Por que devo ter energia solar na minha empresa?

Por que devo ter energia solar na minha empresa?

Tempo de leitura: 

3 minutos

A recente crise econômica que se instalou no Brasil, trouxe um prejuízo muito grande no emprego, fundamentalmente causada pela desaceleração da maioria das empresas. Nesse momento o pessimismo tomou conta de todo empresário e por isso os investimentos cessaram. Passado o forte da crise o país começa a dar sinais de recuperação, aos poucos os investimentos começam a surgir e cada vez mais os empresários voltam suas atenções para a melhoria de suas empresas, ou na alavancagem de receita, ou na redução de custos.

Quanto a energia elétrica impacta nos custos da empresa?

Qualquer que seja o modelo de gestão empregado nas empresas brasileiras, a redução de custos, é sempre uma pauta frequente. No contexto empresarial, a energia elétrica é o principal insumo de produção, segundo estudo publicado pelo Portal da Industria. 93% das empresas perceberam a elevação dos custos da energia elétrica nos últimos anos e 35% das empresas afirmaram que o impacto sob a produção foi significativo.

Seguindo a análise dos dados da pesquisa, algumas empresas afirmaram que estão fazendo ações para a diminuição do custo da energia elétrica, no entanto, a maioria dessas ações são campanhas de educação e pequenas contribuições na eficiência. A geração da própria energia ainda não é uma medida difundida em massa nas empresas, principalmente nas indústrias, segundo dados da ANEEL de 2017.

O principal nicho da geração distribuída ainda é o residencial, que é responsável por 79% do total de sistemas implantados. Entretanto, se observarmos o consumo de energia elétrica brasileira, mais de 56% está concentrado na indústria e no comércio. Isso abre um grande espaço para a expansão da geração de energia solar nesses segmentos.

gráfico 1

gráfico 2

Diante desses números, por que tão poucas empresas investem em energia solar?

Os principais motivos para termos uma implantação modesta de sistemas de geração de energia solar nas empresas até 2016 estão relacionados ao custo dos equipamentos, à escassez de crédito bancário, ao pessimismo dos empresários com relação ao seu negócio e a falta de confiança em apostar na nova tecnologia.

A boa notícia é quem em 2017 esse cenário está mudando. Isso é percebível também nas vendas. Até o ano passado nossos principais clientes eram residências e pequenas empresas, já atualmente é frequente o investimento de empresas de maior porte, com maior consumo de energia elétrica, e a tendência é aumentar ainda mais.

O que aconteceu para essa virada de perspectiva da geração de energia solar nas empresas?

Uma série de fatores que está motivando a implantação da geração distribuída nas empresas. O primeiro é a melhoria da economia e a perspectiva de crescimento. Outro fator que muitos empresários que estão aderindo ao sistema estão apontando é com relação ao diferencial competitivo que vão conseguir agregar no produto deles. Certo dia, em conversa com um empresário de uma rede de postos o mesmo me relatou a importância de baixar o custo e melhorar sua margem de retorno, que diminuiu muito em função da diminuição de demanda.

É inegável que o aspecto financeiro é o que mais está conduzindo as empresas para o caminho da geração própria, mas isso só foi possível com a redução nos preços dos equipamentos, que diminuiu cerca de 20% nos últimos 12 meses. Isso tudo tornou o payback dos sistemas fotovoltaicos mais atrativo e em muitos casos a opção de financiamento também virou uma opção interessante pelo fato da prestação se encaixar no desconto recebido com a economia de energia. Atualmente o tempo médio do retorno de investimento para comércios é de 3 à 5 anos e para industrias de 5 à 7 anos.

Mas, cabe destacar que muitos pontos ainda precisam ser avaliados para a formatação de um projeto viável, principalmente nas indústrias que possuem tarifa horosazonal, já que nesses casos há diferenciação de valores de kWh e pagamento da taxa de contratação da demanda. Nesses casos é importante que se faça avaliação dos sistemas adequados ao ponto ótimo de economia e não somente a projetos para zerar o consumo.

Diante de toda essa mudança de cenário, as empresas que não querem ficar reféns de um conta de energia elétrica que varia de forma despadronizada devem aderir ao sistema de geração de energia própria e também aos processos de eficientização energética. Essas práticas irão tornar a sua empresa mais competitiva no mercado, além de fazer uma contribuição enorme ao nosso meio ambiente.