E-commerce na pandemia: tudo o que você precisa saber!

E-commerce na pandemia - HCC Energia Solar

Tempo de leitura: 

13 minutos

A pandemia de Covid-19 trouxe uma série de modificações tanto para a sociedade quanto para a economia. O comportamento do consumidor agora é outro, e isso trouxe novas demandas para as empresas, que têm precisado se reinventar para continuar atendendo às necessidades dos seus clientes.

Uma das mudanças mais nítidas está no e-commerce. Isso, porque, devido à necessidade de isolamento social, muitos consumidores tiveram de ir para a internet para adquirir produtos e serviços dos quais precisam durante a pandemia. Daí surge uma questão: o e-commerce é a nova tendência? Como lidar com este novo cenário de modo a manter os lucros do negócio?

Se você quer saber tudo sobre o e-commerce na pandemia, continue a leitura e tire todas as suas dúvidas agora mesmo!

Como a pandemia afetou o e-commerce?

A pandemia de Covid-19 afetou todos os setores da economia, o que inclui o e-commerce. Porém, os efeitos foram diferentes para cada um deles.

No varejo, setor de eventos e turismo, o impacto foi muito negativo. Isso, porque a população foi instruída a estabelecer um isolamento social para evitar a disseminação do vírus. Dessa forma, quem depende da presença física de clientes e consumidores foi mais afetado.

Assim, as idas a supermercados, shoppings e lojas foram substituídas, por muitos consumidores, por compras em carrinhos virtuais, em sites e aplicativos. É aí que entram o e-commerce e seu crescimento durante a pandemia.

O e-commerce cresceu com a pandemia?

Há muita especulação sobre os números do e-commerce com a pandemia de Covid-19. A verdade é que várias empresas e instituições já se engajaram na realização de pesquisas e apontam para um crescimento real desse setor durante o período de quarentena.

Uma pesquisa realizada pela Ebit | Nielsen indica que, entre janeiro e março, houve um aumento de 32% no número de pessoas que realizaram as suas primeiras compras online. Em 2019, esse aumento foi de 17% no mesmo período. Isso significa que mais gente está experimentando esse tipo de consumo, mesmo entre aqueles que ainda eram resistentes à realização de compras online.

A mesma empresa indica que, quando se fala em números totais, o e-commerce cresceu mais de 48% apenas no Brasil. Para você ter uma ideia do tamanho desse crescimento, só no mês de abril de 2020, o e-commerce vendeu 81% a mais do que no mesmo período de 2019, movimentando R$ 9,4 bilhões de reais.

O número de lojas online também aumentou durante a pandemia. Em 2019, eram abertas, em média, 10 mil lojas por mês. Após o anúncio da necessidade de isolamento social, esse número cresceu 400%, atingindo a média de 50 mil lojas por mês.

Essas pesquisas mostram, de forma objetiva, que o e-commerce cresceu, sim, durante a pandemia, atingindo números expressivos quando comparado aos anos anteriores.

Apostar no e-commerce pode ser uma solução para o período de pandemia?

Como você pôde perceber, a pandemia de coronavírus fez com que os setores que têm como foco vendas e serviços presenciais sofreram uma retração, enquanto aqueles que investiram no e-commerce perceberam um aumento do faturamento nesse canal. Dessa forma, fica o questionamento: será que o e-commerce é a solução para o período de pandemia?

Para muitos negócios, a resposta é “sim, o e-commerce é a solução que possibilita aumentar a renda e manter as operações do negócio durante a pandemia de Covid-19”. O isolamento social trouxe crises e problemas para a maioria dos empreendedores, e buscar soluções inovadoras para manter os seus negócios em funcionamento é essencial neste momento crítico.

Dessa maneira, o investimento no e-commerce pode ser uma forma de responder a essa nova demanda do mercado, modificando as operações da empresa para garantir que os consumidores sejam atendidos sem maiores problemas. Além disso, esse investimento contribui para que o isolamento seja mantido, protegendo consumidores e colaboradores durante este período.

Vale lembrar que o investimento no e-commerce, apesar de ser a solução, não é tão simples quanto parece. Ele exige uma reestruturação da empresa, principalmente se você ainda não utilizava esse canal de vendas.

É preciso mudar o modelo de negócio, de forma a abarcar esses novos processos e capacitar colaboradores para que lidem com essa demanda. Com estratégias eficientes, é possível garantir a manutenção do negócio por meio do e-commerce.

Como utilizar o e-commerce neste período?

Se você percebeu que o e-commerce é a solução para o seu negócio durante este momento crítico, é hora de entender quais são as melhores estratégias para investir nesse canal de vendas. Veja, abaixo, o passo a passo para utilizar o e-commerce durante a pandemia do novo coronavírus.

Planeje as mudanças com cuidado

Um dos grandes erros de um empreendedor, mesmo entre os mais experientes, é a falta de planejamento. Com a pandemia, isso tende a ser ainda mais evidente, uma vez que a urgência da mudança pode fazer com que os empreendedores pulem essa etapa tão importante do processo. Porém, esse é o primeiro passo para que o seu investimento no e-commerce seja bem-sucedido.

Para realizar o planejamento, é importante que você comece entendendo onde a sua empresa está hoje e quais são os seus diferenciais, suas capacidades de investimento e oportunidades. Também é preciso identificar os riscos da mudança e as principais ameaças ao sucesso da adaptação.

Com esse panorama em mãos, identifique quais são as mudanças que devem ser implementadas, os responsáveis por cada uma delas e o passo a passo do processo. Também estabeleça um cronograma detalhado, que indique a data de conclusão de cada etapa.

Invista em múltiplos canais de atendimento

Quando se fala em e-commerce, o primeiro pensamento que vem à mente é um site de vendas de produtos ou serviços da empresa, não é mesmo? Porém, o que você ainda não sabe é que o e-commerce vai além disso, exigindo mais do que apenas um site para atender às demandas dos consumidores.

É preciso estar presente no ambiente digital, e isso significa que os seus clientes devem ser capazes de encontrar a sua empresa em múltiplos canais. Portanto, além de ter uma loja virtual, invista na presença em redes sociais, por exemplo, assim como na utilização de outras formas de comunicação, como o e-mail, para solucionar problemas e oferecer produtos aos clientes.

É importante também contar com um atendimento telefônico, de forma a abrir esse canal de comunicação com os consumidores. Além disso, você pode utilizar aplicativos de mensagem, como o WhatsApp, para se comunicar e realizar vendas, dependendo do perfil do seu público.

Mantenha a comunicação com os consumidores

Toda mudança deve ser informada aos consumidores, mostrando quais são as novas possibilidades de interação com a sua empresa. Portanto, mantenha um canal de comunicação com os clientes, valorizando a transparência e o compromisso com a saúde da equipe e dos consumidores.

Nele, você deve informar como estão as suas atividades presenciais, mostrando mudanças no horário de funcionamento da sua empresa (ou, até mesmo, o fechamento do estabelecimento) e na forma de atendimento ao consumidor. Apresente, também, as novas opções de consumo, com foco no e-commerce.

Por fim, é importante evidenciar as suas políticas de prevenção em relação à Covid-19. Portanto, conte aos consumidores sobre as mudanças no trabalho dos colaboradores (como o home office) e, até mesmo, sobre a política de higienização dos seus espaços e produtos.

Capacite a sua equipe para os novos processos

Por falar em cuidados com a equipe, o treinamento de colaboradores deve ser levado em consideração.

É muito difícil que uma empresa passe pela pandemia sem nenhuma alteração. Algumas precisam modificar todo o seu funcionamento, enquanto outras podem optar apenas por adaptações. Em ambos os casos, é importante investir no treinamento dos colaboradores para a realização dos novos processos.

Quando se fala em e-commerce, pode ser que a sua empresa ainda não conte com uma loja virtual ou, talvez, que esse não fosse o foco. Com a mudança, é necessário implementar novos processos no que se refere tanto ao gerenciamento do negócio como um todo quanto ao atendimento ao cliente e à oferta de produtos.

Portanto, identifique quais são as novas habilidades e competências, tanto técnicas quanto comportamentais, de que a sua equipe precisa para realizar as novas atividades. A partir disso, busque por treinamentos e capacitações que sejam importantes, valorizando a modalidade EAD (ensino a distância).

Crie boas alternativas de pagamento

Os seus consumidores precisam de flexibilidade no que se refere ao pagamento de contas e serviços durante o período de pandemia. Afinal, com a economia incerta, eles podem ter medo do futuro e, com isso, conter os gastos.

Para incentivar o consumo e lidar com essa nova demanda, é essencial que você ofereça boas alternativas de pagamento na sua empresa.

É possível investir nas opções tradicionais, como dinheiro, boleto e cartões de crédito e débito. Porém, também vale utilizar transferências por aplicativos e outras opções digitalizadas, para oferecer mais alternativas aos clientes, que podem optar pela que melhor se adapte à sua realidade atual.

Também considere dividir as compras em um maior número de parcelas e com juros reduzidos, de forma a aumentar as chances de consumo no período de crise.

Invista no marketing e na divulgação

Não adianta investir no e-commerce sem realizar uma boa divulgação dos seus produtos e serviços, não é mesmo? Afinal, é preciso que a informação chegue até o seu consumidor, mostrando quais são as soluções que a sua empresa é capaz de oferecer a ele.

Portanto, invista em marketing, com foco no marketing digital e de conteúdo. Isso significa que você deve criar conteúdos atrativos e relevantes para os seus clientes, de forma a chamar a atenção deles para a sua marca. Os seus conteúdos, produtos e serviços podem ser divulgados em diversas plataformas, como as redes sociais, site da empresa e, até mesmo, um blog próprio.

Não abuse nos preços

Em um momento de crise, alguns empreendedores iniciantes ou até mais experientes utilizam preços abusivos para garantir os lucros, mesmo com poucas vendas. Isso é uma estratégia que, além de, em alguns casos, ser proibida por lei, é malvista entre clientes e no mercado como um todo.

Portanto, coloque a ética em primeiro lugar e nunca abuse nos preços. Mesmo que você perceba uma redução dos seus lucros no começo, lembre-se de que a pandemia vai passar e é importante garantir a sua manutenção agora, sem prejuízos para a sua marca, para conseguir o crescimento no futuro.

Não se esqueça dos cuidados com a loja física

Pode ser que a sua empresa tenha sido classificada como não essencial e, em algum momento da pandemia, tenha que fechar as portas para os clientes na loja física. Porém, o estabelecimento ainda continua em funcionamento, seja com funcionários para atendimento presencial ou, até mesmo, em home office, para garantir as vendas do e-commerce.

Mesmo com a loja física fechada ou aberta parcialmente, é importante nunca se esquecer dos cuidados com a saúde e segurança dos trabalhadores e clientes. Portanto, invista em procedimentos de limpeza e desinfecção para esse local. Também aproveite para capacitar os seus colaboradores quanto aos cuidados com a própria saúde, incentivando o uso das máscaras e do álcool em gel.

Acompanhe métricas importantes

Uma boa gestão exige o uso de indicadores que permitam a análise objetiva dos resultados da empresa. No e-commerce, isso não é diferente, sendo extremamente importante que você acompanhe essas métricas.

Para identificar as métricas que devem ser utilizadas, comece entendendo quais são os seus principais objetivos no e-commerce. A partir disso, crie indicadores e metas que mostrem o quão próximo você está desses objetivos.

Vale lembrar que é essencial que você mensure esses indicadores periodicamente — todo mês, a cada três meses ou, até, seis meses, de acordo com a realidade da sua empresa. Além disso, crie relatórios que apontem o quão próximo você está da sua meta ao longo das mensurações.

Esteja atento às tendências e faça ajustes

O mercado está em constante mudança. Com a pandemia, elas se tornaram ainda mais rápidas. Dessa forma, surgem diversas tendências de comportamento dos consumidores e atualizações sobre cada um dos setores da economia. Você deve estar sempre atento a esses dados, de forma a se manter atualizado e ajustar as suas estratégias de acordo com a demanda do mercado.

Além disso, as suas métricas e indicadores podem ser uma importante fonte de informação nesse aspecto. Eles apontam quais são as estratégias que estão dando certo e quais têm problemas, não atingindo o objetivo estabelecido.

Portanto, utilize todas essas informações, tanto externas quanto internas, para realizar ajustes na sua estratégia de e-commerce. Dessa forma, você entra em um ciclo de melhoria contínua, capaz de trazer diversos benefícios para a sua empresa em curto, médio e longo prazo.

Quais os benefícios de utilizar o e-commerce na pandemia?

Existem diversos benefícios em investir no e-commerce durante a pandemia de Covid-19 — e depois dela. Continue a leitura e descubra, agora mesmo, quais são eles!

Permite a manutenção das vendas mesmo durante o isolamento social

A pandemia exigiu o isolamento social, e isso significou, para muitos empreendedores, uma redução drástica nas vendas de produtos e serviços. Porém, o e-commerce pode ser a solução nesse aspecto.

Isso, porque, com a entrada da sua empresa no ambiente virtual, você abre portas para que os clientes conheçam os seus produtos e serviços sem precisar ir até a sua loja física. Com isso, inclusive, eles podem se interessar em adquiri-los durante esse período. Dessa forma, é possível manter as suas vendas e, com elas, a rentabilidade e a lucratividade da empresa mesmo durante a quarentena.

Pode evitar que a empresa entre no vermelho

A pandemia trouxe um grande obstáculo para as empresas, o que levou, infelizmente, à falência de muitas delas. Afinal, com o estabelecimento da quarentena pelos gestores públicos, grande parte do comércio se viu impedida de abrir as portas. As empresas, então, se viram em uma situação na qual as contas não param de chegar, mas a receita foi a perto do zero.

O e-commerce pode ser a estratégia de que você precisa para sair dessa situação e evitar que o seu negócio entre para essa estatística. Isso, porque, mesmo sem poder abrir a loja física, essa solução permite que você continue vendendo produtos e serviços e, com isso, gere receita para o negócio.

Dessa forma, o e-commerce pode garantir que você consiga continuar pagando as contas sem a necessidade de contrair dívidas mesmo neste período de crise.

Oferece bom retorno sobre o investimento

Durante o período de isolamento, muitas empresas estão com o caixa bem apertado para a realização de novos investimentos. Porém, o e-commerce é uma solução bastante acessível para a sua empresa, exigindo poucos dispêndios adicionais.

Isso significa que ele abre espaço para um alto retorno do dinheiro investido. É possível aumentar — e muito — as suas vendas sem a necessidade de gastar grandes quantias de recursos da sua empresa.

Mantém ativa a comunicação com o público

Durante a quarentena, é importante que você seja capaz de manter uma comunicação ativa com o seu público, de forma a mostrar a presença da sua marca mesmo em períodos de crise como o que a sociedade vive atualmente. O e-commerce também oferece benefícios nesse aspecto.

Com a loja e o atendimento virtuais, você é capaz de manter um canal de relacionamento com os clientes, garantindo a presença da sua marca. Além disso, você ainda pode aproveitar este momento para mostrar que a sua empresa continua ali, mesmo durante a crise, estabelecendo uma relação mais próxima e de confiança com o seu público.

Atinge um maior número de pessoas

Por fim, uma outra grande vantagem do e-commerce é o número de pessoas que você é capaz de atingir. Isso significa que, com esse investimento, é possível levar a sua marca a mais potenciais clientes, ampliando a escalabilidade do seu negócio. Isso é uma vantagem que vai além do período de pandemia.

Ao atingir mais pessoas, você também tem mais chance de aumentar as suas vendas. Afinal, mais potenciais clientes chegam até a sua empresa. Com as estratégias certas, é possível converter esse número em negócios fechados. Ou seja, você consegue aumentar a rentabilidade e lucratividade do seu comércio.

Quais são as perspectivas para o e-commerce no pós-pandemia?

Neste artigo, você descobriu tudo sobre o e-commerce durante a pandemia de Covid-19, não é mesmo? Porém, é importante lembrar que essa crise vai passar em algum momento, apesar de ninguém conseguir prever com exatidão quando isso vai acontecer. Portanto, deixamos o questionamento: quando a pandemia acabar, como fica o e-commerce na sua empresa?

Vale lembrar que a transformação digital e o e-commerce já eram uma tendência importante antes desta crise. O que aconteceu é que a atual situação acelerou esse processo, fazendo com que a adaptação ao mundo virtual passasse a ocupar um lugar central na sobrevivência de muitas empresas no Brasil e no mundo.

A tendência é que os consumidores continuem a utilizar esse canal de vendas mesmo quando já não houver a necessidade de isolamento social. Afinal, ele traz conforto e comodidade para os clientes. Sobre os mais resistentes a essas mudanças, pode ser que o teste durante a pandemia sirva para colocá-los no mundo online.

Portanto, o investimento no e-commerce vai além do momento de crise. Ele se torna importante para a manutenção da sua empresa nos próximos anos, uma vez que o comportamento do consumidor se alterou permanentemente. A tendência é que ele continue crescendo, exigindo que a sua empresa esteja, cada vez mais, presente no ambiente virtual.

Com este artigo você descobriu tudo sobre o e-commerce na pandemia de Covid-19, desde as tendências e perspectivas desse setor até os benefícios e estratégias para investir no comércio virtual agora mesmo.

Por fim, você viu quais são as tendências para o período pós-quarentena e pôde perceber que o e-commerce é uma solução viável e bastante vantajosa tanto para este momento de crise quanto para o futuro da sua empresa. Portanto, aproveite as dicas para começar, agora mesmo, a investir nessa forma de comercialização dos seus produtos e serviços!

Se você gostou deste artigo, assine a nossa newsletter e receba mais dicas de empreendedorismo e gestão de empresas em primeira mão diretamente na caixa de entrada do seu e-mail!