Veja como aplicar um sistema fotovoltaico em imóvel alugado!

Veja como aplicar um sistema fotovoltaico em imóvel alugado!

Tempo de leitura: 

5 minutos

O sistema fotovoltaico capta a radiação solar e a converte em energia elétrica, distribuindo-a para toda a construção para servir de fonte de alimentação para lâmpadas, eletrodomésticos e outros aparelhos elétricos. Ele é formado por placas ou painéis solares que se constituem por células de silício, responsáveis pela captação e conversão da energia solar em eletricidade.

O uso de painéis fotovoltaicos tem se tornado uma tendência no Brasil. Contudo, considerando nosso clima tropical, que se caracteriza pela intensa irradiação, ainda estamos atrasados em relação a outros países. Por ser um sistema que não causa impactos negativos no meio ambiente, além de mais econômico, é normal que as pessoas se sintam atraídas por ele.

A redução na conta de energia elétrica começa a ser sentida de imediato, e o retorno do investimento pode acontecer em médio ou longo prazo. Além disso, como a utilização da energia solar cresce cada vez mais, a oferta aumenta e o preço de aquisição e instalação tende a cair. Neste artigo, vamos mostrar como aplicar um sistema fotovoltaico em imóvel alugado! Confira!

Os tipos de instalação

Existem dois tipos de instalação do sistema: isolado ou conectado à rede. No primeiro caso, há maior autonomia de funcionamento, permitindo que a eletricidade produzida fique armazenada no interior de baterias, para ser posteriormente utilizada.

No segundo caso, a eletricidade excedente é fornecida para a concessionária, e o morador recebe créditos para diminuir os valores cobrados nas contas mensais de energia. A rede pública de distribuição deve ser avisada com antecedência, pois é preciso trocar o medidor externo de energia situado na frente do imóvel. O medidor de duas vias será o balizador entre os créditos e os débitos com a empresa que fornece a energia.

No caso de imóveis alugados, é claro que será necessário comunicar a instalação do sistema ao dono da casa com antecedência. Afinal de contas, trata-se de um projeto relevante, e o locador deve saber o que será feito em sua propriedade.

Quando o sistema for implementado e ligado à rede, ele ficará vinculado ao titular da conta de energia da residência. Logo, se ela estiver registrada no nome do proprietário, o sistema também deverá ser assim. Depois da instalação do sistema, se você tiver a intenção de se mudar, é possível remover as placas e o inversor. No entanto, convém solicitar à empresa concessionária a elaboração de um novo projeto elétrico para o futuro endereço.

Naturalmente, se o sistema foi implantado (comprado e instalado) pelo proprietário, o inquilino não tem direito de remover o equipamento.

A instalação do sistema fotovoltaico em imóvel alugado

Pelo fato de ser instalado e removido com certa facilidade, não há problemas em implementar o sistema fotovoltaico em um imóvel alugado. Não haverá danos na estrutura da casa. O local mais adequado para instalar os painéis solares é o telhado, pois quanto mais alto ficar o sistema, melhor será para captar a radiação do sol.

Os painéis ficam presos com o auxílio de um sistema de fixação. Coberturas planas, como lajes e telhas pré-fabricadas, também são propícias. Cada tipo de telhado deve receber um sistema específico de fixação. Esse é um ponto importante para a eficiência do sistema, e que também reflete no momento de efetuar o orçamento.

Os painéis não podem ficar em lugares sombreados, já que precisam ficar expostos ao sol para captar a radiação. Em regiões sombreadas, portanto, as placas não serão tão eficientes. Mas e no inverno? Bem, nessa estação do ano, é importante que os painéis fiquem instalados seguindo a orientação do sol de inverno. Dessa forma, mantêm a sua eficiência.

Dependendo da acessibilidade do telhado e das dimensões do sistema, o prazo para a instalação gira em torno de 1 a 4 dias. Apenas sistemas empresariais levam mais tempo, podendo chegar a 30 dias ou mais. O parecer emitido pela concessionária, autorizando a conexão à rede, leva aproximadamente 34 dias para ser liberado.

O espaço necessário para a instalação

Cada placa solar conta com uma área aproximada de dois metros quadrados. Assim, é possível a geração de energia a partir de áreas com cerca de 12 metros quadrados. O tamanho total da área depende de determinados critérios, como o consumo de energia ao mês, considerando o número de pessoas que habitam a casa. Nas residências em que o consumo é maior, geralmente a área para instalar as placas é de aproximadamente 50 metros quadrados.

Também existe a possibilidade de alugar o telhado do vizinho para a instalação. Contudo, é necessário aumentar o padrão de entrada de energia para que seja incluído um novo medidor. Essa é a medida chamada de autoconsumo remoto.

Ainda, é possível alugar o próprio sistema fotovoltaico diretamente com a empresa. Paga-se um preço fixo todo mês, sem nenhuma alteração de acordo com a produção de energia. Isso é possível em imóveis alugados também.

Os custos de instalação e manutenção

Os custos de instalação de um sistema fotovoltaico ficam entre R$20 e R$30 mil para uma residência. Isso considerando o consumo máximo de uma família de padrão médio no Brasil. Em uma família de quatro pessoas, o consumo gira em torno de 150 a 350 kWh por mês. Para maiores consumos, os sistemas tendem a ser mais caros, mas o retorno econômico será ainda mais alto.

O sistema é modular, o que permite sua instalação em fases. Os gastos também podem mudar de acordo com a orientação e a radiação do lugar de instalação, exigindo mais ou menos placas. As despesas podem envolver ainda equipamentos especiais, mão de obra e frete.

Os gastos com a manutenção também são mínimos. A durabilidade do sistema é de 25 a 30 anos. Uma limpeza semestral ou mesmo anual é suficiente, usando água, sabão neutro e pano macio.

As vantagens de instalar o sistema fotovoltaico

Até aqui, você viu que é possível instalar um sistema fotovoltaico em imóvel alugado. As vantagens de optar por esse sistema são várias, como:

  • a energia solar é sustentável e renovável;
  • o espaço útil não é comprometido, já que as placas ficam geralmente nos telhados;
  • a modulação do sistema permite a adição de mais placas solares se for preciso aumentar a geração de energia elétrica;
  • há redução de gastos com energia elétrica;
  • há baixa manutenção;
  • o sistema pode ser instalado até em locais mais isolados, como o sertão nordestino;
  • o sistema é silencioso, não incomodando os moradores nem os vizinhos;
  • há a possibilidade de monitorar o consumo, aumentando o poder de decisão nesse aspecto;
  • há a possibilidade de continuar usando aparelhos eletroeletrônicos (ar- condicionado, por exemplo) sem a preocupação de aumento na conta mensal;
  • o imóvel ganha valor e, talvez, o proprietário tenha interesse em comprá-lo do inquilino.

Como vimos, a flexibilidade das placas solares permite facilmente a instalação do sistema fotovoltaico em imóvel alugado. Ou seja, não é preciso se preocupar com questões relacionadas a dificuldades de instalação ou danos na estrutura do imóvel. O importante é que o procedimento seja acordado entre o proprietário e o inquilino.

Se você se interessou pelo post, não deixe de compartilhá-lo nas redes sociais para que outras pessoas se informem sobre o tema!