneficiar, posto que haverá um investimento massivo nas redes elétricas e sistemas de abastecimento.

A mobilidade elétrica promete gerar um grande impacto na sociedade. Engenheiros eletricistas serão mais utilizados do que os mecânicos e muitos novos empregos serão gerados, enquanto algumas funções serão completamente extintas. É importante criar um caminho de transição para que a sociedade se adapte à nova realidade e quem sair na frente poderá usufruir de um oceano de oportunidades.

Agora que você já está por dentro do assunto, aproveite para entender também como analisar o gasto de energia da sua empresa!

youtube hcc energia solar